A Ponte da Esperança (Estaiada) recebe obras de adequação nos acessos tanto pelo Jd. Santa Rita de Cássia, quanto pelo Jd. Novo Ângulo, com objetivo de agilizar a pavimentação da estrutura. Construída pela Prefeitura de Hortolândia para integrar as regiões Leste (Jd. Novo Ângulo) e Oeste (Jd. Amanda) da cidade, a ponte faz parte do traçado do Corredor Metropolitano Noroeste “Vereador Biléo Soares”, cujas obras, realizadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), estão em andamento. A previsão é que a ponte seja pavimentada em breve, o que possibilitará a entrega do primeiro trecho de obras. O trabalho é acompanhado pela Prefeitura, com objetivo de viabilizar o tráfego de veículos pela Ponte da Esperança.

De acordo com o engenheiro de campo da empresa responsável pela obra, Guilherme Braga de Oliveira, as ações antecedem a pavimentação de toda a extensão da ponte. A obra de implantação do Corredor Metropolitano também prossegue, a partir da Ponte da Esperança, sentido Jd. Novo Ângulo, com a implantação e cobertura de abrigos das paradas de embarque e desembarque de passageiros, pavimentação da avenida Antônio da Costa Santos, no Jd. Nova América, construção de guias, sarjetas e calçadas, além do plantio de grama.

A partir deste ponto, o trajeto do Corredor Metropolitano segue pelo Parque Peron e Chácaras Nova Boa Vista, até o km 5 da Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101), onde a concessionária Rodovias do Tietê implanta um dispositivo de acesso ao corredor expresso e à Ponte da Esperança. O Corredor Metropolitano proporcionará a ligação viária de Americana até Campinas.

O Estado investe R$ 58,2 milhões nas obras em Hortolândia, que incluem a interligação da avenida Olívio Franceschini com a ponte; o viário da ponte até a SP-101, com duas alças de acesso do Corredor à rodovia, nos sentidos Monte Mor e Campinas; duas estações de transferência nos bairros Peron e Rosolen; cinco estações de embarque e desembarque; além de um CCO (Centro de Controle Operacional), na avenida Olívio Franceschini; e de um viaduto na SP-101, na altura do Jardim Rosolen.

PIC

A obra do Corredor Metropolitano e a liberação da Ponte da Esperança para o tráfego de veículos são obras que fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), programa que prevê investimentos de cerca R$ 400 milhões para promover o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos.

As obras e serviços do PIC serão realizados em parceria com os governos estadual, federal e a iniciativa privada. Por meio do programa, a Prefeitura quer melhorar a prestação dos serviços públicos municipais em todas as áreas, em especial, na saúde, educação, segurança, mobilidade urbana e geração de emprego.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia