Sei que muitos de vocês sempre leram a versão clássica de Turma da Mônica, mas eu nunca fui leitor assíduo e só me aproximei mais dos personagens quando a MSP foi criada e títulos como Mônica: Tesouros, Penadinho: Vida, Louco: Fuga e o próprio Turma da Mônica: Laços entraram no catalogo, simplesmente porque era um material que dialogava melhor com meu gosto pessoal.

No longa metragem o diretor Daniel Rezende, além de provar que é fanático por aquele universo, ainda agradou tanto os fãs da HQ criada pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi quanto aqueles nostálgicos de plantão, que sempre lembrarão do quarteto com os traços tradicionais – ainda sobra tempo para homenagear clássicos da Sessão da Tarde como Os Goonies, Conta Comigo e Curtindo a Vida Adoidado, só para citar alguns.

Giulia Barreto (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha), Laura Rauseo (Magali) e Gabriel Moreira (Cascão) parecem ter nascido para os respectivos papeis e mesmo que os diálogos, em determinados momentos, não seja tão natural quanto deveria, o grau de entrega dos atores deixará qualquer um boquiaberto e querendo mais!

E se no terceiro ato o longa perde o fôlego, são nas imagens do Bairro do Limoeiro, na montagem detalhista ao extremo e na amizade sincera destes icônicos e amáveis protagonistas que mora a alma do filme. Que venham mais dois, três, quatro ou cinco continuações pois Turma da Mônica: Laços é demais!

Por Éder de OliveiraJornalista e responsável pelo site www.cinemaepipoca.com.br

Artigo anteriorHomem tem seu veículo furtado ao lado de agência bancária, no bairro Jardim Rosolém
Próximo artigoMais um veículo é furtado na rua Marcelina Ramos Meira no Jd. Rosolem