Nossa Cidade

Índice que aponta criadouros da dengue é considerado baixo em Hortolândia

Avaliação de densidade larvária apontou índice de 0,7 para o município, com vistoria em mais de 3 mil residências

Índice que aponta criadouros da dengue é considerado baixo em Hortolândia

A Prefeitura de Hortolândia, por meio do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde – Atenção Básica e Especializada, finalizou a avaliação de densidade larvária do mosquito da dengue no município. O índice de Hortolândia foi de 0,7, considerado baixo. Também conhecida como “Índice Breteau”, a avaliação realizada anualmente, indica a quantidade de recipientes com larvas dentro de uma cidade, possibilitando uma análise das ações de combate à dengue. O índice baixo sinaliza que o controle dos criadouros tem sido eficaz, eliminando a maioria dos focos do mosquito Aedes aegipyt, transmissor da doença.

A avaliação de densidade larvária é divida em três escalas: resultados de 0 a 1 são considerados em nível baixo; de 1 a 4, médio; e resultados superiores a 4, alto. A avaliação consiste em analisar um grupo de 600 imóveis por região. Nesta análise, os agentes do CCZ investigam a quantidade de recipientes com larvas em cada imóvel.

Para a pesquisa, Hortolândia foi divida em cinco regiões, sendo Vila Real, Jardim Amanda, Novo Ângulo, Rosolen e Central. Cada região recebe um resultado individual, para que nos locais onde há maior chance das larvas se desenvolverem haja atenção especial com prevenção da dengue. Apenas a região do Jardim Vila Real apresentou índice no limite entre o nível baixo e médio: 1,1. A região Central registrou índice de 0,8 e a do Jardim Amanda 0,6. Novo Ângulo e Rosolen tiveram índice de 0,5. “No total da cidade tivemos um desempenho bom ao longo do ano, com 0,7. Isso significa que temos feito bem nosso papel de controlar os criadouros e combater a dengue”, avalia o coordenador técnico do CCZ, Evandro Alves Cardoso. Ao todo, foram inspecionados 3.127 imóveis.

A Prefeitura de Hortolândia tem um trabalho intensivo de combate à dengue. Além da orientação feita casa a casa, de segunda a sexta, pelos agentes de saúde, a Administração Municipal realiza, todo final de semana, arrastões nos bairros com maior concentração de casos positivos. Agentes do CCZ percorrem as casas em busca dos criadouros. Além disso, as famílias recebem material impresso, como folhetos com explicações de como evitar a dengue.

Por meio de uma parceria entre a Secretaria de Saúde – Atenção Básica e Especializada e a Secretaria de Serviços Urbanos, também são realizados mutirões de cata bagulho, com a limpeza de terrenos baldios e a remoção de entulho das calçadas. São realizadas, ainda, nebulizações nas localidades com maior concentração de pessoas infectadas.

A divulgação das formas de prevenção da doença também reforça o combate à dengue. Frequentemente, o site da Prefeitura traz dicas de como evitar criadouros nos vasos de plantas, pneus velhos, garrafas, ou mesmo em locais inusitados, como brinquedos esquecidos no quintal. A Prefeitura conta com a colaboração da população, para que os moradores adotem como hábito as ações de combate à doença.

Neste ano, o município registra 1.504 casos positivos de dengue.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia

Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98