Na escola primária, aprendi que a Floresta Amazônica era o pulmão do mundo e que por isso era preciso a sua preservação. Tempos depois, outros disseram que essa função pertencia aos oceanos por conta das águas marinhas que são responsáveis por boa parte da produção de oxigênio, cerca de 54% de acordo com o Instituto Florestal Brasileiro.

Para o cientista Antonio Nobre (INPE) esse debate é inócuo, pois a mãe terra precisa de todos os seus órgãos funcionais para continuar a oferecer um lar cósmico confortável para nós. Ele chama a atenção para necessidade em corrigirmos a nossa relação com o meio ambiente, por conta do aumento da produção de gás carbono (CO²) na atmosfera.

Se calcularmos a diminuição da produção de oxigênio (O²), a diminuição do processo de fotossíntese promovido pelas folhas e o aumento do gás carbono (CO²) por conta do combustível fóssil e desmatamento, concluiremos que caminhamos para destruição. E se levar em conta a precarização dos órgãos de fiscalização e de combate a degradação das florestas e a predominância do falso discurso nacionalista e visão colonial de desenvolvimento agropecuarista, a perspectiva do desastre amplia.

As florestas são responsáveis por 80% da biodiversidade vegetal e animal terrestre (dados da FAO), mas ela está ameaçada pelo desmatamento, pela degradação florestal e pelas mudanças climáticas.

A mutação do sars cov 2 (covid-19) decorre desse desequilíbrio, afetando os aspectos biológicos e químicos existentes no sistema dos seres vivos. E a tendência é constante mutação e a teoria da evolução das espécies de Lamarck e Darwin estão mais vivas que nunca.

As florestas também influenciam diretamente no regime de chuvas e ofertas de água potável. Elas são fonte de alimentos, medicamentos e matérias-primas. Elas regulam o clima, estoca o carbono. Por isso, a técnica do manejo florestal sustentável é essencial para manter produção de oxigênio e retenção de gás carbono.

A cidade pode ajudar no equilíbrio ambiental, investindo em florestas urbanas e na arborização de praças e vias públicas, pois além da influência sobre o físico e a mente humana, promove bem-estar, pois atenua o sentimento de opressão típico das grandes cidades. Além disso, atenua o calor, absorve os ruídos, renova o oxigênio do ar pelo processo de fotossíntese, filtra partículas poluentes, contribui para reduzir o efeito das enchentes, além de atrair pássaros.

O Dia Internacional das Florestas, foi proclamada em 2012 pela Assembleia Geral das Nações Unidas e é comemorado no 21 de março. Sua finalidade? De Conscientizar toda a população a respeito da importância das florestas para todo o nosso planeta.

Por Márcio Ramos que é Sociólogo, Empreendedor Social, lecionou em escola pública e atualmente é agente legislativo da Câmara Municipal de Monte Mor.