Connect with us

Dicas de leitura

Editora Adonis anuncia vencedores do IV Concurso Agostinho de Cultura

Publicado

em

livros-ed-adonis

São da região sudeste do país, mais especificamente de Santa Catarina, capital e interior de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, os vencedores das cinco categorias propostas pelo IV Concurso Agostinho de Cultura – 2013, que, desde 2008, revela novos talentos da literatura, bem como fomenta a produção literária aproximando escritor e mercado editorial.

As obras foram inscritas com uso de pseudônimos de seus escritores e tiveram como critério para análise do júri: trabalho estético com a linguagem, coerência, construção do narrador, caracterização das personagens, ambientação e temporalidade, e potencialidade interpretativa.

Ficou a cargo de profissionais do corpo docente do Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo – Unidade Americana) a tarefa de avaliar e selecionar as obras enviadas. “Foi uma experiência muito rica de contato com textos de qualidade e conhecimento referido. Tivemos o país inteiro representado, não foi fácil chegar aos ganhadores… mas temos certeza de que os vencedores representam o que a Adonis, e o Unisal, buscavam”, explica Regiane Rossi Hilkner, que ao lado dos mestres em Educação, Severino Antônio e Regina Penachione formaram o júri nomeado pela Adonis.

Com autoria de Patrícia Gibin de Oliveira, de Piracicaba/SP, a obra “A matrioska triste” foi a grande vencedora da categoria Primeiro Leitor. Já na categoria Leitor Iniciante o texto “Teto de estrelas”, de Vivian Cristina Ferreira, de Florianopolis/SC, foi o escolhido pelo júri. Com sotaque carioca, a obra “A princesa e a sombra do duende”, de Rosane Nicolau dos Santos, é a vencedora da categoria “Leitor em processo”. Escrito por Laércio Nora Bacelar, de Belo Horizonte/MG, “Incríveis Jogos de Palavras: Para acabar com a monotonia” é o vencedor da categoria Infantojuvenil. Na categoria Neoleitor é o trabalho de Atílio José Bari, de São Paulo/SP, “Lilavati” o primeiro lugar.

As obras vencedoras do IV Concurso Agostinho de Cultura farão parte do catálogo da Adonis e começam a ser lançadas no segundo semestre deste ano.

Indicados

Além dos vencedores das cinco categorias do Concurso, o júri também indicou sete obras, que poderão ser publicadas no ano que vem pela Editora. Dentre elas se destacam duas obras; uma vinda de Portugal e outra de Moçambique.

O Concurso Agostinho de Cultura

A quarta edição do concurso recebeu obras de diversos estados brasileiros, além de Portugal e Moçambique, no período de 14 de março a 25 de julho do ano passado.

Os textos deviam ser enviados à editora Adonis e possuir o Registro de Direito Autoral/EDA (Escritório de Direito Autoral). A identificação dos originais deveria ser feita por meio de pseudônimo escolhido pelo escritor.

O Concurso Agostinho de Cultura é o principal meio de edição e publicação dos principais títulos do selo Adonis e até o momento já publicou 14 títulos, entre vencedores e indicados pelo corpo de jurados.

 

Vencedores:

– Primeiro Leitor

“A matrioska triste”

Pseudônimo: Hie-Hie 10.5

Escritora: Patrícia Gibin de Oliveira

 

– Leitor Iniciante

“Teto de Estrelas”

Pseudônimo: Virvinhas

Escritora: Vivian Cristina Ferreira

 

– Leitor em processo

“A princesa e a sombra do duende”

Pseudônimo: Nic Dabul

Escritora: Rosane Nicolau dos Santos

 

– Infantojuvenil

“Incríveis Jogos de Palavras: Para acabar com a monotonia”

Pseudônimo:  Zegzil Piuntxi Kamporé

Escritor: Laércio Nora Bacelar

 

– Neoleitor

“Lilavati”

Pseudônimo: Báskara da Índia

Escritor: Atílio José Bari
Indicados:

– Leitor iniciante

“Tininha”

Pseudônimo: Verônica

Escritora: Doris Carrion Magalhães Castro

 

“A bala e a bola”

Pseudônimo: Risoleta Jardim

Escritora: Cristina Decico Lobarinhas

 

“Sapinho de óculos”

Pseudônimo: Rouco

Escritor: Hudson Okada

 

“Atrás do último corredor”

Pseudônimo: Boz

Escritora: Júlia Antuerpem

 

“As filhas do Sol e da Lua”
Pseudônimo: Lux D.M.J
Escritora: Esli Aparecida de Almeida

 

