21 de junho de 2024
São Paulo

Nova etapa do Detecta entra em operação para monitorar crimes

Sistema começa a operar com o 190 e 112 câmeras da PM; decreto facilita o acesso das polícias a câmeras de órgãos públicos e da iniciativa privada

A nova etapa do Detecta, sistema de monitoramento criminal, entra em operação. A fase inicial de implantação da ferramenta foi finalizada e agora tem à disposição informações de câmeras e do sistema do 190 para gerar 10 mil alertas para situações suspeitas.

“O Estado de São Paulo tem a primeira polícia no Brasil que associa automaticamente os seus bancos de dados de forma inteligente e em tempo real”, afirma o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira. “São Paulo é o primeiro Estado a utilizar uma ferramenta de Big Data no combate ao crime.”

O sistema de tecnologia de ponta, desenvolvido pela Microsoft, ajuda no patrulhamento, investigação, planejamento de combate a crimes e identificação dos padrões de delitos.

Esses alertas são os mesmos utilizados pela polícia de Nova York, que usa o sistema há sete anos. A ferramenta nunca havia sido utilizada fora da cidade norte-americana.

Desde que foi anunciado o Detecta há quatro meses foi feito um trabalho intenso para adaptação do sistema, com tradução e conversão de unidades de medida, como distância – de milhas para quilômetros – e moeda – de dólar para real”, explica o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Júlio Semeghini.

O Detecta já tem à disposição imagens de cerca de 112 câmeras da capital; o sistema do 190 (Polícia Militar) e do 193 (Bombeiros), ou seja, o SIOPM (Sistema de Informações Operacionais da PM); informações sobre veículos de interesse, aqueles que estão sendo acompanhados por uma investigação; e pessoas de interesse, aquelas que são acompanhadas por uma investigação.

O Governo do Estado está investindo R$ 9,7 milhões para que São Paulo tenha o sistema de monitoramento inteligente, além de R$ 7,3 milhões na aquisição de equipamentos. Quando o sistema estiver completo, São Paulo será a primeira unidade da federação a ter integrados os bancos de dados de suas polícias.

A apresentação desta etapa inicial do sistema nesta terça-feira (12) segue o cronograma previsto quando o Detecta foi anunciado em abril, com os primeiros resultados em funcionamento em quatro meses.

A Microsoft tem grande experiência em soluções para as áreas de defesa e segurança. São essas credenciais e o projeto implementado em Nova York que estamos colocando à disposição do Governo de São Paulo”, ressalta Mike McDuffie, vice-presidente de Serviços para Setor Público da Microsoft. “O Detecta está em linha com uma de nossas missões, que é atuar como facilitadora do acesso a tecnologias que ajudem a transformar a realidade em que vivemos.”

Casos

O Detecta já permite que um chamado para o telefone 190 crie automaticamente um alerta, que é apontado em um mapa com a exata localização informada. A partir disso, o sistema permite acessar com agilidade as câmeras disponíveis nas proximidades e registros de outros crimes que foram cometidos na região.

Um acidente de trânsito na Marginal Tietê que for informado ao Copom (Centro de Operações da PM), por exemplo, cria um alarme automático para o local. Com isso, o policial pode visualizar no mapa que há uma câmera próxima, com imagens da ocorrência que podem ajudar para que ela seja resolvida.

Implantação

O decreto que será assinado nesta terça-feira (12) desburocratiza o acesso da Secretaria da Segurança Pública (SSP) aos sistemas de videomonitoramento de outras instituições e empresas públicas estaduais e também de empresas concessionárias. Também facilita a celebração de convênios com órgãos públicos municipais e federais, além da iniciativa privada. A SSP já dispõe de protocolos de intenções com diversas entidades privadas, como associações de empresas de segurança privada, com vistas a compartilhamento de imagem, o que agora fica mais fácil de ser concretizado.

Além disso, a implantação do sistema continua com a inclusão de fontes de dados restantes. Até o fim do mês, o Detecta terá incorporado as 593 câmeras que a PM tem acesso em todo Estado – 418 próprias da PM e 173 da GCM da capital – e chegará a mais de 1 mil apenas na capital com a aquisição de novas câmeras. Serão integrados ainda os sistemas do RDO (Registro Digital de Ocorrência), com os boletins de ocorrência; sistema de fotos de criminosos (Fotocrim); pessoas procuradas; pessoas desaparecidas; os sistemas do Detran com leitores de placas e cadastro da Carteira Nacional de Habilitação (CNH); registro de veículos e o registro de veículos furtados e roubados.

A SSP pretende incluir também câmeras de outros órgãos e empresas públicas, concessionárias, além de câmeras de empresas privadas instaladas em locais públicos. As imagens e os radares da CET também poderão fazer parte do Detecta a partir de um convênio com a prefeitura.

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98