Nossa Cidade

Ponte Estaiada desafogará trânsito da Av. da Emancipação

Segundo a Prefeitura de Hortolândia a ponte construída para integrar as regiões Leste (Jd. Novo Ângulo) e Oeste (Jd. Amanda) da cidade,  desafogará o trânsito da avenida da Emancipação, via que concentra fluxo intenso de veículos sentido Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101).

A ponte faz parte do traçado do Corredor Metropolitano Noroeste, viário regional que ligará desde Americana até Campinas. A Secretaria de Mobilidade Urbana estima que quando estiver pronto, o corredor expresso receberá pela Ponte da Esperança, pelo menos, 30% do volume de veículos que atualmente segue sentido SP-101 pela Emancipação, o que deixará a avenida livre para o trânsito local. O novo trajeto significará dois quilômetros a menos no percurso, em comparação ao trajeto seguindo pelo trevo da EMS. A Ponte será inaugurada neste domingo (26/05), numa ação que integra o calendário de comemorações pelos 28 anos de emancipação política de Hortolândia.

De acordo com monitoramento realizado pela Secretaria de Mobilidade Urbana, 525 mil veículos acessaram Hortolândia, no mês de abril, pela avenida da Emancipação. No trajeto inverso, que concentra o principal gargalo de trânsito em horários de pico nesta avenida, 533 mil veículos deixaram a cidade sentido SP-101, neste mesmo período de monitoramento. A estimativa é que 30% do volume de veículos na saída seja direcionado à Ponte da Esperança, o que deve aliviar, de forma considerável, o trânsito no trevo da EMS.

“Além da Ponte da Esperança aliviar o trânsito local, desafogando a avenida da Emancipação, principalmente nos horários de pico, também será possível oferecer um trajeto mais curto sentido Campinas, quando o traçado do Corredor Metropolitano estiver finalizado”, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira. Isso porque seguindo de veículos pela avenida da Emancipação, passando pela Ponte da Esperança, até o km 5 da SP-101, onde ficará a alça de acesso ao Corredor Metropolitano, são 4 quilômetros de distância. Já da avenida da Emancipação ao km 5 da SP-101, seguindo pelo trevo da EMS, são 6 quilômetros. A alça de acesso segue em construção pela Rodovias do Tietê, concessionária que administra a SP-101. Para viabilizar o Corredor Metropolitano, a EMTU prossegue com as obras no Jd. Nova América, de onde o traçado seguirá pelo Parque Peron, Chácaras Nova Boa Vista, até o km 5 da rodovia.

A obra do Corredor Metropolitano e a liberação da Ponte da Esperança para o tráfego de veículos são ações que fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), iniciativa que prevê mais de 100 intervenções e serviços que promoverão o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos.

Ponte da Esperança

A Ponte Estaiada de Hortolândia é a primeira neste modelo inaugurada na RMC (Região Metropolitana e Campinas) e a maior do interior paulista, com 180 metros de vão sob a base, composta por 16 pares de cabos de aço, os estais, ligados a um mastro de 75 metros de altura. Ao todo, a ponte possui 700 metros de extensão e 16,5 metros de largura, com duas pistas de rolagem em ambos os sentidos, além de calçada e ciclovia nas laterais. A estrutura está localizada entre o Jd. Santa Rita de Cássia e o Jd. Novo Ângulo.

A obra da Ponte da Esperança teve início em 2012, na gestão anterior do prefeito Angelo Perugini. Quando Perugini assumiu a atual administração, em 2017, retomou a articulou junto ao Governo do Estado para a continuidade das obras do Corredor Metropolitano, cujas obras estavam paradas desde 2015. A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) atendeu ao pedido do prefeito e agilizou a obra: fez a cabeceira da ponte sentido Novo Ângulo, abriu uma avenida projetada da ponte até a avenida Antônio da Costa Santos, no Jd. Nova América, asfaltou e sinalizou a base da Ponte da Esperança e construiu estações de embarque neste trajeto. O estado também fez a ligação da avenida Olívio Franceschini até a ponte, cruzando a avenida da Emancipação. Já a Prefeitura construiu a cabeceira da estrutura pelo Jd. Santa Rita de Cássia.

Raio X

•180 metros de vão

•700 metros de extensão

•75 metros de altura

•16,9 metros de largura

•16 pares de estais

•90 luminárias LED

•Ciclovia e pista de caminhada

•Capacidade de fluxo de 2,4 mil veículos por hora

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolândia

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98