– Leitor em Processo

“O desvio do rio e outros contos para crianças”
Pseudônimo: Puto Wambire
Escritor: Danito Gimo da Graça

 

“Joãozinho e as palavras difíceis”
Pseudônimo: Chico Piauí
Escritora: Maria Gorette Jardim Ribeiro

 

Infantojuvenil

“A maratona do menino premiado”
Pseudônimo: R. Trindade
Escritora: Rosane Nicolau Santos

 

“Uma aventura no mundo de Graian”
Pseudônimo: Valentina D’Espirais
Escritora: Maria Gorette Jardim Ribeiro



Dicas de leitura

Livros para leigos (ou nem tanto)

Publicado

em

Hoje em dia, é comum que as pessoas recorram ao Google quando precisam aprender algo que não sabem. Sem dúvida é uma forma prática e rápida de adquirir conhecimento. Mas nem sempre é segura. Há muita bobagem espalhada na web, e muitas vezes é difícil separar o joio do trigo. Para quem quer aprender, mas não quer se perder, existe a maneira old school – consultar um livro.

Livros – e especialmente livros didáticos – têm o poder de filtrar besteiras. Ao menos as mais grosseiras. É fácil para alguém digitar disparates na web, onde não há custo de papel, tinta e impressão. A tela aceita tudo, e basta um clique para a tolice ficar online e dar cria. Mas quando alguém tem que editar, finalizar, imprimir e distribuir… o critério de análise de conteúdo é muito mais rigoroso.  Pouca gente paga para imprimir fake news. Se você se convenceu do poder edificante do livro, vai gostar de saber que há uma coleção que cobre virtualmente todas as áreas do conhecimento – os livros para leigos.

A ideia surgiu já há algumas décadas, nos Estados Unidos. Uma coleção de livros que ensinam, de maneira prática, o que é e/ou como fazer algo. Lá, a série ganhou o nome “for dummies” – literalmente “para bonecos”, uma gíria americana para alguém que não sabe absolutamente nada. No Brasil, foi traduzido como ‘para leigos’, que se encaixa bem na ideia geral.

Lançada pela editora Alta Books, os livros para leigos se caracterizam por uma indefectível capa amarela com uma tarja preta, onde aparece o assunto abordado. E pode ser qualquer assunto. Evidentemente há inúmeros títulos dedicados às novas tecnologias, que de tão recentes tronam a todos leigos.  De Programação Funcional ao Marketing da Gameficação, passando por várias formas de Python (não é uma cobra), a oferta é tão ampla quanto técnica. Se você é da área, os nomes devem fazer algum sentido. Se não é, leia o livro para entender. Aliás, essa é a ideia.

Mas nem só de tecnicismos vive a coleção. Há temas da área esotérico-espiritual, como Astrologia, Feng Shui, Yoga, Budismo ou Meditação. Também é possível aprender o básico de alguns idiomas, e quanto mais complicado, melhor – Chinês, Japonês, Alemão… e sim, existe um de Inglês também.

A coleção também inclui alguns jogos. Poker para Leigos é um bom livro para principiantes nesta modalidade de jogo de cartas. Contudo, a obra necessita de algumas atualizações, em especial no que toca as modalidades online. Xadrez para Leigos também está no catálogo, com um segundo livro dedicado exclusivamente às aberturas.

E se você sonha em ser músico, mas é leigo no assunto… experimente uma das muitas opções musicais: Violão, Guitarra, Piano, Bateria, Ukelele, Gaita e – para quem bota fé no próprio arco – Violino. Contudo tenha em mente que ler a teoria é bom, mas em algum momento você precisará de fato ter contato com o instrumento. Os livros podem ser bons, mas a prática é insubstituível.

Para a turma do escritório, a coleção pode ajudar com os títulos dedicados a Marketing, Gerenciamento de Projetos, Vendas… Ou assunto específicos como Instagram Corporativo, Planos de Negócios e Avaliação de Empresas.  Se você é o gestor da equipe, pode contar com as dicas de Gerência e Liderança ou o de Motivação. E se pensa em evoluir na carreira, ou trocar de emprego, há dois títulos dedicados ao Coaching.

Para os fãs de comes e bebes que querem se especializar nas artes gastronômicas, a coleção “para leigos” oferece boas explicações sobre Vinhos e Cervejas, em dois tomos separados. Também é possível entender os princípios da Nutrição, de forma geral, ou ir no detalhe da Alimentação sem Glúten. Até a Dieta Keto, ou cetogênica, ganhou uma versão dedicada.

O pessoal da garagem pode optar pelo Mecânica para Leigos, um dos poucos títulos relacionados a engenharia. Para máquinas mais divertidas, talvez tenha que procurar títulos em outras coleções.

Como se percebe, de forma geral os livros da série se aglutinam em algumas áreas de conhecimento, justamente as mais procuradas por leigos de todos os tipos. Mas mesmo interesses muito específicos podem ser contemplados. Se você quer saber mais sobre Costura, Fortinite, Adestramento de Cães, Maçonaria ou Atitudes Sustentáveis, saiba que o leigo dentro de você não foi esquecido, e poderá mergulhar de cabeça nos livros sobre estes assuntos, disponibilizados pela editora.

Continue Lendo

Dicas de leitura

A festa no céu é o livro mais procurado de Setembro Biblioteca de Hortolândia

Publicado

em

Desta vez, temas como educação, finanças e música conquistaram a atenção dos leitores de Hortolândia

Em busca de uma boa dica de leitura para o final de semana? Que tal dar uma olhada na lista de obras mais emprestadas, divulgada nesta sexta-feira (01/10), pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia? Com a reabertura ao público e a volta dos empréstimos de obras, a Biblioteca Municipal “Terezinha França de Mendonça Duarte” retomou a divulgação do “Ranking da leitura”, listagem mensal dos livros mais procurados na unidade.

Em setembro, a fábula infantojuvenil “A festa no céu”, recontada pela autora Ângela Lago, conquistou o topo da lista; em segundo lugar, vem um clássico da ficção científica, “Eu, robô”, de Isaac Asimov, obra que ganhou adaptação cinematográfica; por fim, em terceiro, ficou a biografia “Eu sou Malala: como uma garota defendeu o direito à educação e mudou o mundo”, da ativista paquistanesa, Malala Yousafzai. Dados registrados pela Biblioteca Municipal revelam que, no mês passado, houve 744 empréstimos, cerca de 11% a mais em relação ao mês de agosto.

Na avaliação da equipe da Biblioteca, o ranking de setembro mostra o interesse dos leitores por temas como educação, finanças e música, perfil diferente do verificado nos meses anteriores, em que predominou a opção por livros de ficção de literatura estrangeira. Outro aspecto que chamou atenção naquele mês foi o registro de 78 pedidos de renovações de empréstimos pelo serviço de whastsapp, o BiblioZap – (19) 98970-7332.

“Embora ainda um pouco abaixo do movimento rotineiro antes da pandemia, estamos sentindo um crescimento na procura da biblioteca e nos serviços que ela oferece para facilitar a vida do interagente”, afirma o bibliotecário Rafael Antonio da Silva.

A Biblioteca Municipal fica na Rua Luiz de Camilo Camargo, 581, no piso inferior do Open Shopping, no Centro de Hortolândia. O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 17h. Para serviços como empréstimos, renovações presenciais, cadastro de usuários, o horário vai até 16h50. Para informações e dúvidas o telefone é (19) 3887 1684 e o e-mail [email protected]

Continue Lendo

Dicas de leitura

Sobre o livro: Mulheres que correm com os lobos

Publicado

em

Os lobos foram pintados com um pincel negro nos contos de fada e até hoje assustam meninas indefesas. Mas nem sempre eles foram vistos como criaturas terríveis e violentas.

Na Grécia antiga e em Roma, o animal era o consorte de Artemis, a caçadora, e carinhosamente amamentava os heróis.

A analista junguiana Clarissa Pinkola Estés acredita que na nossa sociedade as mulheres vêm sendo tratadas de uma forma semelhante. Ao investigar o esmagamento da natureza instintiva feminina, Clarissa descobriu a chave da sensação de impotência da mulher moderna. Seu livro, Mulheres que correm com os lobos, ficou durante um ano na lista de mais vendidos nos Estados Unidos.

Abordando 19 mitos, lendas e contos de fada, como a história do patinho feio e do Barba-Azul, Estés mostra como a natureza instintiva da mulher foi sendo domesticada ao longo dos tempos, num processo que punia todas aquelas que se rebelavam.

Segundo a analista, a exemplo das florestas virgens e dos animais silvestres, os instintos foram devastados e os ciclos naturais femininos transformados à força em ritmos artificiais para agradar aos outros. Mas sua energia vital, segundo ela, pode ser restaurada por escavações psíquico-arqueológicas’ nas ruínas do mundo subterrâneo. Até o ponto em que, emergindo das grossas camadas de condicionamento cultural, apareça a corajosa loba que vive em cada mulher.

Clássico dos estudos sobre o sagrado feminino e o feminismo, o livro é o primeiro de uma série de longsellers da Rocco a ganhar edição com novo projeto gráfico e capa dura

Continue Lendo

Populares