Connect with us

Outros

Quando vamos parar de culpar os games por crimes trágicos?

Publicado

em

Assassin's Creed

A história de Marcelo Pesseghini, o garoto de 13 anos que é principal suspeito de ter assassinado dos pais, parentes e em seguida ter se suicidado, é notícia em todos os lugares. Qual o motivo do menino simplesmente ter se transformado em um assassino em plena adolescência? Como sempre nesses casos, vasculha-se toda vida pessoal da família e do jovem em busca de respostas. Logo, vão ao seu diário pessoal mais fácil de encontrar: o Facebook.

Ao olhar a página do garoto, encontra-se logo uma imagem do jogo Assassin’s Creed em seu foto de perfil. Há quem diga que o perfil é fake. Mesmo assim, se torna um prato cheio para o sensacionalismo atrelar o jogo com a possível personalidade assassina do menino. Programas chegaram a mostrar na TV a capa do jogo como um possível culpado. Este tipo de comportamento não é novo, e sempre aumenta, equivocadamente, o preconceito constante contra os jogos.

O tema é recorrente na mídia e assim aconteceu com outras tragédias, como o tiroteio em Oslo. No caso, evidências mostravam que o atirador, Andrew Behring Breivik, jogava games como Call of Duty e World of Warcraft. Na época, o psicólogo da Texas A & M University International, Christopher Ferguson, fez uma análise sobre o tema:

Eu sei que é um pouco controverso dizer isso, mas há um certo tipo de racismo na resposta da mídia a esses assassinatos. Quando tiroteios acontecem em uma cidade do interior em uma escola de minorias, ninguém culpa os games. Mas quando essas coisas acontecem nas escolas de maioria branca e nos subúrbios, as pessoas começam a surtar e os games são inevitavelmente culpados. Eu acho que há um certo elemento de racismo ou ignorância nesse caso.

Call of Duty - Black ops 2

A repercussão negativa dos jogos também acaba criando preocupação nos governos. Barack Obama solicitou no início deste ano uma pesquisa para entender qual a relação do videogame com a violência. Isso aconteceu após os atentados de Newtown, quando Adam Lanza matou 20 crianças e seis adultos com um rifle. Portanto, o debate é global.

No Brasil, dados do Ibope apontam que 41% das pessoas nas principais regiões metropolitanas possuem um console de videogame. Isso dá aproximadamente 69,5 milhões de brasileiros. É muita gente. E tem mais: desses, 2/3 afirmam preferir jogos de ação – como o que era jogado por Marcelo. E aí?

Mas, do mesmo jeito que Marcelo jogava Assassin’s Creed, poderia jogar Little Big Planet. Do mesmo jeito que eu, quando tinha meus 11 anos, jogava Mortal Kombat e Yoshi’s Story. O fato de colocar a imagem no perfil mostrava que ele gostava do jogo, assim como milhares de meninos com a mesma idade ao redor do mundo. Um jogo violento não implica em tendências assassinas. A gente já sabe disso, então por que continuamos a botar a culpa de casos como este nos games?

O videogame ajuda a construir a educação e a identidade de uma pessoa? Sim, ajuda. Do mesmo jeito que a televisão, o jornal e a internet. E, além de não poder culpar os jogos por casos extremos como a história de Marcelo Pesseghini — que ainda pode ter uma reviravolta – e ao contrário do que pensa a ministra Marta Suplicy, game é cultura.

Fonte: Youpix

Outros

Janeiro Seco funcionária no Brasil?

Publicado

em

cerveja

Um movimento iniciado na Inglaterra visa incentivar que a pessoas parem de consumir álcool em Janeiro “Seco”, afim rebater os excessos das festividades de fim de ano.

O desafio parece difícil para muitos num primeiro momento, mas já faz muito sucesso no exterior.

Porem aqui no Brasil onde a temperatura bate 35 a 40 graus no mês de janeiro versus uma temperatura média entre 4 a 8 graus em Londres na Inglaterra no mesmo período, a missão aqui parece quase impossível de cumprir.

Você conseguiria cumprir a missão aqui no Brasil?

Continue Lendo

Outros

Dicas de Como Fotografar Bem Com o Celular

Publicado

em

foto Celular

Tirar fotos é uma das principais características que as pessoas exigem de seus smartphones. Com nossas Dicas de Como Fotografar Bem Com o Celular, suas fotos vão sair do básico ao profissional.

