Connect with us

São Paulo

Pesquisa diz que Municípios de SP que adotaram isolamento social mais severo não tiveram pior desempenho econômico

Publicado

em

Estudo realizado em parceria entre a Unicamp e a Universidade do Texas, publicado nesta quarta-feira (17) no periódico Plos One, indica que municípios do estado de São Paulo que realizam o isolamento social de forma mais severa não tiveram pior desempenho econômico. Os resultados apontam também que a eficácia do isolamento social na contenção da pandemia é maior quando a política é articulada regionalmente, e não apenas em nível municipal.

A pesquisa avaliou os impactos econômicos agregados nos municípios, verificando que alguns setores tendem a ser mais afetados que outros. Os resultados partiram da análise de indicadores econômicos, de isolamento social e de saúde. Foram observados dados de 104 municípios de São Paulo, nos quais se concentraram cerca de 91% dos casos da Covid-19 entre março e junho de 2020. Os índices de isolamento social foram obtidos da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE). Já os indicadores econômicos levados em consideração foram a arrecadação municipal do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e os dados de empregos formais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

A pesquisa integra projeto que conta com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério da Saúde. Fazem parte do grupo de pesquisadores: Alexandre Gori Maia (Unicamp), Letícia Marteleto (Universidade do Texas), Cristina Guimarães (FIPE/USP) e Luiz Gustavo Fernandes Sereno (Unicamp).

“Nós encontramos evidências de que ao relaxar o isolamento social há um aumento substancial do número de casos e do ponto de vista econômico não muda muita coisa, porque a dinâmica econômica acaba sendo afetada pela dinâmica regional”, explica o professor do Instituto de Economia (IE) da Unicamp e coordenador do projeto de pesquisa, Alexandre Gori Maia. “Os indicadores mostram que, quanto maior o isolamento, menor o número de casos e de mortes. Por outro lado, quando relacionamos o que aconteceria com o município em termos econômicos se ele não tivesse intensificado o isolamento, observamos que não haveria mudanças significativas”, continua.

“Não há evidências de que os municípios que adotaram isolamento mais severo tiveram pior dinâmica econômica”, afirma professor Alexandre Gori de Maia

Isso não quer dizer que não houve um grande impacto econômico causado pela pandemia, frisa Alexandre, mas que não está atrelado exclusivamente ao isolamento social. “Houve uma queda geral na arrecadação de impostos, mas não foi o fato de um município ter ficado mais isolado que outro que fez com que tivesse desempenho econômico pior. Não há evidências de que os municípios que adotaram isolamento mais severo tiveram pior dinâmica econômica”, afirma. Dessa forma, segundo o professor, o isolamento acaba sendo a melhor estratégia enquanto não há uma intervenção farmacológica, como a vacina, para parte significativa da população.

Ações de isolamento precisam ser coordenadas

Outro resultado do estudo indica que a eficácia do isolamento no controle da pandemia é melhor quando há ações regionais, e não focadas apenas no município. Dessa forma, medidas de controle da Covid-19 não devem se restringir às fronteiras municipais. “Fica até um alerta, de que essas políticas precisam ser coordenadas regionalmente. Ao tomar decisão local, no município, o impacto é muito menor”, avalia Alexandre. Ações descoordenadas entre nível estadual e federal a respeito do distanciamento social também são evidenciadas como limitadoras no controle da epidemia no país.

Isolamento surte mais efeito em municípios mais vulneráveis

Os pesquisadores observaram ainda que o isolamento foi mais eficaz no controle da pandemia nos municípios mais vulneráveis no estado. “Uma hipótese é que é muito mais difícil manter regras de distanciamento em locais mais vulneráveis, então nesse caso a melhor estratégia parece ser o ‘fique em casa’”, observa. Por isso, o estudo indica que as políticas de controle da pandemia precisam levar em conta desigualdades socioeconômicas, já que as populações mais pobres em geral têm maior risco de infecção.

