Connect with us

Policial

Zelador de escola é acusado de abuso sexual por alunos

Publicado

em

O caso aconteceu em uma escola no Jardim Everest; Aproximadamente 30 pessoas protestaram na porta do estabelecimento de ensino.

Escola Jardim Everest

O zelador P. R. M., de 52 anos, está sendo acusado por três alunos da Escola Estadual Hedy Madalena Bocchi, no Jardim Everest, em Hortolândia, de tentativa de estupro. Segundo os alunos, identificados como Y. C. S., de 16 anos, M. B. R. S., de 13 anos, e I. C. C., também com 13 anos, o suposto pedófilo teria se “esfregado” neles, além de mostrar os órgãos genitais e oferecer dinheiro em troca de sexo. O caso teria acontecido na tarde do dia 25, mas só foi descoberto na manhã de quarta-feira. Revoltados com a situação, aproximadamente 30 pais de alunos, realizaram um protesto em frente à escola cobrando uma atitude dos dirigentes da unidade. O protesto aconteceu na noite de quarta-feira.

Segundo informações da Polícia Militar, na manhã de quarta-feira, os responsáveis pelos alunos acionaram os policiais até a escola, onde informaram que o zelador, e também caseiro, estaria se insinuando para seus filhos.

Ainda segundo os pais dos alunos, o zelador estaria aproveitando momentos em que ficaria sozinho com os menores e mostrando o órgão genitor para os meninos. As vítimas ainda afirmaram que P. teria oferecido dinheiro para que os adolescentes fizessem sexo oral nele, levando-os para os fundos da escola, onde teria se esfregado nos estudante. Uma testemunha que trabalha na escola teria visto o zelador junto com os adolescentes no fundo do estabelecimento de ensino.

TENTATIVAS

Os menores teriam relatado aos policiais que no mês de junho, durante uma atividade extracurricular realizada em um sábado, I. e M. foram até os fundos da escola para pegar goiaba. O averiguado teria seguido os meninos e começado a se esfregar neles. Assustados com a situação, os meninos se afastaram o funcionário e foram embora.

No dia seguinte, domingo, também durante uma atividade extra, o averiguado teria pedido para que M. o ajudasse a pegar algumas cadeiras que estavam dentro de uma sala de aula. De acordo com a vítima, ao entrar na sala, o acusado teria trancado a porta, obrigando-o a masturbá-lo. O menor se negou a obedecer ao zelador, momento em que I. bateu na porta chamando pelo amigo. O averiguado então destrancou a porta e deixou o adolescente sair.

MANIFESTAÇÃO

Ao saberem do suposto abuso, os pais dos alunos registraram um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia de Hortolândia. O caso foi registrado como tentativa de estupro de vulnerável e será investigado pela Polícia Civil do Município.

Os responsáveis, revoltados com a história, reuniram um grupo de aproximadamente 30 pessoas e realizaram uma manifestação em frente ao estabelecimento de ensino. A equipe de reportagem tentou contato com algum participante do protesto, mas até a publicação desta reportagem ninguém foi encontrado.

Os manifestantes queimaram pneus em frente ao estabelecimento de ensino e bloquearam a rua, impedindo a entrada de aproximadamente 100 alunos. Alguns vândalos aproveitaram a situação e picharam o muro da escola, em diversos pontos, com a palavra “pedófilo”.

A Polícia Militar foi acionada mais uma vez e, para manter a integridade física do acusado, foi obrigada a retirar do local, do qual também era caseiro, e levá-lo para o Plantão Policial de Hortolândia.

Após o registro de um complemento do primeiro BO, o acusado foi levado para a casa de um familiar, onde aguardará ser chamado pela Polícia Civil para prestar depoimentos.

As aulas no estabelecimento foram realizadas normalmente no dia de ontem, quinta-feira, no entanto, sob escolta policial. Funcionários o estabelecimento tentaram apagar as pichações, mas a depredação continua nos muros e nos arredores do colégio. O caso segue em investigação.

Reportagem: Thiago Alves | Hortolândia


Policial

Mãe teria enviado drogas em margarina para detento em Hortolândia

Publicado

em

Mãe de custodiado teria enviado as drogas para PIII de Hortolândia 

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que policiais penais da PIII de Hortolândia encontraram 75 micropontos de LSD e uma folha contendo droga sintética M4 escondidos em um fundo falso de pote de margarina enviados pela mãe de um custodiado. O flagrante ocorreu ontem, 8, durante o procedimento de revista das mercadorias.  

O material apreendido foi encaminhado para a delegacia, e o preso que receberia os itens pessoais foi isolado preventivamente para procedimentos disciplinar.

A SAP informa que as pessoas as quais são flagradas tentando inserir materiais proibidos nas unidades prisionais são suspensas do rol de visitas temporariamente.  

Continue Lendo

Policial

CPFL emite nota sobre o ocorrido na base em Sumaré

Publicado

em

policia

Em virtude de um áudio com informações relacionadas ao roubo ocorrido na base da CPFL em Sumaré, no dia 03/08/2022, que está em circulação em grupos de WhatsApp.

A CPFL esclarece que os funcionários que prestam serviços sempre comparecem devidamente identificados com crachás, uniformes, veículo com identificação da empresa e com ordem de serviço para a execução da atividade, contudo, caso o cliente ainda tenha dúvidas, pode entrar em contato por meio dos canais de atendimento, entre eles, o 0800 010 1010 (CPFL Paulista), e informar o número da nota de serviços e confirmar a autenticidade da mesma com o atendente.

Caso não seja possível realizar a confirmação no momento, a orientação da empresa é de que o cliente não permita a execução do serviço e não assine ou entregue qualquer documento.

Continue Lendo

Policial

Pediatra é preso em Monte Mor por suspeita de abusar de adolescente de Hortolândia 

Publicado

em

Por

Um médico pediatra de 65 anos foi preso na última sexta-feira (5) em Monte Mor por suspeita de abuso sexual a um adolescente de 14 anos durante o atendimento em Hortolândia. Ele foi conduzido à delegacia e após ser ouvido foi levado para uma penitenciária em Sorocaba. 

O médico foi alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no último dia (3) pela 1ª Vara Criminal de Hortolândia, e foi localizado atendendo em uma clínica em Monte Mor. O advogado do pediatra informou que a prisão foi infundada e arbitrária, e destacou que irá se manifestar sobre o conteúdo das investigações somente no processo.

Foi instaurado um inquérito em 3 de janeiro pelo 1º Distrito Policial de Hortolândia. A Segunda Promotoria de Justiça da cidade acompanha o caso, que está em segredo de Justiça. 

O médico atuava em clínicas particulares nas cidades de Monte Mor e Hortolândia. A Justiça que fez o pedido de prisão preventiva, investiga o crime de estupro contra vulnerável. 

A Secretaria de Saúde em Hortolândia informou através de nota que o médico foi servidor da cidade, em junho e está aposentado desde então. “A administração municipal está à disposição das demais autoridades para colaborar com a investigação”, diz o texto.

Em Monte Mor o médico atendia na cidade, mas não atuava na rede pública.

Continue Lendo

Populares