Connect with us

Passeios e Viagens

Parque em Brotas dá 50% de desconto pelo aniversário de Hortolândia

Publicado

em

No dia 19 de maio, Hortolândia comemora o aniversário da cidade. O Parque Aventurah!, localizado na cidade de Brotas, preparou descontos nos passaportes para os moradores de Hortolândia curtirem o feriado. São 50% de desconto nos passaportes, diversas atividades inclusas – tirolesa, arvorismo, caiaque, escalada de oito metros, arco e flecha, aquaball, rapel seco, stand-up, entre outras.

Os passaportes de R$ 40, R$ 89 e R$ 116 caem respectivamente para R$ 20, R$ 44,50 e R$ 58 para os moradores que fizerem a reserva antecipada por telefone e apresentarem comprovante de residência no local. Confira a lista de atividades inclusas em cada passaporte no site www.aventurahbrotas.com.br. A promoção é válida durante todo o mês de maio.

Como o feriado cai na quinta-feira, para aqueles que queiram curtir mais dias em Brotas, a agência EcoAção preparou um pacote super promocional com hospedagem e passeios com descontos de 10% a 100%. O pacote inclui 3 diárias na Pousada Pé na Terra, Rafting, Voo do Vale e Trilha para Cachoeira por R$ 384 por pessoa em até 6x sem juros (válido para no mínimo 2 pessoas. Pagamento em dinheiro ou cheque antecipado). 

 EcoAção
Av. Mario Pinotti, 205 – Centro – Brotas/SP

Aberto diariamente das 9h às 17h.

Reservas:
(14) 3653.9140
(14) 99109.6466
atendimento@ecoacao.com.br
www.ecoacao.com.br

Parque Aventurah
Rodovia (SP 225), km 143 – Brotas/SP
A 10 min. do trevo de Brotas sentido Jaú.
Aberto de quinta a domingo das 9h às 17h
(14) 3653.4802
(14) 99109.6267
aventurah@aventurahbrotas.com.br

www.aventurahbrotas.com.br

Passeios e Viagens

Dia Nacional do Turismo: opções de passeios em SP vão de montanhas a cavernas

Publicado

em

cavernaDiabo

Para comemorar o Dia Nacional do Turismo, celebrado em 8 de maio, a Fundação Florestal (FF) separou algumas dicas que incluem cavernas, montanhas e praias. Os Parques Estaduais Caverna do Diabo e Intervales são ótimos para quem procura sossego e aventura. O Monumento Natural Estadual (MONA) Pedra do Baú é para aqueles que procuram ecoturismo e lindos cenários. Já os amantes de ilhas, podem ir para os Parques Estaduais Ilha Anchieta e Ilha do Cardoso.

A FF alerta aos turistas que existem normas para visitação desses espaços protegidos e o respeito a elas é fundamental para garantir, tanto a preservação dos locais, quanto o sucesso do passeio. Não é permitida a entrada de animais domésticos; é proibido fazer fogueiras, churrasco, queima de fogos ou qualquer ato que possa provocar incêndio no interior da Unidade de Conservação.

A instituição orienta também para que os visitantes não retirem espécies vegetais, animais ou qualquer outro item da natureza. Apenas os resíduos gerados devem ser coletados e levados de volta para descarte adequado.

Nas Unidades de Conservação que cobram entrada, o ingresso custa R$ 19,00 para brasileiros, R$ 28,00 para viajantes do Mercosul e R$ 37,00 para estrangeiros, com meia-entrada para estudantes brasileiros e estrangeiros, profissionais de educação das escolas da rede pública estadual e municipal. Para alguns atrativos, é necessária a contratação de monitoria à parte.

Para saber mais sobre outras Unidades de Conservação, acesse o site Guia de Áreas Protegidas. Já para fazer a reserva ou adquirir o ingresso, acesse https://www.ingressosparquespaulistas.com.br/home.

Parque Estadual Caverna do Diabo

Criado em 2008, o parque integra o Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga, composto por outras 13 unidades com o objetivo de proteger a Mata Atlântica. São mais de 40 mil hectares distribuídos entre os municípios de Eldorado, Barra do Turvo, Cajati e Iporanga. O parque tem como principal atrativo a Caverna do Diabo. A Unidade conta com trilhas, cachoeiras e fauna e flora variadas, com animais como jacutingas, onças e macacos, além de árvores nativas como araçás, guapuruvus e palmitos-juçaras.

Município: Eldorado
Estrada da Caverna (SP-165), km 111 + 5 km – Rodovia Benedito Paschoal de França – Bairro André Lopes
Fone: (13) 3871-1242 / (13) 3871-3318
Monitoria: Obrigatória no local
Ingresso e mais informações: https://cavernadodiabo.ingressosparquespaulistas.com.br/

Parque Estadual Intervales

Em uma área repleta de cavernas e com a presença de uma rica biodiversidade, o Parque Estadual Intervales compõe a região central do Mosaico de Unidades de Conservação da Serra de Paranapiacaba, que conserva a maior área remanescente de Mata Atlântica do Brasil, com mais de 120 mil hectares de áreas protegidas.

A rica diversidade de espécies faunísticas encontrada no Parque pode ser explicada pelos diferentes estágios de desenvolvimento da vegetação. Há uma grande diversidade de espécies de anfíbios, aves, répteis, insetos e peixes. Mamíferos ameaçados de extinção, como a jaguatirica, a onça-pintada e o macaco mono-carvoeiro, o maior primata das Américas, ainda são encontrados nas trilhas do parque.

Município: Ribeirão Grande
Estrada Municipal, km 25 –  Bairro Intervales, Ribeirão Grande/SP.
Fones: (15) 3542 1511 / (15) 3542 1245
Ingresso e mais informações: https://intervales.ingressosparquespaulistas.com.br/home

Monumento Natural Estadual (MONA) Pedra do Baú

Formado por um fantástico Complexo Rochoso, situado no meio da exuberante Mata Atlântica, da qual restam aproximadamente 8% da sua porção original, MONA Pedra do Baú está encravado na Serra da Mantiqueira e é considerado um dos principais pontos de escalada técnica do estado de São Paulo. Do alto da pedra, é possível ter uma bela vista da Serra da Mantiqueira, na região da divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Além disso, a pedra, em si, é tão evidente na paisagem que chega a ser visível de diversas localidades do Vale do Paraíba, já usada como instrumento de navegação geográfica.

Município: São Bento do Sapucaí
Estrada Municipal do Bauzinho, km 6 – Bairro Paiol Grande
Fone: (12) 3663-1977

Reserva e mais informações: https://monapedradobau.ingressosparquespaulistas.com.br/home

PE Ilha Anchieta

O Parque Estadual Ilha Anchieta (PEIA) protege a segunda maior ilha do Litoral Norte do estado de São Paulo. São 17 quilômetros de costões rochosos e sete praias de águas cristalinas que contrastam com o verde da Mata Atlântica. Os visitantes podem usufruir de caminhadas ecológicas, mergulhar em águas claras, explorar um rico patrimônio histórico cultural ou apenas contemplar a paisagem exuberante. Os principais ecossistemas do parque são o marinho, a floresta ombrófila densa, a restinga e a vegetação de costões rochosos, típicos do bioma Mata Atlântica. Há diversas espécies de aves, répteis e anfíbios, como sabiás, juritis, macacos, tartarugas, garoupas, lagartos e quatis. Há também animais marinhos, como as estrelas-do-mar, algas e peixes.

Município: Ubatuba
Endereço: Av. Plínio de França, 85 – Saco da Ribeira
Telefone: (12) 3832 1397
Ingresso e mais informações: https://ilhaanchieta.ingressosparquespaulistas.com.br/home

PE Ilha do Cardoso

O Parque Estadual da Ilha do Cardoso (PEIC) está localizado no município de Cananeia, extremo sul do Estado. Abriga diversos ambientes: costões rochosos, praias, braços de mar, estuários, barras, lagunas, restingas, manguezais, rios, planície litorânea, ilhas e montanhas cobertas por florestas.

O PE da Ilha do Cardoso possui 49 embarcações credenciadas, responsáveis pela travessia da Ilha de Cananéia até o parque, principalmente até a Praia do Itacuruçá/Pereirinha, no Núcleo Perequê, local de maior fluxo de visitação da Unidade. A Praia do Itacuruçá/Pereirinha tem limite de visitação pública de mil pessoas por dia. Os interessados em conhecer a Unidade de Conservação devem procurar a Associação de Monitores Ambientais de Cananeia (Amoamca). Importante levar calçado fechado, protetor solar e repelente.

Município: Cananéia
Endereço: Av. Professor Wladimir Besnard, s/n – Bairro Morro São João
Quando: de segunda a domingo, das 8h às 17h
Ingresso: https://ilhacardoso.ingressosparquespaulistas.com.br/home

Continue Lendo

Passeios e Viagens

Estância Hidromineral de Socorro: cachaças artesanais e turismo 

Publicado

em

Quem gosta de uma boa cachaça artesanal não pode deixar de visitar a Estância Hidromineral de Socorro – cidade turística localizada no Circuito das Águas Paulista e referência em aventura e ecoturismo. Vale incluir no roteiro os inúmeros locais que oferecem a “branquinha”: de visitação na produção para acompanhar o processo até locais para degustação e compra. Um passeio com muita natureza e lindas paisagens, que envolvem a bebida, patrimônio histórico e cultural do país.

“Além de empregar, tem articulação no setor econômico como turismo rural. A produção de cachaça preserva a tradição da nossa região, são pequenas famílias dando continuidade à história do município. Passando de pai para filho (a)”, orgulha-se Wellen Mazzolini de Lima Moraes, filha de João Evangelista, proprietário do Alambique Pioneira. “Assim como o café, o clima e o ambiente influenciam no sabor da planta. Cultivada entre as montanhas de Socorro coberta com florestas e num solo saudável, a matéria prima tem qualidade diferenciada”, ressalta.

No Alambique Pioneira, é possível fazer tour guiado para conhecer a área de produção, moagem, caldeira, tachas e alambique. Lá são fabricadas a cachaça prata (branquinha); cachaça ouro (envelhecida no tonel de carvalho e amburana) e canelinha; mas, o carro chefe é a cachaça na cana, com sabor adocicado devido a planta in natura. São 35 anos de uma produção artesanal e familiar, que inclui melado, rapadura e açúcar mascavo, vendidos junto com as cachaças em uma pequena loja na propriedade. Mas, as cachaças também são comercializadas em Socorro, na grande São Paulo e em Maringá, no Paraná.  

Aberta ao público (R$ 25 por pessoa e gratuita para hóspedes) é a visitação no Hotel Fazenda Campo dos Sonhos. Os turistas que chegarem por volta das 10h terão uma visitação monitorada, em que será demonstrado todo o processo de produção de cachaça, desde a plantação de cana até o alambique, que mantém um engarrafamento próprio. O resultado é a cachaça do Campo dos Sonhos.

Já a Villa Empório realiza o envelhecimento da cachaça fornecida por três alambiques. São seis meses “curtindo” as bebidas em barris de bálsamo, carvalho e amburana. A mais procurada é a com menor teor alcóolico; todas vendidas no empório. Também fazem as cachaças “temperadas”, com morango, mel e limão, chocolate com pimenta, café, jabuticaba, uvaia e pitanga.

Outro que saboriza de forma artesanal a bebida é o Sabores do Currupira, que desde 2015 atua no turismo rural. As cachaças são armazenadas em barris onde são curtidas com frutas e a própria cana. São seis tipos de cachaças: pura, banana, carvalho, café, rapadura e a mais vendida que é a cachaça na cana. Além do quiosque no Horto, a cachaça pode ser encontrada na Grínberg´s Village Hotel e vendem para todo Brasil por meio de aplicativo.

Empório do Cristo e a Cachaçaria Santo Mé vendem várias cachaças citadas acima.

Caipirinha e doses

Os turistas que forem almoçar ou curtir o pôr do sol na Pedra Bela Vista vão poder experimentar a cachaça da Pedra, saborizada por eles mesmos com capim santo, servida em dose ou no drinque Stone Mood, que ainda leva rum Malibu, limão e água com gás.

Da mesma forma, é a aposta na cidreira do restaurante do Vale das Pedras, que tem como especialidade a Caipirinha de Cidreira com Limão. A cidreira é plantada e colhida na própria fazenda, assim está sempre fresca para o preparo do drinque com a cachaça artesanal. Outra opção é saborear as cachaças branquinha, amarelinha envelhecida e na cana.

O Rock & Soul bar tem no cardápio vários tipos de caipirinhas, algumas delas feitas com cachaça branca, como é o caso da caipirinha de cachaça feita com pitaya, um dos sucessos da casa. SE a preferência é por dose, servem as cachaças branca e ouro, ambas artesanais.

Descubra Socorro: Estância Hidromineral de Socorro é o portal de entrada do Circuito das Águas Paulista, composto por nove municípios. Já é referência nacional em turismo de aventura e turismo acessível e se dedica para se tornar também um destino sustentável e pet friendly. Para isso, diversas ações de conscientização são criadas e envolvem moradores, empresários e turistas. Gastronomia variada, lazer para toda família e a melhor experiência em atividades culturais e passeios cercados pelas belezas naturais da Serra da Mantiqueira. Visitas guiadas ou autoguiadas em mais de 1300km de caminhos rurais disponíveis ao público. Em 2021, a “cidade aventura” – com mais de 20 atividades de aventura e ecoturismo – recebeu o selo Safe Travels (viagens seguras) concedido pela World Travel & Tourism Council (WTTC). Além de ser finalista nas categorias Aventura e Ecoturismo, foi vencedora no Top Destino Social, no prêmio Top Destinos Turísticos. E ainda, Socorro passou a ser a primeira cidade brasileira qualificada como membro da rede Cittaslow, uma associação internacional de localidades “onde viver é bom”.

Continue Lendo

Passeios e Viagens

Dia Mundial do Café – Socorro: de tour na plantação ao cafezinho na xícara

Publicado

em

cafe

No Dia Mundial do Café, comemorado em 14 de abril, que tal unir café e turismo?  A Estância Hidromineral de Socorro – cidade turística localizada no Circuito das Águas Paulista e referência em aventura e ecoturismo – é o lugar ideal para esta conexão. Entre uma diversão e outra e lindas paisagens, a cidade oferece visitação no cafezal, café em pó, café em grãos, drinques, bebidas e o tradicional, tudo com muita história e cultura.

A dica é começar pelas plantações. A Fazenda 7 Senhoras Speciality Coffee, com mais de 100 anos de história, tem o Coffee Tour. São 365 hectares, 55 cultivados com mudas de café dos tipos Catuaí vermelho, Catuaí amarelo, Mundo Novo e Bourbon amarelo. Lá, o visitante conhece todas as etapas do processo de produção de um café especial, da planta até a xícara. Passa pela plantação, manejo de colheita, pós-colheita, centro de beneficiamento, classificação e torra. Para finalizar, o barista extrai o mesmo café em três métodos de preparo. A visitação dura cerca de 1h30. É necessário agendar com antecedência pelo site.

Preocupados com o meio ambiente, entre outras coisas, as cápsulas dos quatro tipos do café 7 Senhoras são biodegradáveis. Orgulham-se de, por duas vezes, serem primeiro lugar no concurso de cafés, do Circuito das Águas Paulista – em 2015 e 2016 – na modalidade cereja descascado. Os cafés estão à venda na própria fazenda, no site e em vários locais da cidade.

Outro lugar para conhecer todo o processo é o passeio guiado “do cafezal ao cafezinho”, dos Hotéis Fazenda Campo dos Sonhos e Parque dos Sonhos. São 40.000 pés de café que podem resultar em 50 toneladas/ ano dos cafés Catuaí Amarelo, Vermelho, Bourbon, Mundo Novo (Brasil). A torra é apenas com o café de qualidade, ou seja, o arábica. O Café do Campo em pó, em grão e em cápsulas (compatíveis com sistema Nespresso) é comercializado nas unidades da Rede dos Sonhos. Mas, enviam pelo correio. Com foco na sustentabilidade, a plantação é feita toda em curva de nível para manter a umidade do solo e diminuir a erosão.

No Sabores do Currupira são mais de 47 anos de dedicação, do plantio ao produto final. Tudo de forma artesanal e familiar e com a preservação da área de plantação – cerca de 2 hectares -, por meio do projeto agrofloresta, que promove a agricultura e a conservação das matas. Entre outras ações, não usam agrotóxicos. A propriedade rural – com capacidade de produção de 2 toneladas de café seco por ano – manufatura os cafés Mundo Novo e Catuaí amarelo e vermelho. E o processo produtivo é o arábica. São vendidos em pó ou em grãos no sítio e no quiosque próprio que fica no Horto Florestal; em ambos também é possível tomar o café coado na hora. Do café também fazem geleia, um sucesso entre os turistas, e uma cachaça.

Já no Rancho Pompéia, o café in natura de uma fazenda localizada no bairro Serrote, ganha personalidade com a torra artesanal (com Cadastro Estadual de Vigilância Sanitária), processamento e empacotamento. O café vendido na propriedade rural é moído na hora, mas também é comercializado em grãos. Ambos podem ser enviados pelos correios. No “café caipira”, entre os 20 itens, também é servido o bolo de café. É preciso agendar com antecedência.

O Serrote é um bairro com condições climáticas, solo e altitude que favorecem a produção de café de excelência. O café no Villa Empório também é de lá, de uma propriedade com mais de 100 anos de história e já na terceira geração da família. A plantação nos 20 hectares produz em torno de 2000 sacas anuais nas variedades Mundo Novo e Catuaí. Vendem o café em grão, em pó e também o Café da Roça, preparado no coador de pano, na hora e coado pelo próprio cliente. Mas, também tem o Macchiato, Capuccino, Café Gelado, entre outros.

Para beber

O café brasileiro ocupa lugar de destaque entre os melhores cafés do mundo e mistura-lo ao leite é um dos maiores costumes no Brasil. O Rock & Soul Music Bar adicionou a esta mistura outra bebida brasileira tradicional: a cachaça. Batizado de “Café brasileiro”, é servido gelado em uma bela taça com fundo de doce de leite, para que o cliente adoce a bebida a gosto.

Já o Empório Caipira oferece cafés especiais, frappês e milk shake, com a bebida, por exemplo.

Trilha Café trabalha exclusivamente com o café da Fazenda 7 Senhoras. Do simples café puro coado e expresso a bebidas com acompanhamento, são cerca de 20 opções. Destaque para o Cappuccino gelado com café, leite e chocolate 50% cacau e o Frappé com sorvete de leite, que pode acompanhar Nutella, Ovomaltine ou doce de leite argentino.

A cesta para piquenique do Parque Vale das Pedras, montada com produtos artesanais da cidade, também tem o café da Fazenda 7 Senhoras. Já no Chalés Santa Catarina o mesmo produto está no café da manhã, servido na varanda e degustado enquanto se aprecia uma bela paisagem.         

Chegada do café no Circuito das Águas Paulista

O café chegou à região de Campinas por volta de 1835. Encontrou excepcionais condições de clima e solo, além de uma condição socioeconômica em transformação, e atingiu as montanhas e vales do Circuito das Águas Paulista.

Com o fim da escravidão, o sistema de produção mudou muito e começam a desembarcar nas fazendas da região imigrantes do Norte da Itália, além de espanhóis, árabes e outras nacionalidades que buscavam oportunidades no Brasil e que foram acolhidos nessa região.

Em 1887, o imperador Dom Pedro II fundou o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), que, até hoje, dá sustentação técnica à evolução do processo tecnológico do café para todas as regiões produtoras do Brasil.

Neste contexto socioeconômico, constituiu-se as bases para que a região do Circuito das Águas Paulista se consolidasse como uma região histórica de produção de cafés especiais.

As lavouras situam-se nas ramificações da Serra da Mantiqueira entre 850 a 1350 m de altitude, com clima ameno de montanha.

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Populares