Connect with us

Policial

Moradora de rua é encontrada morta em córrego de Hortolândia

Publicado

em

Mulher possuía sinais de estrangulamento

Moradora de rua é encontrada morta em córrego de Hortolândia

Uma moradora de rua, identificada como Silvana Teodoro da Silva, de 23 anos, foi encontrada morta dentro do Ribeirão Jacuba, no Jardim Nova Hortolândia, em Hortolândia. O corpo foi encontrado pelo amásio da vítima, o operador de máquinas D. S. M., de 23 anos. Ele teria afirmado aos policiais que ele, a esposa, e um homem, identificado apenas como D. C. C., haviam feito o uso de crack. O corpo foi encontrado por volta das 19h de terça-feira.

De acordo com o boletim de ocorrência, em depoimento, o amásio de Silvana afirmou que estava usando drogas na companhia de um amigo, momento em que as pedras de crack acabaram e o operador resolveu sair para comprar mais.

Para não se exporem, o trio estava usando o crack em um matagal, às margens do Ribeirão Jacuba. O operador então saiu para comprar drogas e deixou a amásia sozinha com o amigo.

DESAPARECIMENTO

O operador tentou comprar mais crack, no entanto, não conseguiu encontrar em lugar nenhum. Por volta das 4h da manhã de terça-feira, o amásio voltou para o matagal, onde encontrou apenas o amigo sentado.

Ao indagar o amigo sobre a amásia, ele foi informado que ela teria saído para buscar água. Como não havia encontrado mais drogas, o rapaz resolveu dormir e pediu para que o amigo avisasse a vítima.

Por volta das 16h, o operador teria acordado e percebido que sua amásia ainda não havia retornado, ficando preocupado com a situação.

D. C. C. resolveu sair para procurar a mulher, caminhando pela margem do ribeirão, onde encontrou o corpo da vítima, já sem vida. A mulher estava com um pano preto enrolado no pescoço, o que levou a Polícia Civil acreditar que se tratava de um homicídio.

AUTORIDADE

A Polícia Militar e Civil foi acionada e esteve no local, onde colheu o depoimento do operador. Os agentes foram até a residência do amigo do casal, também no Jardim Nova Hortolândia, mas ninguém foi encontrado.

Para evitar que a correnteza levasse o corpo, os moradores do bairro amarraram o cadáver da vítima em uma corda, mantendo-a presa até a chegada do Corpo de Bombeiros, que retirou a vítima da água.

O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico legal), em Americana, onde passou por exames necroscópicos. O caso foi registrado no Plantão Policial e será investigado através de inquérito pela Polícia Civil. Até o fechamento desta edição, nenhum responsável pelo crime havia sido identificado.

SEGUNDO CASO

Essa foi a segunda moradora de rua morta em apenas um mês. Uma mulher identificada como Aline Sampaio da Silva, foi encontrada morta na Rua Zorico Domingues Pereira, no Jardim Volobueff, em Sumaré, na manhã do dia 2. O corpo apresentava um ferimento no pescoço, provavelmente causado por estrangulamento, mas não foi comprovado se o caso se trata de um homicídio. O corpo estava caído em via pública.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 8h10, moradores encontraram o corpo caído e acionaram a PM. Os policiais não encontraram documentos com a vítima, que foi identificada apenas por testemunhas.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e esteve no local, onde constatou o óbito da vítima. A perícia técnica do IC (Instituto de Criminalística), de Americana, esteve no local. Nada que pudesse indicar a ferramenta que provocou o ferimento foi encontrada pela perícia. O corpo foi encaminhado para exames necroscópicos no IML (Instituto Médico legal), em Americana.

O caso foi registrado no 3º Distrito Policial de Sumaré, que investigará o caso, registrado como morte suspeita. A hipótese de homicídio não foi descartada, segundo a Polícia civil.

Reportagem: Thiago Alves | Hortolândia



Policial

Mãe teria enviado drogas em margarina para detento em Hortolândia

Publicado

em

Mãe de custodiado teria enviado as drogas para PIII de Hortolândia 

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que policiais penais da PIII de Hortolândia encontraram 75 micropontos de LSD e uma folha contendo droga sintética M4 escondidos em um fundo falso de pote de margarina enviados pela mãe de um custodiado. O flagrante ocorreu ontem, 8, durante o procedimento de revista das mercadorias.  

O material apreendido foi encaminhado para a delegacia, e o preso que receberia os itens pessoais foi isolado preventivamente para procedimentos disciplinar.

A SAP informa que as pessoas as quais são flagradas tentando inserir materiais proibidos nas unidades prisionais são suspensas do rol de visitas temporariamente.  

Continue Lendo

Policial

CPFL emite nota sobre o ocorrido na base em Sumaré

Publicado

em

policia

Em virtude de um áudio com informações relacionadas ao roubo ocorrido na base da CPFL em Sumaré, no dia 03/08/2022, que está em circulação em grupos de WhatsApp.

A CPFL esclarece que os funcionários que prestam serviços sempre comparecem devidamente identificados com crachás, uniformes, veículo com identificação da empresa e com ordem de serviço para a execução da atividade, contudo, caso o cliente ainda tenha dúvidas, pode entrar em contato por meio dos canais de atendimento, entre eles, o 0800 010 1010 (CPFL Paulista), e informar o número da nota de serviços e confirmar a autenticidade da mesma com o atendente.

Caso não seja possível realizar a confirmação no momento, a orientação da empresa é de que o cliente não permita a execução do serviço e não assine ou entregue qualquer documento.

Continue Lendo

Policial

Pediatra é preso em Monte Mor por suspeita de abusar de adolescente de Hortolândia 

Publicado

em

Por

Um médico pediatra de 65 anos foi preso na última sexta-feira (5) em Monte Mor por suspeita de abuso sexual a um adolescente de 14 anos durante o atendimento em Hortolândia. Ele foi conduzido à delegacia e após ser ouvido foi levado para uma penitenciária em Sorocaba. 

O médico foi alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no último dia (3) pela 1ª Vara Criminal de Hortolândia, e foi localizado atendendo em uma clínica em Monte Mor. O advogado do pediatra informou que a prisão foi infundada e arbitrária, e destacou que irá se manifestar sobre o conteúdo das investigações somente no processo.

Foi instaurado um inquérito em 3 de janeiro pelo 1º Distrito Policial de Hortolândia. A Segunda Promotoria de Justiça da cidade acompanha o caso, que está em segredo de Justiça. 

O médico atuava em clínicas particulares nas cidades de Monte Mor e Hortolândia. A Justiça que fez o pedido de prisão preventiva, investiga o crime de estupro contra vulnerável. 

A Secretaria de Saúde em Hortolândia informou através de nota que o médico foi servidor da cidade, em junho e está aposentado desde então. “A administração municipal está à disposição das demais autoridades para colaborar com a investigação”, diz o texto.

Em Monte Mor o médico atendia na cidade, mas não atuava na rede pública.

Continue Lendo

Populares