Os desenvolvedores sabem disso, e a diferença de desempenho entre um smartphone de alta gama e um smartphone de gama média pode não ser tão grande em algumas ocasiões, mas em quase todos, a diferença de desempenho de uma boa câmera de celular se tornará rapidamente perceptível. 

Mas não se engane: tirar uma boa foto com seu smartphone ou telefone celular não é apenas uma questão de apontar e clicar.

DICA 01. Trabalhar Com a Regra Dos Terços

Uma das maneiras mais fáceis de melhorar suas fotos móveis é ativar as linhas de grade da câmera. Isto sobrepõe uma sequência de linhas na tela da câmera de seu telefone com base na “Regra dos Terços”, um início de estrutura fotográfica que afirma que uma imagem deve ser separada em terços, tanto horizontal como verticalmente, tendo assim 9 peças no total.

De acordo com esta teoria, se você colocar pontos de interesse nestes cruzamentos ou ao longo das linhas, sua foto parecerá mais equilibrada, nivelada e deixará os espectadores interagirem com ela de forma mais natural.

DICA 02: Manter a Lente Limpa

Esta dica parece um pouco estranha, porém é uma das principais dicas. Nosso telefone celular está constantemente em nosso bolso ou bolsa, indo de um lugar para outro, de modo que a lente fica suja.

Na maioria das vezes, nossas próprias impressões digitais permanecem na lente, portanto, quando tiramos uma foto, ela sairá toda embaçada. Esta sujeira tornará a qualidade de sua foto bastante ruim e você não quer isso.

Por essa razão, antes de tirar uma foto, limpe a lente, mesmo que ela pareça limpa.

DICA 03: Pense sobre a luz

Uma vez que você fotografa uma pessoa, você está capturando a luz que reflete sobre ela e acerta o sensor da câmera. 

Portanto, se o indivíduo estiver no escuro, a foto sairá às escuras. É essencial que o objeto ou indivíduo que você deseja fotografar esteja bem iluminado, de preferência por uma fonte de luz que não apareça na cena.

DICA 04: Ajuste o Foco Da Sua Câmera

As câmeras de celular de hoje focam automaticamente no primeiro plano do quadro, mas apenas algumas das fotos que você tira com seu telefone têm um indivíduo óbvio. 

Para ajustar onde você quer focalizar a finalidade da câmera, abra o aplicativo da câmera e toque na tela onde você quer melhorar a visão.

Se você estiver tirando uma foto de algo rolando, exemplificando, pode ser difícil para a câmera de seu telefone seguir este indivíduo e se reorientar uma vez que ele está na frente da foto.

Antes de tirar a foto, toque na tela para fixar o foco da câmera móvel de modo que o indivíduo que está rolando esteja em foco o máximo possível. 

Um ícone quadrado ou circular deve aparecer na tela da câmera do telefone celular, o que transformaria o foco de sua foto pelo conteúdo completo daquele ícone.

DICA 05: Não Aumente O Zoom

Ampliar é o primeiro passo para fazer sua foto parecer ruim. Não quero dizer o quão ruim vai parecer em seu telefone, mas o quão ruim vai parecer na tela de um computador.

Quando você vir a foto no computador, verá que é uma bagunça, sem foco, sem nitidez, não importa quão bom seja o propósito do smartphone. Portanto, não é desigual com um telefone celular usando o zoom.

Tenho que abrir um parêntese aqui. Os smartphones atuais (2022) já têm qualidade, o que torna possível ampliar um pouco o zoom. Entretanto, tenha cuidado para não exagerar.

Conclusão

Com isso foi tudo, estas dicas certamente o ajudarão muito a melhorar suas fotos móveis. O que mencionamos é: fotografar, experimentar e ver que tipo de imagens estas ferramentas são capazes de gerar. Aproveite a intimidade e espontaneidade de seu telefone celular. Divirta-se tirando fotos.

Você gostou do nosso artigo sobre fotografia de telefone celular? Deixe um comentário, nós adoraríamos lê-lo!

Continue Lendo

Outros

Caoa Chery amplia família Tiggo com o 7 PRO

Publicado

em

A Caoa Chery apresentou o Tiggo 7 PRO, versão com visual renovado, produzido na unidade fabril da marca em Anápolis/GO e que chega com preço a partir de R$ 189.990,00.

O Portal Hortolândia teve a oportunidade de conhecer e avaliar o modelo equipado com motor 1.6 Turbo GDI, movido a gasolina e transmissão DCT de sete velocidades – do tipo wet dual clutch, tem alavanca joystick e opção de trocas manuais. Esse conjunto entrega 187 cavalos de potência e acelera de 0 a 100 km/h em 8,09 segundos.

