Connect with us

Policial

Polícia caça mais dois assaltantes de carro-forte

Publicado

em

Onze pessoas foram presas acusados de envolvimento nos 14 assaltos nas cidades da região

reproducao policia civil

A polícia divulgou nesta quarta-feira (21/08) as fotos de Vilson Ribeiro dos Santos e Diego de Jesus

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas está à caça de dois integrantes de uma quadrilha especializada em roubo a carro-forte e sequestro de familiares de funcionários de empresa de transporte de valores na região.

Desde o início do ano o grupo já promoveu sete ataques em Campinas e outros sete na região metropolitana. Em grande parte das ações eles conseguiram roubar valores acima de R$ 1 milhão.

O aumento dos casos é tão alarmante que no final do mês passado a Câmara de Campinas sediou uma audiência pública para discutir o assunto com as forças policiais do município.

Ao todo, onze pessoas foram presas até agora. A polícia divulgou nesta quarta-feira (21) as fotos de Vilson Ribeiro dos Santos e Diego de Jesus, identificados nesta semana.

Reproduções Polícia Civil Campinas

Um dos cativeiros utilizados pela quadrilha localizado em Hortolândia também foi apresentado. A polícia acredita que o grupo seja formado por cerca de 20 integrantes.

Eles são divididos em células (quadrilhas menores) espalhadas em cidades da região. Cada uma tem uma função diferente dentro do grupo.

Identificados

Segundo as investigações, os dois identificados são responsáveis por vigiar a movimentação da empresa e pela escolha da vítima. Eles também fazem o sequestro e o transporte das vítimas até o cativeiro.

De acordo com a polícia, os acusados ameaçam as vítimas, a todo momento, durante o confinamento e agem de forma violenta.

Santos é de Monte Mor e, Jesus, de Campinas. Os dois têm passagens pela polícia por roubo e são considerados foragidos da Justiça.

O último integrante da quadrilha a ser preso foi Júlio César dos Santos. Ele foi detido no último domingo (18), em Monte Mor, quando caminhava próximo a sua casa. Ele também é acusado de ser responsável pelo sequestro das vitimas.

No final do mês passado, também em Monte Mor, a polícia prendeu um dos chefes da quadrilha, identificado como Antônio Marques da Silva Souza, de 38 anos. Ele é conhecido como ‘Tonho do Morro’ e trabalhou por 10 anos na Prosegur, empresa de transporte de valores, vítima dos ataques. Com ele foi apreendido armamento de grosso calibre e droga.

Modo de operação

Nesta quarta, a Polícia Civil fez um balanço da investigação do caso e informou que uma única quadrilha, dividida em células independentes, é a responsável pelo número alto de ataques.

De acordo com as investigações, os bandidos levam um mês para escolher a vítima na empresa de valores e promover a ação, na maioria das vezes, no inicio do mês quando os veículos carregam maior quantidade de dinheiro.

O grupo costuma escolher um vigilante do carro-forte, e começa a segui-lo para entender sua rotina e de sua família.

O vigilante é sequestrado na véspera da ação e, junto com sua família, é levado para um cativeiro para passar a noite.

No dia seguinte ele recebe um celular para trabalhar normalmente e um veículo com os criminosos passa a acompanhar o carro-forte.

Em determinado local ele é obrigado a anunciar o sequestro para os companheiros do trabalho que são obrigados a retirar de dentro do carro-forte os malotes com dinheiro e jogar em um terreno, na maioria das vezes, no entorno de rodovias. O veículo que vem na sequência para no local e recolhe os malotes.

cativeiro reproduções policia civilA polícia apresentou um dos cativeiros, localizado em uma favela atrás do Complexo Penitenciário Campinas-Hortolândia.

No local, no mês passado, um vigilante, sua mulher e dois filhos foram mantidos reféns pelos criminosos. A casa é pequena e possuía apenas um colchão velho.

Quem tiver informações sobre os foragidos ou qualquer dado de criminosos que pertencem a essa quadrilha a Polícia Civil disponibilizou o telefone 3231-1050 para denúncia anônimas e também os números 181 e Disque-Denúncia 3236-3040.

Fonte: Correio Popular/RAC


Policial

Mãe teria enviado drogas em margarina para detento em Hortolândia

Publicado

em

Mãe de custodiado teria enviado as drogas para PIII de Hortolândia 

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que policiais penais da PIII de Hortolândia encontraram 75 micropontos de LSD e uma folha contendo droga sintética M4 escondidos em um fundo falso de pote de margarina enviados pela mãe de um custodiado. O flagrante ocorreu ontem, 8, durante o procedimento de revista das mercadorias.  

O material apreendido foi encaminhado para a delegacia, e o preso que receberia os itens pessoais foi isolado preventivamente para procedimentos disciplinar.

A SAP informa que as pessoas as quais são flagradas tentando inserir materiais proibidos nas unidades prisionais são suspensas do rol de visitas temporariamente.  

Continue Lendo

Policial

CPFL emite nota sobre o ocorrido na base em Sumaré

Publicado

em

policia

Em virtude de um áudio com informações relacionadas ao roubo ocorrido na base da CPFL em Sumaré, no dia 03/08/2022, que está em circulação em grupos de WhatsApp.

A CPFL esclarece que os funcionários que prestam serviços sempre comparecem devidamente identificados com crachás, uniformes, veículo com identificação da empresa e com ordem de serviço para a execução da atividade, contudo, caso o cliente ainda tenha dúvidas, pode entrar em contato por meio dos canais de atendimento, entre eles, o 0800 010 1010 (CPFL Paulista), e informar o número da nota de serviços e confirmar a autenticidade da mesma com o atendente.

Caso não seja possível realizar a confirmação no momento, a orientação da empresa é de que o cliente não permita a execução do serviço e não assine ou entregue qualquer documento.

Continue Lendo

Policial

Pediatra é preso em Monte Mor por suspeita de abusar de adolescente de Hortolândia 

Publicado

em

Por

Um médico pediatra de 65 anos foi preso na última sexta-feira (5) em Monte Mor por suspeita de abuso sexual a um adolescente de 14 anos durante o atendimento em Hortolândia. Ele foi conduzido à delegacia e após ser ouvido foi levado para uma penitenciária em Sorocaba. 

O médico foi alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no último dia (3) pela 1ª Vara Criminal de Hortolândia, e foi localizado atendendo em uma clínica em Monte Mor. O advogado do pediatra informou que a prisão foi infundada e arbitrária, e destacou que irá se manifestar sobre o conteúdo das investigações somente no processo.

Foi instaurado um inquérito em 3 de janeiro pelo 1º Distrito Policial de Hortolândia. A Segunda Promotoria de Justiça da cidade acompanha o caso, que está em segredo de Justiça. 

O médico atuava em clínicas particulares nas cidades de Monte Mor e Hortolândia. A Justiça que fez o pedido de prisão preventiva, investiga o crime de estupro contra vulnerável. 

A Secretaria de Saúde em Hortolândia informou através de nota que o médico foi servidor da cidade, em junho e está aposentado desde então. “A administração municipal está à disposição das demais autoridades para colaborar com a investigação”, diz o texto.

Em Monte Mor o médico atendia na cidade, mas não atuava na rede pública.

Continue Lendo

Populares