Connect with us

Nossa Cidade

Prefeitura implanta tempo integral em mais 5 escolas da rede municipal

Publicado

em

“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo.” Inspiradas pelo legado do patrono da educação brasileira, o educador e filósofo pernambucano Paulo Freire, aproximadamente 250 pessoas, dentre elas vereadores, membros da comunidade escolar e o prefeito Angelo Perugini, participaram, nesta quinta-feira (19/10), da cerimônia de lançamento do programa “Escola de Tempo Integral”, realizada pela Prefeitura de Hortolândia, na quadra da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Armelinda Espúrio da Silva, no bairro Chácaras Fazenda do Coelho.

O programa busca oferecer a alunos do Ensino Fundamental a oportunidade de participar de atividades culturais, esportivas, artísticas, de lazer e cidadania, no horário oposto ao do ensino regular, desenvolvendo-se em diferentes dimensões. “Este é o dia mais importante do nosso governo. Vamos construir pontes, viadutos, colocar asfalto, ônibus, mas não há nada mais importante do que investir em educação. As crianças podem ser o motor da paz. Precisamos nos perguntar: que mundo estamos construindo para nossos filhos e netos?”, indagou Perugini. “No futuro, vamos colher os frutos do que plantamos agora, neste projeto que foi feito tecnicamente, mas também com muito amor. Vocês, pais, também são promotores deste projeto. Aqui, as crianças encontram professores mais amorosos e vão comer na escola quatro vezes por dia. Conto com todos vocês, pais, mães, professores e alunos, para fiscalizar a nova merenda, para que esteja sempre melhor”, pediu o prefeito. A nova merenda escolar foi implantada no início deste mês.

Segundo o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Fernando Moraes, “a Escola de Tempo Integral é uma política pública de empoderamento social, que permite ao aluno entender o conceito totalizante de cidadania. Não se trata apenas de deixar a criança o dia todo na escola e tirá-la da rua, mas de trazer a rua para dentro da escola, para que os conteúdos regulares venham junto com atividades integradas e lúdicas. Vocês, pais, podem participar ativamente da Escola de Tempo Integral, seja tocando violão, seja propondo manifestações da cultura local ou de outras regiões. A escola tem que ser viva e presente”, destaca Moraes. Para ele, o principal eixo do programa é o protagonismo juvenil. “Teremos uma ampliação do conceito de educação formal. O objetivo é que este aluno aprenda a ser, a ter e a conviver”, explica o secretário.

Durante a cerimônia, estudantes da Emef Armelinda fizeram apresentações culturais: os de 2° e 4° anos encenaram um Jogral, a partir de um texto de Paulo Freire, orientados pelas professoras Michele Viana e Ana Lúcia da Conceição Pereira, e os de 4° e 5° anos, dançaram Hip Hop, acompanhados pelo Prof. Márcio José da Silva Jr.

 Escola de tempo integral

A partir desta semana, mais cinco escolas municipais passaram a adotar parcialmente o regime, oferecendo a 500 alunos, 100 em cada unidade, atividades lúdicas e formativas. Além da Emef Armelinda, tornaram-se “Escolas de Tempo Integral”, neste semestre, as Emefs Profª. Maria Célia Cabral Amaral e D. Ana José Bodini Januário (Jd. Amanda), Profª. Lilian Cristiane M. de Araújo (Jd. Estefânia) e Jd. Primavera. Lá, os estudantes terão cinco estações de vivência: Acompanhamento pedagógico em Português e Matemática (Orientação de Estudos); Linguagens Artísticas (música, teatro e dança); Corpo e Movimento (práticas pré desportivas); Língua Estrangeira (inglês); e Protagonismo Social (Conviver Bem; Bullying e Cyberbullying; Trânsito Amigo; Os perigos do videogame e celular; Pipa, sim, Cerol, não!).

Com a ampliação do programa na rede municipal, ao todo, 2.050 alunos aumentaram o tempo de permanência na escola, participando de atividades que proporcionam desenvolvimento integral (físico, intelectual, social, emocional e simbólico). A primeira a adotar o tempo integral, em 2011, foi a Emeb (Escola Municipal de Educação Básica) Jd. Interlagos. Depois, outras três unidades também foram contempladas: as Emefs Dayla Cristina Souza De Amorim (Jd. Santiago),  Profª. Patrícia Maria Capelato Basso (Jd. São Sebastião) e Viva Mais (Jd. Santa Clara do Lago).

As nove escolas terão o programa “Escola de Tempo Integral” ampliado gradativamente. Nesta primeira etapa, nem todos os alunos vão ficar em tempo integral. “A seleção dos alunos se dá por critérios de vulnerabilidade social. Em 2018, duas escolas terão 100% dos alunos em tempo integral. Além disso, o programa será ampliado para mais cinco escolas no próximo ano, totalizando 14 unidades”, afirma Moraes. A meta da Prefeitura é que, em 2020, todas as 28 Emefs desenvolvam o programa, um benefício para 4.210 alunos.

Para Renata Padovani da Cruz, diretora da Emef Armelinda, a Escola de tempo Integral acrescenta muito na formação da criança e facilita o dia a dia das mães. “A partir do momento que estão aqui, o dia todo, em uma escola que já conhecem e confiam, as mães ficam mais tranquilas. As crianças sentem-se mais acolhidas, porque já estão adaptadas ao espaço. Estou muito feliz em participar desta nova etapa da educação no nosso município”, diz a diretora.

“Todos os dias tem uma interatividade pra eles. Então, não fica aquela escola, como se diz, ‘chata’. Não tem como ser ‘chata’, porque tem muita coisa para interagir aqui dentro”, afirma Paula Modesto, mãe do aluno Lucas, do 5° ano, na Emef Armelinda. “Foi uma coisa que caiu do céu, dada por deus, porque é muito cansativo, todos os dias, ao meio-dia, com o sol muito quente [trazer meus filhos]. Eu não tenho condição de pagar perua. [Agora], de manhã cedo, eu acordo, acordo eles e trago pro projeto. É ótimo. Depois vou trabalhar e volto”, afirma Vanusa do nascimento, faxineira e mãe dos alunos Thiago e Vanielly.

Confira as escolas participantes do programa Escola de Tempo Integral

1. Emef Armelinda Espúrio da Silva – Chácaras Fazenda do Coelho

2. Emef Profª. Maria Célia Cabral Amaral – Jd. Amanda

3. Emef Dona Ana José Bodini Januário – Jd. Amanda

4. Emef Jd. Primavera

5. Emef Profª. Lilian Cristiane M. de Araújo – Jd. Estefânia

6. Emeb Jd. Interlagos

7. Emef Dayla Cristina Souza De Amorim – Jd. Santiago

8. Emef Profª. Patrícia Maria Capelato Basso – Jd. São Sebastião

9. Emef Viva Mais – Jd. Santa Clara

Nossa Cidade

Evento “Café Com Viola” comemora aniversário de Hortolândia com cultura caipira

Publicado

em

Evento da Prefeitura será neste domingo (29/05), às 8h, no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior

Quer um programa de lazer para o fim de semana? A dica é festejar o aniversário de 31 anos de Hortolândia. A comemoração será em clima de cultura caipira com o tradicional evento “Café Com Viola” que a Prefeitura realiza, neste domingo (29/05). O evento será às 8h no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. O evento volta a ser realizado após mais de dois anos em razão da pandemia.

O “Café Com Viola” é um prato cheio para quem aprecia a cultura caipira. A começar pelo delicioso café da manhã que será oferecido para o público. A programação será aberta com o cortejo da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos, grupo formado nos anos 1980 que mantém viva a tradição da Folia de Reis na cidade.

O público poderá também conferir outra importante manifestação da cultura caipira com o grupo Pioneiros do Catira. Criado em 2006, o grupo faz apresentações de catira, estilo de dança popular cujo ritmo é conduzido pelas batidas dos pés e das mãos dos dançarinos. 

Festa caipira de verdade tem que ter berrante

Para animar o público, outra atração será a apresentação de Val Berranteiro, ilustre morador da cidade que mostrará diferentes toque de berrante. 

Para quem gosta de cantar os modões e os clássicos da música sertaneja, a programação terá ainda as apresentações da dupla Celito & Ivalone e da Orquestra de Viola Caipira de Hortolândia, grupo formado em 2009 e que inicialmente chamava-se Orquestra de Viola Comitiva da Esperança.

Evento ainda terá uma novidade tecnológica

A inauguração de uma câmera de monitoramento dos trens que passam na linha férrea anexa ao Centro de Memória. A instalação e o fornecimento do equipamento é de responsabilidade do canal do YouTube Trains Of Brazil, com apoio da empresa Rumo e da Prefeitura de Hortolândia.

A câmera de 360º será colocada em um poste no terreno do Centro de Memória e possibilitará que o público acompanhe em tempo real as passagens dos trens. Além da camêra, o canal do YouTube disponibilizou wi-fi gratuito para o Centro de Memória, que poderá ser utilizado somente pelos visitantes do local mediante uso de senha.

Exposição em homenagem a Mestre Chiquinho

O público poderá ainda conhecer o Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, que estará aberto para visitação das 8h às 12h. O espaço ocupa o prédio da antiga Estação Ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. O centro tem um acervo de objetos, fotos e materiais sobre a história da estação e do município. 

Além disso, o centro está com a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem a Mestre Chiquinho, ilustre morador da cidade.

Mestre Chiquinho, cujo verdadeiro nome é Francisco Aparecido Borges de Almeida, nasceu em Arealva, na região de Jaú e Bauru. Morador de Hortolândia desde 1976, ele ajudou a criar a Companhia de Santos Reis “Rosa dos Anjos” e os grupos Pioneiros do Catira, Orquestra de Viola de Hortolândia e Rainhas do Catira, todos contam com apoio da Prefeitura.  Desde 2006, Mestre Chiquinho é parceiro da Prefeitura, responsável por coordenar e ministrar aulas de violão e viola caipira, oferecidas pela Administração Municipal.

A exposição, inaugurada em dezembro do ano passado, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado. 

O visitante ainda poderá conferir na exposição o documentário “Ao Mestre Chiquinho Com Carinho”. Com 30 minutos de duração, o documentário conta a vida de Mestre Chiquinho. O roteiro começa com sua origem em Arealva. Depois, mostra sua chegada a Hortolândia. A partir daí, o documentário foca o trabalho de Mestre Chiquinho para manter vivas as tradições da cultura caipira na cidade. O documentário conta com entrevistas e depoimentos de 15 pessoas, dentre amigos, parentes, familiares e integrantes dos grupos coordenados por ele. 

O documentário ainda apresenta mais de 20 fotos do acervo pessoal de Mestre Chiquinho e do Centro de Memória. O documentário foi realizado pela Secretaria de Cultura em parceria com a produtora Rumo Audiovisual. O município foi selecionado pelo programa “Juntos Pela Cultura”, iniciativa da associação Amigos da Arte em parceria com o governo do Estado, para produzir o documentário. A direção é de Diego Freitas e Julia Rany Campos Uzun.

Confira abaixo a programação do “Café Com Viola” deste domingo:

8h: Cortejo da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos

8h30 às 9h30: Café da manhã 

8h40: Show com Celito e Ivalone

9h: Fala das Autoridades

9h40: Despedida da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos

10h: Apresentação dos Pioneiros do Catira

10h30: Inauguração de câmera de monitoramento de trem

10h50: Apresentação de Val Berranteiro

11h: Show com Orquestra de Viola Caipira de Hortolândia

8h às 12h: Exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Maio Amarelo: Nova etapa do “Café na Passarela” alerta pedestres sobre segurança viária

Publicado

em

Ação tem apoio da Prefeitura de Hortolândia

Na manha desta terça-feira (24/05), a Prefeitura de Hortolândia concluiu mais uma etapa  do Maio Amarelo de conscientização por um trânsito seguro. A terceira edição do “Café na Passarela”, ação realizada em conjunto com equipes da concessionária Rodovias do Tietê e das Polícias Militar e Rodoviária, aconteceu no primeiro pontilhão do Jardim Rosolém, na margem  da Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101). A abordagem, com caráter orientativo aos motoristas, aponta  a necessidade dos cuidados para evitar acidentes fatais. Aos pedestres, é destacada a importância do uso da passarela para travessia evitando, assim, os acostamentos da movimentada rodovia. 

Também nesta terça-feira, uma nova etapa da distribuição de panfletos informativos aos motoristas foi realizada no semáforo do cruzamento entre a rua Nelson Pereira Bueno e a avenida Olívio Franceshini, em frente ao Paço Municipal Palácio das Águas. Além da entrega do material, motoristas se divertiram com uma apresentação que incentiva, através da música,  maior atenção ao dirigir e respeito às leis de trânsito. Nos panfletos, há dados, estatísticas e informações sobre o trabalho realizado pela Administração Municipal, desde 2017, para aumentar a segurança viária na cidade e diminuir o número de acidentes com vítimas fatais. “Todas as ações são importantes para alcançarmos o objetivo de um trânsito com nenhuma vítima fatal em Hortolândia”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

Neste mês, além de três edições do “Café na Passarela”, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana, já realizou três etapas da “Ação Bar”, para conscientização sobre os perigos de beber e dirigir; a “Operação Cavalo de Aço”; a ligação de novos semáforos; distribuição de folhetos informativos para motoristas nas principais vias da cidade; o passeio ciclístico “Vem de Bike”; e, na sexta-feira (27/05), encerra o ciclo de ações do Maio Amarelo com  4º Seminário de Segurança Viária. O seminário acontece na Câmara Municipal, das 8h às 12h. Participantes ganharão brindes e contribuirão na formação de uma nova diretriz para a segurança viária da cidade.

 

 

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia lança 1ª edição da revista Aldir Blanc, nesta quarta-feira (25/05)

Publicado

em

Publicação apresenta projetos culturais contemplados pela lei federal de 2020

Hortolândia socorreu o setor artístico-cultural durante a fase mais aguda da pandemia. Os profissionais dessa área sofreram muito com a suspensão de suas atividades por causa das restrições sanitárias e do isolamento social. Para auxiliá-los, a Prefeitura ofereceu subsídio para que eles realizassem projetos por meio da Lei Federal Nº 14.017 de 2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao compositor fluminense que morreu em decorrência da COVID-19. Para isso, os contemplados tiveram que executar contrapartidas. Para fazer a prestação de contas, a Prefeitura lança a 1ª edição da revista “Lei Aldir Blanc”, nesta quarta-feira (25/05). O evento de lançamento será, às 19h, no Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia (CEMMH) Professor Ronaldo Dias de Almeida, localizado na rua Vicente Palhão s/nº, Jardim Santa Cândida. O evento integra a programação comemorativa do aniversário de 31 anos de emancipação política de Hortolândia.

A publicação apresenta os 161 projetos contemplados pelos incisos II e III da lei nos segmentos de artes cênicas (teatro, dança e circo); artes visuais e audiovisual em fomato digital; patrimônio cultural, material e imaterial; música; literatura e poesia; economia da cultura; e manifestações de rua. Boa parte desses projetos foram disponibilizados no canal do YouTube e nas redes sociais da Secretaria de Cultura. A revista também está disponível no formato digital no site Mapa da Cultura.

De acordo com a Secretaria de Cultura, foram impressos 5.000 exemplares da revista, que serão distribuídos para os contemplados durante o evento e também em âmbito regional. O evento terá ainda a exibição de um vídeo com as fotos dos projetos realizados e apresentação musical do grupo Quinteto Cultura, formado por servidores da Secretaria de Cultura. 

Para o secretário de Cultura, Régis Athanázio Bueno, a execução da lei foi um grande desafio para o município. “A 1ª edição da revista é um produto editorial jornalístico que traz em suas páginas as realizações de uma ação concluída com êxito por meio da Lei Aldir Blanc realizada no município. Executar a lei foi um grande desafio e ao mesmo tempo um afago para os artistas de Hortolândia durante a pandemia que necessitavam de uma ação emergente como foi a lei. A 1ª edição da revista contempla os projetos realizados nos incisos da Lei. É também uma forma de registrar e memorizar esses conteúdos tão preciosos”, destaca Bueno.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Populares