Connect with us

Outros

Quais são as multas que não somarão mais pontos na CNH

Publicado

em

CNH

Você sabe quais são as multas que não somarão mais pontos na CNH a partir de abril de 2021? Não? Então é hora de aprender. Afinal de contas, essas infrações deixarão de ser penalizadas por pontos, mas isso não significa que deixarão de ser infrações e, portanto, será necessário tomar cuidado com elas da mesma forma. Especialmente para quem é dono de automóveis caros, como os carros Toyota e BMW, já que é possível que essa mudança faça com que mais pessoas estejam imprudentes no trânsito.

A mudança nas infrações foi proposta pela Lei nº 14.071/20, sancionada no ano passado, mas que só entrará em vigor no fim de abril de 2021. Isso dará tempo para que os motoristas possam se adaptar para lidar com essas mudanças. Afinal de contas, a expectativa é que as mudanças gerem sim uma alteração no trânsito, embora essas consequências sejam ainda imprevisíveis.

E aí, quer saber quais são as multas que não somarão mais pontos na CNH? Então siga a leitura do artigo abaixo!

Quais são as multas que não somarão mais pontos na CNH? Veja 5 opções!

1. Infrações autossuspensivas

O primeiro ponto a ter em mente sobre a nova lei é que as infrações autosuspenssivas, ou seja, aquelas que já traziam como penalidade a suspensão direta do direito de dirigir, não terão mais pontos na carteira. É uma questão de desburocratizar a legislação e a punição, já que a ação já trazia como consequência a perda da carteira. A atribuição de pontos era, portanto, inútil.

Publicidade

Além disso, a atribuição de pontos nessas infrações trazia a possibilidade de processo para discutir a aplicação da multa, o que poderia levar até 8 anos. Por causa disso, o fator educativo da penalidade se perdeu. Portanto, a remoção da pontuação dessas tarefas permite uma punição mais eficiente e maior segurança jurídica para os agentes de trânsito.

2. Desacordo na placa do carro

Atualmente, o Brasil passa por um longo processo de adaptação para as placas do Mercosul, o que pode levar a um aumento do número de casos em que as placas do carro estão em desacordo com o registrado no Contran. Quando isso acontecer, não haverá mais a aplicação de pontos na CNH do motorista, já que entende-se que essa infração não impede a dirigibilidade do veículo. Portanto, é um problema de registro e irregularidade do motorista, mas não de infração de trânsito. Dessa forma, é claro que haverá uma punição administrativa ao cidadão, mas ela não resultará em pontos na CNH ou perda do direito de dirigir.

3. Condução de carro com característica ou cor alterada

Outra mudança na lei que é mais ou menos parecida com a anterior é dirigir um carro com a cor diferente da registrada ou uma característica alterada. Nesse caso, o entendimento da nova lei é um pouco mais complexo. Antigamente, punia-se o condutor que não dirigiu o carro alterado e não aquele que dirigiu, que é o “errado” da situação, uma vez que atribuía como obrigação do motorista verificar se o carro estava em condições de ser usado. Agora, no entanto, entende-se que a presença do veículo na rua é o risco maior e, portanto, passível de punição. No entanto, ainda assim, a norma da legislação é genérica e não trata todas as alterações de maneira específica, o que abriu a margem para a redução das pontuações. O que acontece, nesse caso, é somente a aplicação da multa.

4. Dirigir sem documentos

Outra mudança significativa na legislação é a redução da punição para quem não estiver com o documento em mãos na hora de dirigir. Como agora é possível constatar que a CNH da pessoa está válida, além de que os documentos do carro estão em ordem sem a necessidade da presença física deles, a lei que obriga o uso desses documentos constantemente perdeu o sentido.

Publicidade

Assim, não tem mais porque punir o motorista que esqueceu a CNH em casa, por exemplo. Afinal, dá para comprovar seu direito de dirigir de outra forma. A verdadeira punição passou a ser dirigir sem ter a documentação para isso, portanto. Como a pessoa não tem a documentação, ela não pode ser punida com pontos na CNH, mas sim por medidas administrativas e multa.

5. Não registrar o carro em 30 dias

Por fim, a ausência de registro do carro 30 dias após a compra não é mais uma infração punível com pontos na CNH. Afinal, esse é um processo burocrático que não interfere na dirigibilidade do veículo.

Pronto, você agora já conhece quais são as multas que não somarão mais pontos na CNH. Ainda existem algumas outras, é verdade, mas são mais focadas em casos específicos. Por exemplo, as ações de passageiros de transporte público não contam mais para a pontuação dos motoristas desses transportes. Mas essa é uma alteração muito específica para um segmento bem pequeno, então não valia a pena mencionar com tanto detalhe.