O design do Caoa Chery Tiggo 7 PRO conta com uma grade dianteira com desenhos tridimensionais, que se unem com os faróis full LED do conjunto óptico dianteiro com luzes DRL.

Na lateral, o SUV é marcado por três linhas principais, que criam um efeito diferenciado e combinam elementos dinâmicos e estáticos. As rodas têm 18″ com desenho exclusivo. Já na traseira, as lanternas são integradas e o modelo conta com duas saídas de escapamento.

No interior, a luz ambiente em LED oferece sete opções de cores. O console central é elevado, com comandos ergonomicamente instalados, é integrado ao comando touch do ar-condicionado inteligente, que é dual zone, independente e conta com saída de ar traseira.

Os bancos são revestidos em material premium, assim como o volante multifuncional de design esportivo e com quatro ajustes manuais de profundidade e altura.

Com 4.500 mm de comprimento, 1.842 mm de largura e 1.705 mm de altura, além de um entre-eixos de 2.670 mm, o Caoa Chery Tiggo 7 PRO tem porta-malas com capacidade para 475 litros com abertura e fechamento automáticos de série. Ele também possui abertura por sensor de presença, sistema antiesmagamento e regulagem de altura de acordo com a preferência do usuário.

Entre os itens de conforto e conveniência disponibilizados de série se destacam o teto solar panorâmico basculante de 1,13m² com opção de abertura da parte frontal, o banco do passageiro elétrico com quatro opções de ajuste, além das seis possibilidades de ajuste do banco do motorista, inclusive da região lombar e o Comando de Climatização à Distância (CCD).

Há ainda carregador de celular wireless de carregamento rápido 15W, com função de alerta em caso de esquecimento do objeto dento do veículo, chave presencial com botão de partida, além de retrovisores com ajuste elétrico, rebatimento automático e desembaçador.

O veículo traz multimídia com 10,25″, painel de instrumentos com 12,3″ e câmera 360 graus de série que com sua alta definição, conta com quatro câmeras de ângulo amplo que permitem uma imagem mais nítida para observar obstáculos. Em vagas de estacionamento estreitas, por exemplo, as câmeras trabalham em conjunto com o sensor de estacionamento e exibem no multimídia guias estáticas e dinâmicas durante as manobras.

O modelo foi projetado para atender aos requisitos de 5 estrelas do China-NCAP, órgão equivalente ao Latin NCAP, contando também com seis airbags (frontais, laterais e de cortina).

Os freios são a disco nas quatro rodas e atuam em conjunto com os sistemas ABS (sistema de freio antitravamento) e EBD (distribuição eletrônica de frenagem). O pacote de segurança inclui ainda as tecnologias EBA, que habilita automaticamente o limite de desaceleração durante a frenagem de emergência; BOS (smart pedal), que identifica uma situação de emergência e desacelera o veículo quando os pedais do acelerador e freio são pressionados ao mesmo tempo; BAS, sistema de assistência à frenagem, que maximiza a atuação do ABS; e ESS, sistema de alerta de frenagem de emergência, que pisca as luzes de direção de ambos os lados (setas) para sinalizar aos motoristas que vêm atrás que está ocorrendo uma frenagem brusca. Conta ainda com freio de estacionamento eletrônico, Auto Hold, HDC (controle eletrônico de descida) e HHC (assistente de saída em aclives).

Os itens de assistência à direção também são pontos fortes, como sistemas como ATCT (alerta de trafego cruzado traseiro), que informa o motorista, ao acionar a marcha à ré, quando outro veículo está se aproximando, evitando colisões e tornando as manobras mais seguras; RCW (alarme de colisão traseira), que alerta o motorista em um aviso sonoro quando há risco eminente de colisão traseira; DOW (advertência de abertura de portas), que avisa sobre o risco de colisão ao abrir as portas; detector de ponto cego (BSD) e faróis de neblina dianteiros em LED com função de assistência em curvas, que melhora a visibilidade em manobras em até 40 Km/h.

O Tiggo 7 PRO estreia a cor Midnight Blue metalizada no portfólio da marca. O modelo também será comercializado nos tons Branco Perolizado, Preto Metálico, Prata Metálico e Cinza Metálico.

Confira um vídeo com o Caoa Chery Tiggo 7 PRO em

Texto: Sérgio Dias

Fotos: Divulgação

Continue Lendo

Populares