Connect with us

Policial

Discussão por causa de gata deixa mulher careca

Publicado

em

Luzia de Oliveira chamou a gatinha Magrela, mas jovens acharam que ela provocou a mãe

tufo de cabelo_mini

Uma discussão entre vizinhas no Jardim Adelaide, em Hortolândia, na tarde desta sexta-feira (6), terminou com a ajudante geral L. M. O., 44 anos, careca. A briga começou por causa do nome da gata da vítima, a Magrela, que duas moças, de 25 e 29 anos, entenderam como provocação à mãe delas, que é pequenina e pesa só 40kg. Furiosas, as jovens partiram para a agressão a Luzia e arrancaram um tufo de cabelo que daria pra fazer uma peruca.

O caso foi parar no 1º DP e as jovens vão responder em liberdade por lesão corporal.

O caso começou por volta do meio-dia, quando Luzia lavava a calçada. Sapeca, a gata foi passear na rua e a auxiliar gritou: “Magrela, entra pra casa”. As moças estavam no quintal, ouviram o grito e tomaram as dores da mãe, achando que foi provocação.

“Elas já chegaram agredindo. Uma grudou no meu cabelo e a outra deu socos”, contou a vítima. A dupla só parou depois que cansou de bater na mulher, que ligou para o marido pedindo socorro.

Luzia disse que chama a gata de Magrela porque não acha legal dar nome de gente para animal. Além disso, ela diz que uma amiga tem uma gata que se chama Gorda. Daí veio a inspiração.

Provocação

A mãe das moças, Maria Helena Campos Guedes, 51 anos, acredita que Luzia apelidou a gata de Magrela só para provocá-la. “Tenho vários problemas de saúde e esse apelido é para me atingir. Minhas filhas perderam a cabeça para me defender. Só quero respeito”, explicou.

Fonte: Correio Popular / RAC


Policial

Mãe teria enviado drogas em margarina para detento em Hortolândia

Publicado

em

Mãe de custodiado teria enviado as drogas para PIII de Hortolândia 

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que policiais penais da PIII de Hortolândia encontraram 75 micropontos de LSD e uma folha contendo droga sintética M4 escondidos em um fundo falso de pote de margarina enviados pela mãe de um custodiado. O flagrante ocorreu ontem, 8, durante o procedimento de revista das mercadorias.  

O material apreendido foi encaminhado para a delegacia, e o preso que receberia os itens pessoais foi isolado preventivamente para procedimentos disciplinar.

A SAP informa que as pessoas as quais são flagradas tentando inserir materiais proibidos nas unidades prisionais são suspensas do rol de visitas temporariamente.  

Continue Lendo

Policial

CPFL emite nota sobre o ocorrido na base em Sumaré

Publicado

em

policia

Em virtude de um áudio com informações relacionadas ao roubo ocorrido na base da CPFL em Sumaré, no dia 03/08/2022, que está em circulação em grupos de WhatsApp.

A CPFL esclarece que os funcionários que prestam serviços sempre comparecem devidamente identificados com crachás, uniformes, veículo com identificação da empresa e com ordem de serviço para a execução da atividade, contudo, caso o cliente ainda tenha dúvidas, pode entrar em contato por meio dos canais de atendimento, entre eles, o 0800 010 1010 (CPFL Paulista), e informar o número da nota de serviços e confirmar a autenticidade da mesma com o atendente.

Caso não seja possível realizar a confirmação no momento, a orientação da empresa é de que o cliente não permita a execução do serviço e não assine ou entregue qualquer documento.

Continue Lendo

Policial

Pediatra é preso em Monte Mor por suspeita de abusar de adolescente de Hortolândia 

Publicado

em

Por

Um médico pediatra de 65 anos foi preso na última sexta-feira (5) em Monte Mor por suspeita de abuso sexual a um adolescente de 14 anos durante o atendimento em Hortolândia. Ele foi conduzido à delegacia e após ser ouvido foi levado para uma penitenciária em Sorocaba. 

O médico foi alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no último dia (3) pela 1ª Vara Criminal de Hortolândia, e foi localizado atendendo em uma clínica em Monte Mor. O advogado do pediatra informou que a prisão foi infundada e arbitrária, e destacou que irá se manifestar sobre o conteúdo das investigações somente no processo.

Foi instaurado um inquérito em 3 de janeiro pelo 1º Distrito Policial de Hortolândia. A Segunda Promotoria de Justiça da cidade acompanha o caso, que está em segredo de Justiça. 

O médico atuava em clínicas particulares nas cidades de Monte Mor e Hortolândia. A Justiça que fez o pedido de prisão preventiva, investiga o crime de estupro contra vulnerável. 

A Secretaria de Saúde em Hortolândia informou através de nota que o médico foi servidor da cidade, em junho e está aposentado desde então. “A administração municipal está à disposição das demais autoridades para colaborar com a investigação”, diz o texto.

Em Monte Mor o médico atendia na cidade, mas não atuava na rede pública.

Continue Lendo

Noticias

Populares