O Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas) decidiu nesta sexta-feira, por unanimidade, a adoção do toque de recolher no período das 20h às 5h, em todas as cidades da região. A medida passa a valer ainda nesta sexta (19). Segundo a decisão dos prefeitos reunidos no colegiado, as regras do toque de recolher regional serão as mesmas já adotadas pela Prefeitura de Campinas.  

Por outro lado, os chefes do Poder Executivo descartaram adotar lockdown – ao menos até o fim da Fase Emergencial do Plano São Paulo, que vai até o dia 31 deste mês – e antecipar feriados, como fez a Capital. Uma nova reunião do Conselho foi marcada para a próxima quarta, às 9h, de forma virtual, para avaliar o cenário da pandemia do novo coronavírus.

A reunião dos prefeitos foi organizada pela Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas) e aconteceu na Prefeitura de Campinas. Participaram presencialmente os prefeitos Gustavo Reis (Jaguariúna) – que é o presidente em exercício do Conselho -, Dário Saad (Campinas), Nilson Gaspar (Indaiatuba), Júnior Felisbino (Cosmópolis), Marcos de Oliveira (Morungaba), Claudio José Schooder (Nova Odessa), José Nazareno Gomes (Hortolândia – em exercício), Capitã Lucimara (Valinhos), Dário Pacheco (Vinhedo), José Lolli (Santo Antonio de Posse), Edivaldo Brischi (Monte Mor), Fernando Capato (Holambra), Thomaz Capeletto (Itatiba), Lucas Sia (Artur Nogueira) e Zeedevaldo Miranda (Engenheiro Coelho), bem como o diretor-executivo da Agemcamp, Benjamim Bill Vieira de Souza. Virtualmente, participaram da reunião os prefeitos Chico Sardelli (Americana), Luiz Dalben (Sumaré), Hamilton Bernardes (Pedreira) e Rafael Piovesan (Santa Bárbara). Apenas o prefeito de Paulínia, Du Cazelatto, não participou do encontro.

A reunião também contou com a presença virtual do secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que anunciou a antecipação da reabertura do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Campinas, do dia 30 para o dia 26 deste mês. A implantação de 25 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e mais 5 leitos e enfermaria para atender os pacientes da região foi um pedido dos prefeitos do Conselho de Desenvolvimento e atendido pelo governo estadual. Na reunião, Vinholi ressaltou ainda a abertura de 10 leitos de UTI no Hospital Estadual de Sumaré – que entrou em funcionamento nesta semana – e o repasse de R$ 1,4 milhão para a Prefeitura de Santa Bárbara abrir outros 10 leitos de UTI na Santa Casa da cidade.

“Foi uma reunião muito produtiva, com três tópicos principais: o toque de recolher, a antecipação dos feriados e a implantação de lockdown. O toque de recolher em todas as cidades da RMC foi aprovado e os dois últimos itens não, mas os prefeitos que assim quiserem, poderão fazer”, disse Dário Saad, prefeito de Campinas. “Tomamos decisões importantes, principalmente em relação àqueles que insistem em fazer festas e aglomerações no período noturno. E foi por isso que aprovamos o toque de recolher. Por outro lado, entendemos que antecipar feriados poderia provocar o deslocamento das pessoas para outras cidades aqui mesmo da região, que são cidades turísticas. Por isso, optamos em não adotar essa medida. Por fim, temos que ter prudência com relação ao lockdown, já que é preciso avaliar os efeitos que surtirão com a Fase Emergencial do Plano São Paulo. O mais importante de tudo é que os prefeitos da RMC estão unidos com um único objetivo: salvar vidas”, garantiu Gustavo Reis, prefeito de Jaguariúna e presidente em exercício do Conselho de Desenvolvimento.