Fonte Unicamp

São Paulo

Aumentam mais de 150% as reclamações contra Crédito Consignado no Procon

Publicado

em

Procon-SP registra aumento de 156% nas queixas contra empréstimo consignado; principal problema são os empréstimos não solicitados

O Procon-SP tem observado um aumento significativo nas reclamações relacionadas a crédito consignado, até agosto desse ano foram registradas 6.542 queixas, contra 6.502 em todo o ano passado. Quando comparados os mesmos períodos – janeiro a agosto de 2020 e 2021 – o aumento foi de 156% (2.555 casos em 2020).

A maior parte dos consumidores que chega ao Procon-SP reclama que não pediu ou não autorizou o empréstimo e que, apesar de ter questionado a situação com o banco ou instituição financeira que concedeu o valor, não conseguiu solucionar o problema. Em muitos casos, o problema só é constatado quando as primeiras parcelas começam a ser descontadas da conta. Também de 2019 para 2020 foi observada uma alta nas queixas: de 2.505 para 6.502, um aumento de quase 160%.

“Depositar valores na conta do consumidor sem autorização é uma prática abusiva. O primeiro passo que deve ser adotado é formalizar uma reclamação com a instituição que concedeu o empréstimo, em seguida entrar em contato com o Procon de sua cidade”, explica Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP.

O consumidor que passar por esse problema pode procurar o Procon-SP pelo site www.procon.sp.gov.br ou nos postos de atendimento pessoal – Poupatempos Sé, Santo Amaro e Itaquera e posto avançado dentro do 8º Distrito Policial do DECAP (R. Sapucaia, 206, Brás).

Amostra Grátis e Devolução em Dobro

O Código de Defesa do Consumidor proíbe o envio de produtos ou serviços para o consumidor sem sua solicitação; de acordo com lei, nos casos em que isso ocorre, o item passa a ser equiparado a amostra grátis. O CDC também determina que valores cobrados indevidamente do consumidor devem ser restituídos em dobro.

“Quando uma instituição financeira coloca na conta do cidadão um valor sem que ele tenha pedido, este valor pode ser considerado uma amostra grátis. E, portanto, não deverá ser cobrado. Além disso, quaisquer juros ou encargos que venham a ser cobrados terão que ser devolvidos em dobro, conforme previsão legal”, defende Capez. “As empresas que estão depositando valores nas contas de aposentados e pensionistas sem a devida autorização devem ficar alertas, pois o Procon-SP irá aplicar os artigos 39 e 42 do Código de Defesa do Consumidor e elas terão que arcar com a perda do valor depositado e com a devolução em dobro de todos os juros e encargos cobrados. O consumidor deve procurar o Procon-SP para garantir os seus direitos”, avisa Capez.

Crédito Consignado

O crédito consignado é concedido por meio de empréstimo pessoal ou cartão de crédito e o desconto das parcelas acontece direto no salário ou benefício mensal; o principal atrativo são as taxas de juros menores que nas modalidades tradicionais de crédito, como cheque especial, crédito direto ao consumidor e cartão de crédito.

Existe uma modalidade de crédito consignado voltada especificamente a quem recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social e o órgão que estabelece as regras para os bancos e financeiras que oferecem esse tipo de crédito é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Veja mais informações no material elaborado pelo Procon-SP https://www.procon.sp.gov.br/wp-content/uploads/2021/03/EmprestimoeCartaoConsignado_junho2020.pdf

Continue Lendo

São Paulo

Bolsa do Povo Saúde oferece 3,8 mil vagas para estudantes de baixa renda

Publicado

em


A Secretaria de Estado da Saúde está com inscrições abertas para o Programa Bolsa do Povo – Acolhe Saúde para 3.800 bolsas para estudantes de baixa renda das áreas de Ciências da Saúde e Biológicas. Serão R$ 28,2 milhões em incentivos para estudantes de todo o estado.

