A Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) realiza na próxima quarta-feira, dia 11 de novembro, o “Retail Conference Digital” 2020 (Fórum de Varejo), um evento gratuito que tem por bjetivo atualizar os empresários sobre ferramentas e tecnologias capazes de melhorar os processos das mpresas, informar sobre estratégias bem-sucedidas de vendas e apontar as melhores práticas para o varejista aplicar no seu negócio nesse momento. As inscrições devem ser feitas por meio do link ttps://retailconference.com.br. Informações e pelo Whatsapp +55 19.99607.7604 (ACIC).

Devido à pandemia da Covid-19, este ano o Retail Conference será online, das 14h às 18h. Ao todo, serão seis pain​ éis para exposição dos temas: Atendimento e relacionamento: a arte de encantar clientes – Entenda como o atendimento e o relacionamento destacaram ainda mais a Arezzo entre os gigantes do setor calçadista; Lojas físicas de alta performance: novas formas de obter resultados; União entr​ e o físico e o digital – Conheça a estratégia utilizada pelo Dalben que está revolucionando o mercado; Comece a faturar no digital: A melhor forma de vender online, partindo do zero; Vire o Jogo: Aprenda com empresas que saíram na frente mesmo na crise e tenha insights para o seu negócio; além de um debate sobre Logística e Entrega: Como essa operação se tornou essencial para todo tipo de varejo.

Para palestrar sobre os temas, foram convidados especialistas em varejo, como Cristiano Chaves, head de relacionamento com o cliente da Arezzo&Co; Richard Stad, CEO da Aramis Menswear; Fernanda Dalben, diretora de Marketing do Supermercados Dalben; Jhouferbio Rodrigues, CEO da Beelog; Caio Camargo, sócio e diretor da Gouvêa Tech; Danilo Hoffman, gerente sênior de Consultoria de Soluções da Genesys; Diego Barreto, CFO e VP de Estratégia do Ifood, e Felipe Gama, líder da escola Bora Vender, entre outros.

O Retail Conference, realizado há 8 anos, já é considerado um dos mais relevantes do interior paulista, voltados ao segmento varejista. Nesse período, aproximadamente 150 palestrantes apresentaram seus conhecimentos para um público estimado em mais de 8 milpessoas. Para esta edição, a expectativa é reunir cerca de 2 mil pessoas, o mesmo contingente da edição 2019. “Este ano, foi preciso adiar o evento, geralmente realizado no primeiro semestre, para novembro, e transportá-lo para a plataforma digital para amparar ainda mais proativamente os comerciantes, nesse momento em que a confiança do consumidor mostra sinais positivos. Sabemos que os empresários aguardam os conteúdos anualmente apresentados e não poderíamos deixar de ajudar, diante de uma crise sem precedentes”, explica a presidente da ACIC, Adriana Flosi.

De acordo com Adriana, em 2020, os empresários vivenciaram uma situação insólita, na qual a tecnologia, a criatividade e o empreendedorismo fizeram a diferença nas vendas do varejo. Por isso, todos precisam estar atualizados e preparados para as novas demandas do mercado, para os novos meios de pagamento e, principalmente, com a nova maneira de lidar com os clientes. “O Retail Conference é a oportunidade na qual os empresários do varejo poderão ouvir, aprender, questionar e se preparar para fazer o seu melhor e tentar recuperar os prejuízos causados pela Covid-19. Nosso objetivo maior é, sempre, preservar as empresas para preservar os empregos e fazer a roda da economia girar”, diz a presidente da ACIC.

O “Retail Conference Digital” integra a programação comemorativa ao centenário da Associação Comercial e Industrial de Campinas, a ser completado em 21 de novembro.

Sobre o Retail Conference Digital

Com conteúdos totalmente aplicáveis ao seu negócio, o “Retail Conference Digital” 2020 reúne empresários e profissionais de destaque no segmento varejista para apresentar as principais estratégias para o crescimento e a adaptação do setor nesse momento de retomada da economia. Criado em 2013 como “Fórum Regional do Varejo” e reposicionado em 2019, quando passou a ter abrangência nacional, o “Retail Conference” já impactou mais de ​ 8 mil empresários. ​ Não fique de fora desse hub de aprendizagem e networking! Mais informações e inscrições pelo link: ​ retailconference.com.br/ ​ ou pelo Whatsapp ​ +55 19.99607.7604 (ACIC)​ .