E aí, gostou das mudanças? Comente abaixo com a sua opinião!

Publicidade

Outros

Tan EV inicia nova etapa da BYD no Brasil

Publicado

em

O Portal Hortolândia teve a oportunidade de conhecer e avaliar nessa semana o BYD Tan EV, modelo 100% elétrico de sete lugares com preço na faixa dos R$ 500 mil.

Mas antes de falar mais sobre o SUV, é importante explicar a BYD chegou ao Brasil em 2015, quando inaugurou sua primeira fábrica de montagem de ônibus 100% elétricos na cidade de em Campinas, interior de São Paulo. Em 2017 abriu uma segunda fábrica em Campinas para a produção de módulos fotovoltaicos.

Para abastecer a frota de ônibus elétricos, a empresa iniciou, em 2020, a operação de sua terceira fábrica no Brasil, no PIM – Polo Industrial de Manaus, dedicada à produção de baterias de fosfato de ferro-lítio. Além disso, a BYD comercializa no Brasil empilhadeiras, caminhões, ônibus, furgões e agora uma nova geração de automóveis, todos totalmente elétricos e não poluentes.

Com todas essas referências, é possível afirmar que a marca não está se aventurando e sim iniciando uma nova etapa no País com a comercialização do Tan EV, modelo equipado com dois motores elétricos, um em cada eixo, proporcionando uma potência combinada de 517 cavalos – 245 no motor frontal e 272 no motor traseiro – considerando seu preço, é possível dizer que cada cavalo do motor tem preço na casa dos R$ 1.000,00.

Publicidade

Seu torque máximo conjunto de 680 N.m. leva o modelo a uma velocidade máxima de 180 km/h e acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,6 segundos. O modelo ainda conta com tração nas quatro rodas.

Algo muito importante quando o assunto é carro elétrico: autonomia. No Tan é possível rodar até 437 quilômetros, segundo dados PBEV do INMETRO. Essa distância é possível graças a sua bateria de 86,4 kWh, que pode ser recarregada de 30% a 80% em apenas 30 minutos em uma corrente contínua de 110 kW.

Que não aconteça com você, mas se na condução do Tan EV você deixar a bateria chegar ao nível de 10% de carga, surge no painel uma mensagem de alerta para carregar o carro.

O design do BYD Tan EV chama muita atenção. Sua dianteira conta com uma grade formada por uma série de lâminas cromadas e o para-choque complementa esse visual. A linha de cintura elevada destaca as rodas de 22 polegadas e a traseira se destaca pelo conjunto de lanternas com efeito 3D de profundidade e iluminação total por LED.

Publicidade

Seu interior traz um acabamento com materiais premium de alta qualidade e poucos botões. A maior parte dos comandos, do sistema de navegação até o ar-condicionado, concentra-se na tela do sistema multimídia.

Aliás este é um dos grandes destaques tecnológicos do BYD Tan: sua tela de 15,6” do tipo floating, que parece estar, literalmente, flutuando no painel, conta ainda com a incrível capacidade de rotação elétrica, podendo posicionar a tela tanto na horizontal quanto na vertical – foi a primeira vez que conferi essa novidade em um veículo.

O modelo tem cluster de 12.3” 100% digital, de alta resolução e configurável, bancos em couro sintético com forrações acolchoadas, painel soft-touch e volante multifuncional com ajuste elétrico de profundidade e altura e aquecimento.

Seu teto de vidro panorâmico cobre até o banco traseiro e permite que a luz natural entre na cabine, proporcionando uma sensação leve e arejada para todos a bordo.

Seus bancos dianteiros são elétricos com sistema de aquecimento e ventilação. O banco do motorista vai além: é ajustável em oito posições. Para os passageiros, os bancos oferecem quatro ajustes.

Publicidade

Ar-condicionado dual zone com sistema de purificação com filtro PM2.5 e ionizador, carregamento sem fio para celulares e iluminação interna nas portas e painel por LED com 30 opções de configuração de cores também fazem parte dos itens oferecidos.

Muito seguro, o BYD Tan EV vem com sistema de câmeras de 360 graus, sendo cinco no total. Há também monitoramento de pontos cegos, que informa o motorista, ao acionar a marcha à ré, quando outro veículo está se aproximando, evitando colisões e tornando as manobras mais seguras.

Também vem equipado com piloto automático adaptativo, que acelera e desacelera o veículo automaticamente acompanhando o carro à sua frente, sem o motorista precisar intervir nos pedais. Outro detalhe são seus sensores que mantém o carro dentro das faixas de rolagem na estrada de forma automática e os seus seis airbags.

