Levantamento mensal feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela alta de 0,77% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio que em 30 de abril era R$ 1.030,47 passou para R$ 1.038,45 em 31 de maio.

Nos últimos doze meses o óleo de soja foi o produto da cesta que apresentou a maior variação positiva, 90,66%: em maio de 2020 a lata de 900 ml custava em média R$ 3,96 e, em maio de 2021, R$ 7,55. O segundo item com maior aumentou foi o arroz, 48,34%, seguido pela carne de segunda, 41,98%.

A pesquisa aponta ainda, alta de 18,17% na comparação do mesmo período.

Em maio deste ano, o grupo Alimentação apresentou variação de 1,14%; Limpeza, -2,00% e Higiene Pessoal, -1,74%. A variação no ano foi de 3,03% (base: dezembro/2020).

Os produtos que mais subiram foram:

Amaciante (2 litros) 5,91%

Biscoito Água e Sal (pacote 200 g) 5,91%

Carne de Segunda sem Osso (kg) 5,15%

Margarina (250 g) 5,14%

Extrato de Tomate (340/350 g) 4,41%

E as maiores quedas foram:

Cebola (kg) -10,74%

Sabão em Pó (kg) -5,58%

Feijão Carioquinha (kg) -4,85%

Creme Dental (tubo 90 g) -3,56%

Água Sanitária (litro) -3,54%

Dos 39 produtos pesquisados, na variação mensal, 22 apresentaram alta, 15 diminuíram de preço e 02 permaneceram estáveis.

Veja a pesquisa completa.

Artigo anteriorMorador de Hortolândia é campeão paulista de fisiculturismo
Próximo artigoJohn Deere Indaiatuba divulga vagas de emprego