Serviço:
Retail Conference Digital
Quando: 11/11/2020, das 14h às 18h
Onde: 100% online (restrito aos inscritos)
Quanto: gratuito
Inscrições: h
ttps://retailconference.com.br/

Black Friday – expectativas

A expectativa da ACIC é a de que a Black Friday movimente R$ 650 milhões na Região Metropolitana de Campinas este ano, impulsionada principalmente pelo e-commerce. Esse montante representará 35,5% no faturamento do comércio, quando comparado a 2019, quando foram faturados R$ 480 milhões. De acordo com o economista Laerte Martins, diretor da ACIC, 60% das vendas devem ser realizadas “online” e 40% nas lojas físicas. A data pode se transformar na segunda mais importante do ano para o setor, ficando atrás apenas do Natal. O “ticket médio” estimado é de R$ 600,00, praticamente o mesmo de 2019.

Apenas em Campinas, a movimentação da Black Friday de 2020 deve representar cerca de R$ 292,5 milhões, uma expansão de 35,4% sobre o faturamento de 2019, sendo que o e-commerce deve representar 62,5% das vendas “online” e, as lojas físicas, 37,5%. Os produtos mais procurados na Black Friday deste não devem ser smartphones, celulares, aparelhos de televisão, eletroeletrônicos em geral, vestuário e calçados, livros, brinquedos, e produtos importados, como videogames, câmeras fotográficas e filmadoras.

“A campanha de 2020 traz novas expectativas para o comércio, em um ano que foi afetado fortemente pela pandemia do Covid-19, principalmente para as vendas online, considerando que o e-commerce se expandiu 47% no primeiro semestre deste ano no Brasil e mais de 60% em Campinas e Região. Embora oficialmente realizada na última sexta-feira do mês – este ano, no dia 27 de novembro – a Black Friday deve ser antecipada, como vem acontecendo já há alguns anos, e durar uma semana ou mais. Muitas empresas começam a anunciar descontos no início do mês”, avalia o economista.

As passagens aéreas, que sempre fizeram parte das compras na Black Friday, não estão sendo consideradas este ano em função das restrições impostas pela pandemia da Covid-19. Apesar das vendas das passagens se destacarem nesse período de promoções pelos elevados “descontos” ofertados pelas empresas aéreas e de turismo participantes, este ano os indicadores econômicos que influenciam na alteração dos preços dos produtos, como a inflação, os juros e o câmbio, observados durante a pandemia, não permitirão que os descontos sejam significativos. “Isso pode contribuir para as reclamações de propaganda enganosa e maquiagem de preços, que lideram os principais motivos das queixas durante a Black Friday”, alerta o economista.

E-commerce em alta

Em função da quarentena provocada pela pandemia da Covid-19, estima-se que cerca de 2,6 milhões de novos usuários – pessoas das classes C e D, de todas as idades – ingressaram nas plataformas digitais no Brasil, entre abril e maio, e mais de 1,9 milhões entre junho e agosto. “No Brasil, o e-commerce conseguiu manter elevado o nível de consumo, enquanto as lojas físicas fecharam as suas portas pelo país. Diante dessa perspectiva, conclui-se que é na movimentação mais das vendas digitais que o varejo vai se expandir grandemente na Black Friday, podendo se transformar na segunda data mais importante do ano, para o
setor, só atrás do Natal”, acredita Laerte Martins.Segundo dados avaliados pela Ebit / Nilsen, a Black Friday de 2019 (considerando 29 e 30 de novembro) faturou, em nível nacional no varejo, cerca de R$ 3,30 bilhões. A perspectiva para 2020 é de uma expansão de 29%, (considerando 1o a 30 de novembro), o que representaria cerca de R$ 4,26 bilhões. A expectativa de “ticket médio” é de R$ 600,00, praticamente o mesmo de 2019.