As aulas presenciais em Campinas estão suspensas até o dia 11 de abril, em todas as redes, conforme decreto municipal que será publicado nesta quarta-feira, 31 de março. O anúncio foi feito pelo prefeito Dário Saadi na tarde desta terça-feira, 30 de março, nas redes sociais. Somente faculdades e cursos técnicos da área de Saúde estão autorizados a receber alunos presencialmente.

No caso da rede municipal, o retorno das aulas presenciais estava programado para a segunda-feira, dia 5 de abril. Apesar de o Estado ter decretado que as escolas são estabelecimentos essenciais, em Campinas elas não poderão abrir para receber alunos.

“O município está respaldado pelo Estado, inclusive pelo mesmo decreto em que ele afirma que as escolas são essenciais. No decreto 65.384, ele deixa a cargo do prefeito disciplinar o retorno”, explicou o secretário de Justiça, Peter Panutto.

A medida deve prevalecer enquanto a cidade estiver na fase emergencial ou vermelha. “Na semana anterior ao dia 11 de abril, vamos fazer uma reavaliação dos indicadores de saúde para saber se é possível o retorno gradual das aulas presenciais”, afirmou Panutto.

Dário Saadi informou que a situação epidemiológica na cidade não permite esse retorno das aulas presenciais. “Lamento. Mas não há outro remédio. A hora que lota o Mario Gatti, Ouro Verde e as UPAs quem tem de prestar conta dessas vidas somos nós. Temos compromisso com a vida”, considerou o prefeito.

“Consideramos a Educação essencial, no entanto, temos mais de 200 pessoas na fila esperando por um leito. A vida está no limite ínfimo”, corroborou o secretário de Saúde, Lair Zamboni.

Rede Municipal

Desde 1º de março, os alunos da rede municipal estão em atividades remotas. “O nosso plano de volta às aulas presenciais depende de a cidade estar classificada na fase amarela, dentro do Plano São Paulo”, disse o Secretário de Educação, José Jorge Tadeu.