A frenagem tem ótima eficiência, garantida por um conjunto formado pelas tradicionais pinças fixas Brembo com seis pistões e discos ventilados e perfurados na dianteira e traseira. Com o intuito de minimizar acidentes e salvar vidas, o recurso conhecido também como frenagem automática de emergência, foi projetado para ajudar o motorista, ativando automaticamente os freios se eles não responderem a tempo no caso de uma colisão iminente.

Publicidade

Outro diferencial é o Sistema de Detecção para Abertura de Portas (DOW) que monitora as condições traseiras do veículo e dá sinas de alerta sobre pontos cegos, evitando acidente durante a abertura das portas.

O Tan EV conta ainda com a função eletrônica Auto Hold, que controla automaticamente os freios ABS para manter o veículo parado numa subida, mesmo que o motorista tire o pé do pedal. É desativado ao se acionar o acelerador.

Seu porta-malas tem espaço para 235 litros para bagagem com sete pessoas e 940 litros com cinco. Caso as duas fileiras de bancos estejam rebatidas, esse espaço supera 1650 litros. O porta-malas é elétrico, com sensor de movimento dos pés.

Não tivemos acesso no modelo avaliado, mas a BYD disponibiliza a tecnologia NFC – Near Field Communication para abrir, fechar e até mesmo ligar a ignição do veículo por meio do método de autenticação do próprio aparelho.

Publicidade

Confira aqui https://youtu.be/l26maWGq8Aw um vídeo com o BYD Tan EV.

Texto: Sérgio Dias

Fotos: Sérgio Dias e Divulgação

Publicidade
Continue Lendo

Outros

Jeep Commander já atingiu a meta de ser líder

Publicado

em

Quando a Jeep apresentou a linha Commander no final de agosto de 2021, falamos aqui na coluna que o desafio do maior e mais sofisticado modelo produzido pela marca aqui no Brasil era liderar o segmento de SUV com sete lugares, tendo como principais concorrentes os Toyota SW4 e Chevrolet Trailblazer.

Apontamos que o Jeep Commander, que com exceção da escolha das cores externas e internas o cliente não precisa definir mais nada quando compra o modelo, tinha potencial de sobra para alcança a liderança e isso já é um fato.

No acumulado do ano, até maio, o SUV da Jeep vendeu pouco mais de 8.000 unidades, enquanto o Toyota SW4 cerca de 5.500. O Chevrolet Trailblazer, com 1.050 unidades perdeu por pouco a terceira posição para o Mitsubishi Pajero Sport com 1.070 unidades.

A linha Jeep Commander é oferecida nas versões Limited e Overland, que podem ser equipadas com motorização turbo flex ou turbo diesel, ambas com transmissão automática.

Publicidade

O motor flex T270, que equipa a versão Overland avaliada pelo Portal Hortolândia, atende os requisitos do Proconve L7, tem 185 cavalos de potência, 270 Nm, sistema de tração 4×2, câmbio automático de seis velocidades e o Jeep Traction Control+.

A motorização turbo Diesel TD380, com torque de 380 Nm, possui 170 cavalos de potência e atende as normas do Proconve L7. Ele traz o sistema SCR de pós-tratamento de gases de escape, reduzindo a emissão de gases poluentes. Com isso, é necessário o uso do aditivo ARLA32.

As versões com esse motor vêm com sistema de tração 4×4 com reduzida, 4×4 Low, seletor de terrenos com três modos (Sand/Mud, Snow e Auto), HDC (Hill Descent Control), que auxilia o motorista em descidas íngremes durante percursos off-road e câmbio automático de nove velocidades da alemã ZF.

Independente da motorização, a versão de entrada Limited vem com rodas de liga leve de 18”, conjunto óptico Full Led e bancos em couro e suede preto e acabamento interno preto.

Publicidade

Traz ainda o cluster Full Digital de 10,25”, central multimídia de 10,1” com plataforma Adventure Intelligence e espelhamento sem fio, carregador de celular por indução, Keyless Enter ‘N Go, bancos dianteiros com ajustes elétricos e abertura elétrica do porta-malas. Além disso, conta com sete airbags e todos os sistemas de direção autônoma (ADAS).

Da mesma forma, independente da motorização, a versão topo Overland que avaliamos traz rodas em liga leve de 19” e bancos em couro e suede marrom.

Para completar, além dos conteúdos oferecidos na versão Limited T270, vem também com teto solar panorâmico, sistema de som premium Harman Kardon, banco de passageiro elétrico, porta-malas com sensor de presença, tomadas de 127v e o Adventure Intelligence Plus com Alexa in Vehicle.

No design o Jeep Commander conta com as tradicionais e marcantes sete fendas. Os faróis Full LED proporcionam mais segurança e possuem seta dinâmica.

