Esportes

A polêmica dos pneus na Formula 1

A Pirelli divulgou nesta terça-feira, através de um comunicado oficial, um relatório em que aponta as causas do “festival” de pneus furados que prejudicou as corridas de Felipe Massa, Lewis Hamilton, Jean-Eric Vergne e Sergio Pérez no GP da Inglaterra do último domingo. A fabricante concluiu que, após “exaustivas análises” dos produtos em seus laboratórios em Milão (Itália), um conjunto de fatores – todos relacionados ao uso incorreto dos compostos – combinados ao exigente circuito de Silverstone, provocou os problemas:

Crise dos Pneus na Formula 1

Pneus traseiros invertidos: a Pirelli identificou a inversão dos pneus traseiros nos carros que sofreram as falhas. Em outras palavras, o pneu direito foi colocado do lado esquerdo e vice-versa. Esta foi uma tática descoberta no início do ano e usada por diversas equipes para ganhar performance. A Pirelli ressalta que os pneus deste ano possuem uma estrutura assimétrica, que significa que não foram concebidos para serem invertidos, já que as paredes laterais foram construídas para lidar com cargas. A parte externa, por exemplo, é projetada para resistir a cargas maiores que o lado interno.
Baixa pressão: A fornecedora apontou o uso de pressões excessivamente baixas, inferiores às indicadas, e lembrou que a medida expõe o composto a condições mais estressantes.

Alta cambagem: Foi enumerado também o uso de ângulos de cambagem extremos.

Zebras “agressivas”: segundo a Pirelli, os itens acima, combinados com as zebras “particularmente agressivas”, como a curva 4 de Silverstone (cenário da maior parte dos problemas), resultaram nos problemas. Por causa dessa combinação que todos os casos teriam afetado pneus traseiros esquerdos.

Para o “mago” dos carros de Formula 1, Adrian Newey, a culpa do problema nos pneus é das equipes.

O projetista da RBR, Adrian Newey, afirmou que a “miopia” da equipes, que impedia a Pirelli de realizar mudanças estruturais nos compostos, parece ter sido curada após o festival de pneus estourados no GP da Inglaterra. A fabricante já havia tentado trocar o material da estrutura interna feita de aço, por Kevlar – material usado em coletes à prova de balas -, mas foi vetada por Ferrari, Lotus e Force Índia. As equipes temiam perder desempenho com as mudanças e, como as alterações só podem ser feitas com decisão unanime, elas não aconteceram.

Estavam claros os problemas com os pneus ao longo da temporada. A Pirelli ofereceu uma solução para isso. Uma estrutura diferente nos pneus nos foi oferecida para Montreal, mas duas ou três equipes vetaram por achar que iria favorecer outro time mais do que a eles mesmos. Como resultado desta “miopia”, tivemos este GP em que precisamos nos preocupar com a performance dos pneus e a segurança dos pilotos – afirmou Newey à revista britânica “Autosport”.

Fonte: UOL/Esporte

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98