A Prefeitura de Hortolândia promove, nesta segunda-feira (31/05), às 18h30, encontro virtual sobre o Maio Laranja, campanha de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O debate, que reunirá profissionais da rede municipal de assistência social, é aberto à participação popular. 

O objetivo da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, responsável pela iniciativa, é discutir e esclarecer a população sobre o que é abuso e exploração sexual infantil e como enfrentá-los. Para respeitar o isolamento social, contribuindo para conter a disseminação do Coronavírus, o debate será remoto e online, via plataforma Zoom. Para participar, basta clicar no link https://us02web.zoom.us/j/9457532901?pwd=S21sNi94RnBFLzFxZ21MaEV4ZWlMZz09.

O tema “violência sexual e exploração de crianças e adolescentes: práticas e desafios na atuação dos técnicos do CRAS e CREAS de Hortolândia” será abordado por profissionais que atuam na rede de atendimento socioassistencial de Hortolândia, prestando atendimento direto às vítimas e seus familiares. São eles: Willian Cassiano da Cruz e Kezia Gomes, assistentes sociais da Proteção Básica; a assistente social Maysa Martins Cintra de Carvalho e os psicólogos Ederson de Faria e Pauline de Mello Martins Simão, profissionais da Proteção Especial. 

A troca de ideias entre agentes do Poder Público e membros da comunidade vai auxiliar na criação de políticas públicas na área. Para tanto, é realizada uma pesquisa, por meio de um formulário eletrônico com nove questões, oito de múltipla escolha e uma aberta, especificamente para esclarecer dúvidas a respeito do tema. Ele está disponível no link: http://bit.ly/pesqabuso até o dia 31 deste mês.

O encontro buscará um diálogo direto com a população para que, juntos com a Prefeitura, possam fortalecer os laços e saber agir para oferecer proteção e qualidade de vida às crianças e jovens de Hortolândia. 

“O Maio Laranja tem como objetivo mobilizar, sensibilizar, promover conhecimento e acionar toda a sociedade para garantir a crianças e adolescentes o direito de crescerem protegidas e seguras, livres de abuso e exploração sexual. Através destas diversas ações de conscientização realizadas não somente no mês de maio, mas continuamente, buscamos fomentar conhecimento a respeito dessa violação de direitos e dos nossos serviços socioassistenciais. A participação popular é eixo estruturante nestas ações, por isso, é de extrema importância que este formulário seja preenchido. Ele será base essencial que norteará este debate que também tem o objetivo de apontar caminhos para políticas públicas desenvolvidas sobre o tema”, ressalta o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, a Constituição Federal de 1998, no artigo 227, preconiza que “é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e a convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia