Entre as doenças causadas pela picada do mosquito Aedes aegypti estão a Dengue e a Chikungunya. Mesmo no inverno, a Prefeitura de Hortolândia reforça a orientação para a população manter os cuidados na eliminação de criadouros do inseto em suas casas. Em razão do clima mais frio, a circulação do Aedes aegypti diminui, mas o mosquito continua ativo durante o período diurno, uma vez que a temperatura não é tão fria, ideal para sua reprodução. Por este motivo, a população deve evitar o acúmulo de água parada, condição favorável para a fêmea do inseto depositar os ovos, que darão origem a mais mosquitos. Com a eliminação dos criadouros, as pessoas ajudam a diminuir a proliferação do Aedes aegypti.

Para combater o Aedes aegypti, a Prefeitura faz a parte dela com o trabalho de casa a casa em diferentes regiões da cidade. Nesta semana, a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, prossegue com a ação no Jardim Amanda, região que concentra a maior quantidade de moradores do município. Em função disso, a UVZ estará com duas equipes na região. 

Na ação, os agentes do órgão visitam as casas dos moradores para fazer a busca ativa e a eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti. A ação é para eliminar o mosquito ainda na fase larval. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório. 

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, os sintomas da Chikungunya são semelhantes aos da Dengue, porém, com maior intensidade. Dentre os principais sintomas da Chikungunya estão dor e inchaço nas articulações, febre e vermelhidão no corpo. Estes sintomas podem surgir até 12 dias após o paciente sofrer picada do Aedes aegypti. A Vigilância Epidemiológica ainda ressalta que as dores nas articulações podem se tornar intermitentes ao longo dos anos. 

Quem teve Chikungunya fica imune e não é mais infectado pelo vírus causador da doença. No entanto, a pessoa pode contrair Dengue. Isso significa que a Dengue é uma doença reincidente. A Vigilância Epidemiológica salienta ainda que não existem vacinas contra a Dengue e a Chikungunya. Portanto, a melhor prevenção contra estas doenças é o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Dentre os cuidados simples recomendados pela UVZ para a população ajudar a combater o Aedes aegypti estão manter tampados tonéis, barris e caixas d’água, colocar telas em ralos e mantê-los limpos, deixar garrafas com a boca virada para baixo e encher os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda. De acordo com o órgão, cerca de 80% dos focos estão nas casas das pessoas. 

Outra atitude da população para ajudar no combate ao mosquito é evitar o descarte irregular de resíduos em vias e áreas públicas e em terrenos baldios. A Prefeitura reforça a orientação para que a população faça o descarte de resíduos e materiais reaproveitáveis nos 11 PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) existentes na cidade. A lista dos PEVs pode ser conferida no site da Prefeitura, por meio deste LINK.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, o município registra neste ano 978 casos notificados de Dengue, dos quais 406 positivos, 477 negativos, 95 aguardam resultado e nenhum óbito. Já de Chikungunya, são 4 casos notificados, dos quais 1 positivo, 2 negativos, 1 aguarda resultado e nenhum óbito.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Artigo anteriorGrupo Confidence contrata Jovem Aprendiz – Campinas
Próximo artigoHomem é preso por Violência Doméstica no Amanda