Publicidade

As lanternas do Commander, também em LED, contam com desenho inédito e trazem acabamento em cromo acetinado, com quatro refletores inferiores, sendo um com a função de seta e os outros três com luz de posição e freio. Os faróis de neblina e DRL também são em LED.

No interior, os assentos possuem ainda costura aparente, com tom acobreado, bordado no encosto e nos assentos dos bancos. O logotipo da Jeep vem gravado em baixo relevo (versão Limited) no banco e no apoio de braço, que ainda traz o ano de fundação da marca (1941). Na Overland, o nome da versão é que vem gravado nos bancos.

Alinhado aos bancos, também há revestimento em suede e couro no painel com costura em burnished cooper nos acabamentos em marrom e preto e em light diesel grey no acabamento em cinza. Há ainda um filme decorativo hydrographic com acabamento metálico, que varia de acordo com o tom do interior: vertical brush com cromado cobre, silver metal brush com cromado e ainda vertical brush com cromado acetinado.

Vale dizer ainda que o Commander traz nove easter eggs espalhados no interior e exterior do veículo. Além de alguns tradicionais encontrados também em outros modelos Jeep, o novo SUV da Jeep traz novos desenhos.

O Jeep Commander conta com três fileiras de assentos, sete lugares e um dos maiores porta-malas da categoria com 1.760 litros com todos os bancos rebaixados, 661 litros na configuração com cinco ocupantes e 233 litros com os sete assentos levantados. Além disso, o modelo também conta com espaço de porta-objetos: 31 litros de volume.

Publicidade

Por fora, o modelo oferece seis opções de cores tradicionais (Branco Polar, Cinza Granite, Prata Billet, Azul Jazz, Deep Brown e Preto Carbon), além de uma cor nova e totalmente exclusiva do modelo: Slash Gold, um tom dourado sutil.

Nas versões Overland, além do teto preto, as molduras inferiores são na cor do veículo. Por dentro, há três cores como opções para o acabamento interno: couro e suede preto (Limited), couro e suede marrom (Overland) e couro cinza (opcional).

Confira aqui https://youtu.be/_CQdpaUjx2Q um vídeo com o Jeep Commander.

Texto: Sérgio Dias

Publicidade

Foto: Divulgação

Continue Lendo

Outros

LBV ajuda famílias mais vulneráveis do Brasil

Publicado

em

lbv-cesta

Um levantamento divulgadonesse mês de junho,por diversos veículos de comunicação apresentou dado alarmante: o número de brasileiros sem ter o que comer quase dobrou em 2 anos de pandemia.

Os dados fazem parte do 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN) e informa que o país soma atualmente cerca de 33,1 milhões de pessoas sem ter o que comer diariamente, quase o dobro do contingente em situação de fome estimado em 2020. Em números absolutos, são 14 milhões de pessoas a mais passando fome no Brasil.

SOLIDARIEDADE
Além de todo o trabalho que realiza diariamente em suas 82 unidades socio educacionais no país, a Legião da Boa Vontade (LBV) desde o início da pandemia da Covid-19 (março/2020), intensificou suas ações emergenciais e humanitárias em benefício das famílias mais vulneráveis atendidas pela Instituição e por organizações parceiras. A LBV ainda tem mobilizado doações para atender os impactados pelas calamidades que têm atingido diversas regiões do país nos últimos meses.

SOS CALAMIDADES (ALAGOAS E PERNAMBUCO)

Publicidade

Uma importante mobilização que está sendo promovida pela LBV é a campanha SOS Calamidades em prol das vítimas das chuvas nos Estados de Alagoas e do Pernambuco. Doações de alimentos não perecíveis, água potável, material de higiene e limpeza, além de outros itens de primeira necessidade podem ser entregues nos postos de arrecadação em Maceió/AL: Av. Muniz Falcão, 964 – Barro Duro. Tel.: (82) 3328-4410; em Recife/PE: Rua dos Coelhos, 219 – Bairro dos Coelhos – Tel.: (81) 3413.8601;e em São Paulo/SP: Av. Rudge, 898 – Bom Retiro – Tel.: (11) 3225-5535.

DIGA SIM!

A Campanha DIGA SIM! é outra inciativa que vem entregando nesse período de inverno cestas de alimentos e cobertores em diversas cidades brasileiras, a fim de amenizar a fome e o frio enfrentados pelas famílias em vulnerabilidade social.

DOE AGORA

Publicidade

A LBV conta com a sua doação. Doe pela Central de Doações do aplicativo PicPay; pelo Pix Solidário[email protected] ou acesse o site www.lbv.org/doe.

REDES SOCIAIS

Confira as ações realizadas pela LBV acessando:@LBVBrasil no Instagram e no Facebook. VOCÊ AJUDA. A LBV FAZ!

Publicidade
Continue Lendo

Populares