A iniciativa oferece subsídio financeiro para incrementar renda e incentivar a formação de alunos de cursos técnicos, tecnólogos e de graduação nessas áreas e que estejam matriculados do primeiro ao penúltimo ano.

Serão 1,2 mil bolsas para nível técnico, com subsídio de R$ 500,00 mensais; 1,5 mil para tecnólogo, no valor de R$ 650,00; e outras 1,1 mil para licenciatura e bacharelado, de R$ 750,00 cada.

Os estudantes poderão atuar em 168 serviços da Secretaria de Estado da Saúde, entre hospitais, AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades), centros especializados e Departamentos Regionais de Saúde (DRS), em período de 20 horas semanais.

Além de fomentar a profissionalização, a iniciativa contribui ampliar e qualificar o atendimento aos cidadãos usuários dos Serviços Públicos de Saúde do Estado de São Paulo, tornando-o mais humanizado. O balanço estimado é de 1,6 milhões de acolhimentos por mês.

Para participar do processo seletivo, os interessados devem estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), ter renda mensal familiar per capita de até meio salário mínimo nacional e estar regularmente matriculados em cursos das áreas citadas.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 29 de setembro no site www.bolsadopovo.sp.gov.br e o resultado da classificação do primeiro bloco será no dia 6 de outubro. A classificação levará em conta a listagem cronológica por tipo de curso, sendo critérios de desempate o candidato com maior idade, a inscrição prioritária no site ou participação nos projetos de voluntariado da Secretaria de Estado da Saúde.

“Este programa tem impacto social, econômico e assistencial, uma vez que estamos incentivando os estudantes dessas áreas a concluírem seus cursos, auxiliando financeiramente suas famílias e, ao mesmo tempo, contribuindo para melhorar o acolhimento nos nossos serviços ao viabilizarmos experiências em serviços de referência do SUS”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

O Acolhe SP prevê vigência de seis meses, com possibilidade de prorrogação até 31 de dezembro de 2022. O Bolsa do Povo foi criado pelo Governo de São Paulo para auxiliar a população mais vulnerável impactada pela pandemia de COVID-19.

Continue Lendo

São Paulo

Procon notifica rede de Academia após aumento de quase 100% nas reclamações

Publicado

em

Após aumento de quase 100% nas reclamações, empresa deverá explicar sobre sua política de cancelamento no período da pandemia

O Procon-SP notificou a Bluefit Academias de Ginástica e Participações S.A – SCP solicitando explicações sobre a política de cancelamento adotada aos contratos suspensos com mensalidades pagas no período da pandemia da covid-19.

Também foram solicitadas as seguintes informações:

– quais as providências adotadas nos contratos firmados à época do exercício regular das atividades, porém, suspensos em razão do período em que perduraram os efeitos das restrições da pandemia;
– quais as condições de preços e cobrança vigentes para cada plano comercializado no período de restrições de suas atividades, demonstrando as modalidades de pagamento disponíveis e a forma de utilização dos créditos dos consumidores após retorno por autorização governamental;
– qual o tipo e procedimento de comunicação encaminhado aos consumidores no que se refere à política de cobrança, utilização de créditos e reembolso dos valores pagos e não usufruídos.

A empresa ainda deverá apresentar comprovação de funcionamento de Canais de Atendimento aos Consumidores, para recebimento, tratamento e solução de demandas de natureza operacional e/ou financeira, demonstrando o seu horário de funcionamento e o tempo médio de solução nos casos apresentados.

O que motivou a notificação foi o grande número de reclamações registradas no Procon-SP apontando que a empresa continuou a realizar cobranças do consumidor mesmo no período em que esteve fechada, sem possibilitar a rescisão dos contratos recorrentes e o reembolso dos valores pagos. De janeiro a agosto de 2021 foram 280 registros contra 143 do mesmo período de 2020, aumento de 96%.

A Bluefit tem até o dia 28 de setembro para responder aos questionamentos do Procon-SP.

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares