Mesmo que a Federação Paulista de Futebol reforce a máxima de que todos os protocolos de segurança estão sendo cumpridos, houve um surto de Covid na Ponte Preta. A lista de contaminados tem massagista, roupeiro, o próprio técnico Fábio Moreno e jogadores como Yuri, Marcos Júnior e Papa Faye.

            Neste final de semana sairão os exames do chefe de segurança Neves e do preparador físico Rodrigo Maranhos.

            A maior quantidade de profissionais com suspeitas começou a surgir depois que o time voltou dos jogos nas cidades de Luziânia, pela Copa do Brasil e Ribeirão Preto, pelo Campeonato Paulista. Em ambos a alvinegra saiu de campo com placar favorável.

PARALIZAÇÃO DO CAMPEONATO PAULISTA

            Na última quinta feira (18), a Federação, juntamente com os clubes, decidiu pela paralisação da rodada deste final de semana.

            A ideia inicial era mandar os jogos para outros estados, mas todo este trâmite não foi feito a tempo.

            Os times votaram pela possibilidade de acionamento da Justiça para autorização das partidas. Dos quatro grandes, apenas o São Paulo foi favorável a isso, enquanto Corinthians, Palmeiras e Santos tomaram decisões contrárias.

            A Ferroviária desempatou e, por fim, a desistência da ação contou com 9 votos a 8.

TRECHO DA NOTA OFICIAL DA FPF:

“A votação colocada em pauta se referia a uma ação de defesa ao novo protocolo de segurança, e teria como argumentação principal a continuidade da competição por meio da criação da “Bolha de Segurança”, já utilizada com sucesso pela NBA, e previamente elogiada por médicos do Centro de Contingência do Coronavírus no Estado de São Paulo. A FPF e os clubes confiam na eficiência do novo protocolo apresentado, com menos jogos, menos pessoas envolvidas, testes antes e depois das partidas e a utilização da “Bolha de Segurança” para todos os times”;

“Outro elemento relevante para a situação atual é a norma técnica firmada pela FPF que regulamentou o retorno do futebol, com participação do Ministério Público Estadual, Governo do Estado, Ministério Público do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho e sindicatos do futebol, o chamado “Pacto pelo Futebol”, homologado no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª. Região. O novo protocolo apresentado torna ainda mais rigorosos e seguros os cuidados adotados por todos os envolvidos na competição”;

“A FPF enaltece o valor da união dos clubes paulistas neste momento delicado, e ressalta que o futebol paulista permanece sempre aberto ao diálogo e ao bom senso”.