Com a aproximação da Páscoa, celebrado no próximo domingo (04/04), há um natural aumento na venda de produtos, principalmente alimentícios, relacionados à data. A Páscoa deste ano será a primeira das datas comemorativas a completar o segundo ano consecutivo em meio à pandemia do Coronavírus. Neste príodo, o comércio se reinventou e oferece diversas formas de compras aos clientes. O Estado está na “fase emergencial” do Plano São Paulo de Retomada Gradual e Consciente da Economia, restringindo o funcionamento presencial de atividades não-essenciais para evitar a disseminação da doença. De acordo com o Procon de Hortolândia, órgão de defesa do consumidor vinculado à Prefeitura, as empresas apostam nas vendas pelo comércio on-line, delivery e pelo aplicativo WhatsApp aumentando a necessidade da atenção dos consumidores na hora das “compras de Páscoa”.

Segundo o órgão, para a concretização da compra é  importante os consumidores observarem as especificações do produto, principalmente para quem efetuar a compra de forma on-line. “Verifique a procedência, a validade, o peso e atenção redobrada e os componentes que o produto, principalmente os alimentícios oferecem. Ovos de páscoa com temas infantis devem possuir o selo do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) além da obrigatoriedade da recomendação de faixa etária. Os produtos artesanais devem seguir as mesmas regras”, explica  a diretora do órgão em Hortolândia, Ana Paula Portugal Ferreira. 

DIREITOS TAMBÉM PARA QUEM EFETUA COMPRAS ON-LINE

De acordo com o Procon, se compra for realizada de maneira digital, que não seja na loja física, o consumidor pode se “arrepender” da compra no prazo de 7 dias após o recebimento do produto mas deve guardar a nota fiscal da compra e manter o produto nas mesmas condições em que recebeu. No comércio eletrônico, o comprador deve se atentar ao prazo de entrega e o fornecedor garantir a chegada do produto no tempo exato. Ter em mãos prints das ofertas, dos prazos, dos valores e do preço do frete também são essenciais para eventuais reclamações. 

“Os consumidores que buscam melhores descontos e não se importam de comprar após a data comemorativa, certamente encontrarão preços melhores com a extensão do prazo de comercialização dos produtos nos supermercados, pois os fabricantes buscam junto à Abras (Associação Brasileira de Supermercados) o aumento deste prazo. Também aconselhamos o fortalecimento dos pequenos comércios neste momento de pandemia. O incentivo ao comércio dos bairros, por exemplo, é muito importante para a manutenção destes espaços abertos”, analisa Ana Paula.

ATENDIMENTO À POPULAÇÃO

Ao acessar o endereço http://procon.hortolandia.sp.gov.br/ ou site oficial da Prefeitura de Hortolândia, http://www2.hortolandia.sp.gov.br/, e ir até a aba “Procon”, o munícipe terá acesso ao site do órgão, uma novidade no atendimento.

Os serviços prestados pelo Procon contribuem para evitar fraudes, preços abusivos, entre outras questões nas relações de consumo, além de fiscalizar estabelecimentos com o objetivo do cumprimento das leis do Código de Defesa do Consumidor, instituído no Brasil em 1990. 

Para conseguir atendimento e, também, realizar denúncias, o consumidor deve enviar ao e-mail ao endereço eletrônico
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
. Além do correio eletrônico, o Procon de Hortolândia também está atendendo, das 9h às 15h, por meio dos telefones (19) 3819-1400, ramais 7034 ou 7035, (19) 3819-1024 ou via WhatsApp pelos números (19) 99635-4208 e (19) 99979-5162.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia