Nossa Cidade

Praça “A Poderosa” e diversos espaços públicos de Hortolândia recebem mutirão de limpeza e poda do mato

Equipes da Prefeitura de Hortolândia iniciaram, na manhã desta quinta-feira (11/02), um mutirão de limpeza e poda do mato na praça A Poderosa, localizada no Jardim Rosolem. O serviço de zeladoria da área de lazer tem o objetivo de deixar o espaço mais bonito e conservado e, após a pandemia do Coronavírus, mais atrativo para os frequentadores. Além da área interna, as calçadas do entorno também receberam o serviço.

As áreas públicas da cidade também recebem investimento em modernização do sistema de iluminação, ação que inclui a Praça A Poderosa. Este trabalho já acontece na cidade desde novembro do ano passado e está em andamento no Parque Chico Mendes, na região Central. Os parques, praças e áreas públicas receberão mais postes, com lâmpadas LED, que conferem maior potencial de luminosidade, além de sistema de monitoramento inteligente por meio de sensores nas lâmpadas.

MUTIRÕES TAMBÉM ACONTECEM EM OUTROS ESPAÇOS PÚBLICOS

Outros mutirões de limpeza e poda do mato foram realizados em espaços públicos no Jardim Nova Hortolândia e continuaram em praças e áreas verde, além de canteiros centrais de ruas e avenidas no Parque Perón. As praças conhecidas como “Praça do Bambino” e “Praça da Formiga” também receberam o trabalho.

MUTIRÃO DE LIMPEZA E ZELADORIA PREVINE A DENGUE

De acordo com a Secretaria de Serviços Urbanos, a intensificação do trabalho em diferentes bairros da cidade, além de contribuir com a limpeza e o embelezamento, tem o objetivo de prevenir o surgimento de doenças. Nesta época chuvosa, o mato cresce mais rápido, por isso, é necessário a colaboração da população para não descartar lixo e entulho e resíduos irregularmente. Objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a Dengue, Chikungunya e Zika. Garrafas, baldes e outros recipientes precisam ficar protegidos da água da chuva.

DESCARTE IRREGULAR É CRIME AMBIENTAL

A ação é crime ambiental sujeito a multa e pode causar enchentes, já que o material acumulado pode ser levado por enxurradas, causando o entupimento das redes de águas pluviais e esgoto, provocando infiltrações no solo e rompimentos nestas redes. Atualmente, os valores variam de R$ 340 a R$ 34.000.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, quem quiser ajudar na identificação de pessoas e veículos que praticam crime ambiental pode enviar fotos e textos para o aplicativo do Programa Agenda Verde. Para baixar o aplicativo, basta fazer o download gratuito nas plataformas Google Play ou App Store do smartphone. A identidade dos denunciantes é mantida em sigilo.

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98