Connect with us

Monte Mor

Professor Fio reclama que prefeitura não viabilizou atuação voluntária do Desportivo Monte Mor

Publicado

em

O vereador Professor Fio (PTB) afirmou na segunda-feira (25), na sessão ordinária, que a prefeitura não viabilizou o espaço para atuação do Desportivo Monte Mor, time que pretendia “fazer um trabalho voluntário na cidade, com escolinhas, categoria de base”.

Em pronunciamento no Plenário, Professor Fio afirmou que fez interlocuções com o Poder Executivo, “desde o ano passado”. “Fizemos toda a documentação, para também utilizar o espaço […] daquele campo do Sam Remo, que está abandonado”, disse.

O parlamentar criticou a prefeitura por, “até hoje”, não ter liberado o espaço, apesar da concretização dos trâmites legais. Segundo ele, integrantes do time afirmam que não receberam nenhum retorno, apesar das promessas feitas anteriormente pelo Executivo.

COLINA

Fio também destacou que, acompanhado de Vitor Gabriel (PSDB) e Altran (MDB), esteve no bairro Jardim Colina. E salientou que as necessidades de manutenção dizem respeito a todas as ruas. “Há Colina I, II, III. Há muito trabalho a se fazer”, afirmou. “Quando se faz [melhorias em] um bairro, se faz um bairro [inteiro]. Não se pode ir lá, arrumar duas ruas, tirar fotos, e falar: estamos arrumando o Colina. O Colina é mais do que duas ruas”, criticou.

Fonte: Câmara de Monte Mor

Monte Mor

Sabesp recebe pedido melhorias de Monte Mor

Publicado

em

Equipe administrativa da Prefeitura de Monte Mor recebe representantes da Sabesp para entrega de ofício solicitando melhorias nas demandas da rede de esgoto de bairros de Monte Mor e faz visita às obras no bairro Colina I 

O Prefeito de Monte Mor, Edivaldo Brischi, tem se reunido com a equipe da Sabesp para solicitar melhorias nas demandas da rede de esgoto de alguns bairros da cidade. Em encontro em seu gabinete, o prefeito realizou reunião entregando, em conjunto com sua equipe de secretários de Meio Ambiente e Agricultura, Bruno Ross Matheus, de Planejamento e Obras, Alexandre Campos, e do procurador do município, Mário Cezar Franco Júnior, ofício requerendo avanços nessa área, para beneficiar a população.

Para o prefeito, as obras a serem executadas devem vir ao encontro dos interesses do nosso município. Temos várias necessidades e demandas para atender os bairros e essa é tão essencial como muitas outras. Buscamos atuar de todas as formas e nossos esforços em conjunto com o trabalho da concessionária, logo se tornarão realidade em benfeitoria para alguns dos bairros de Monte Mor.

Participaram da iniciativa, o presidente da Câmara Municipal, Alexandre Pinheiro (PTB); e os vereadores Pavão da Academia (MDB); Professor Adriel (PT); Andrea Garcia (PTB); e Camila Hellen (Republicanos).

O ofício foi recebido pelos representantes da Sabesp, o gerente de setor operacional, Evandro Thomé; o superintendente, Antônio Carlos Teixeira; e a gerente de divisão, Vanessa Egidio Pereira, que firmaram o compromisso de analisar as demandas apresentadas pelo poder executivo de Monte Mor e atender o mais prontamente possível, a população dos bairros em questão, San Remo, São Rafael, São Clemente e Colina I, II e III.

O Prefeito Edivaldo Brischi tem acompanhado de perto o andamento das obras na rede de esgoto, que estão sendo feitas pela equipe da Sabesp, e foi pessoalmente ao bairro Colina I, na rua 13, em Monte Mor. E aproveitou a ocasião para conversar com populares sobre o trabalho que está sendo realizado. Ele foi recebido no local pelo gerente de setor operacional, representante da Sabesp, Evandro Thomé.

A visita contou ainda com a presença dos secretários de Planejamento e Obras, Alexandre Campos, de Meio Ambiente e Agricultura, Bruno Ross Matheus, e dos vereadores Andrea Garcia (PTB), Camila Hellen (Republicanos) e Pavão da Academia (MDB). Também por Thiago de Souza, morador do Colina I, que esteve, acompanhado por Pedro Paulo Castillo, no começo do mês de maio no gabinete do prefeito, para apresentar ao chefe do poder executivo algumas demandas de moradores desta região em específico.

Continue Lendo

Monte Mor

Vagas de emprego no PAT Monte Mor

Publicado

em

emprego

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Monte Mor comunica que estão abertas vagas de emprego. Os interessados devem encaminhar CURRÍCULO e PRETENSÃO SALARIAL para o e-mail patsrh@montemor.sp.gov.br. Deve constar no assunto do e-mail, como assunto, A VAGA DE INTERESSE. 

PAT Monte Mor, atendimento e contatos, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, avenida Jânio Quadros, nº 1597, Jardim Santo Antônio. Telefone e Whatsapp: 19.3879-9886 / https://wa.me/message/6BVWWTS3CHNUD1

VAGAS: 

AUXILIAR DE PRODUÇÃO – 5 VAGAS
experiência mínima de 6 meses na função

AUXILIAR DE EXPEDIÇÃO – 5 VAGAS
experiência mínima de 6 meses na função

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO PARA EXPEDIÇÃO – 3 VAGAS
experiência mínima de 6 meses na função

CONFERENTE – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

OPERADOR DE EMPILHADEIRA – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

MECÂNICO – 3 VAGAS
experiência mínima de 6 meses na função

TÉCNICO ELETRÔNICO – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

LÍDER MANUTENÇÃO ELÉTRICA – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

PORTEIRO – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

TÉCNICO DE SEGURANÇA NO TRABALHO – 1 VAGA
experiência mínima de 6 meses na função

OPERADOR DE TELEMARKETING – 50 VAGAS
maiores de 18 anos / ensino médio completo ou cursando / não exige experiência

Continue Lendo

Monte Mor

Plenário rejeita pedido de cassação do prefeito de Monte Mor. Processo é arquivado

Publicado

em

O Plenário da Câmara rejeitou os dois itens do processo que pedia a cassação do prefeito Edivaldo Brischi (PTB). A decisão foi tomada pelos vereadores, em sessão de julgamento que durou ao todo mais de 14 horas – começou às 9h desta quinta-feira (31) e se estendeu até aproximadamente às 00h40 desta sexta-feira (1º de abril). Com isso, o processo foi arquivado e o resultado será comunicado à Justiça Eleitoral. Veja neste link a relação nominal dos votos. 

Conforme relatório final da Comissão Processante, dois itens do Decreto Lei 201/67 precisavam ser apreciados pelos parlamentares. Eles tratavam das seguintes infrações político-administrativas: “praticar, contra expressa disposição de lei, ato de sua competência ou omitir-se na sua prática”; e “omitir-se ou negligenciar na defesa de bens, rendas, direitos ou interesses do Município sujeito à administração da Prefeitura”.

Em ambos os  itens, houve 9 votos favoráveis (ou seja, concordando que o prefeito cometeu tais infrações e, nesse sentido, deveria ser cassado) e 6 contrários (ou seja, opinando pela absolvição do chefe do Poder Executivo, o que veio a ocorrer nesta madrugada). Brischi seria cassado caso fosse declarado culpado por qualquer uma das duas infrações, pelo voto de 2/3 dos vereadores (ou seja, pelo menos 10 votos favoráveis), o que ocasionaria o imediato afastamento do cargo.

Durante a tarde e também no período da noite, foram registradas manifestações populares no entorno da Câmara. Os presentes portavam cartazes de apoio aos vereadores e, também, com pedidos pela cassação do chefe do Poder Executivo. Adesivos com os dizeres “Fora Edivaldo Brischi” também foram afixados em postes, muros e até nos bancos da praça Coronel Domingos Ferreira, que fica nas imediações da Câmara. A reportagem não visualizou, nos atos na rua do Poder Legislativo, manifestações de apoiadores do prefeito. 

Os 15 vereadores participaram da sessão de julgamento. A maior parte do tempo de trabalho foi ocupada pela leitura da íntegra de trechos do processo, que, ao todo, tem mais de 1.200 páginas. Os vereadores Professor Adriel (PT), Bruno Leite (DEM) e Pavão da Academia (MDB) se revezaram na leitura de cerca de 200 páginas, escolhidas por vereadores, conforme previsão legal. Só esse procedimento de leituras durou até meados da noite. 

Na sequência, os parlamentares puderam discursar por até 15 minutos cada (assista aos vídeos neste link do Facebook; e, em breve, conteúdo em texto com os resumos). Em falas, algumas vezes exaltadas e até emocionadas, eles defenderam seus pontos de vista. Posteriormente, o advogado do prefeito, Danyel da Silva Maia, teve momento para exposição oral e defesa (veja aqui, no trecho a partir de 2h29). Brischi não compareceu à Câmara.

Segundo a Guarda Civil Municipal (GCM), a corporação manteve viaturas em tempo integral para garantir a “segurança e a tranquilidade e o Estado democrático de todos durante a sessão”. “Houve manifestação pacífica com cartazes, de aproximadamente 20 pessoas, não houve nenhum ato violento relacionado aos manifestantes, e os vereadores puderam executar seus trabalhos sem problemas”, afirma o comandante Adriano Vieira Serra. Cerca de 12 guardas municipais foram destacados para a atividade.

Continue Lendo

Populares