A partir desta terça-feira (23), a Baixada Santista determinou lockdown, ao todo nove municípios da região começam a cumprir a medida rigorosa contra a disseminação do novo coronavírus. A princípio, as restrições valem por 13 dias, terminando no dia 4 de abril.

A Prefeitura de Santos informou que a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal se unirão em uma força-tarefa para fiscalizar a circulação de moradores e de veículos. Poderão circular nas cidades apenas quem precisar comprar medicamentos, ou necessitar de atendimento ou socorro médico de animais ou pessoas, embarque ou desembarque em terminais rodoviários ou necessidades inadiáveis.

Para isso, as pessoas podem circular apenas com apresentação de documentos como nota fiscal ou prescrição médica, atestado de comparecimentos das unidades de Saúde, carteira de trabalho ou holerite que comprove a prestação de serviço autorizada no decreto.

Durante o período do lockdown, estarão proibidas feiras livres, e hotéis, pousadas, pensões e motéis poderão atender apenas clientes corporativos, com áreas de lazer e recreação fechadas. Os serviços de drive-thru também não poderão funcionar e os comércios com delivery podem trabalhar apenas com as portas fechadas, com 30% dos funcionários e até às 22h.

O prefeito de Santos e também presidente do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista, Rogério Santos, explicou a necessidade da decisão: “São medidas duras mas que, infelizmente, temos que tomar agora para preservar vidas. Os especialistas em Saúde nos passaram um quadro assustador no encontro realizado quinta-feira”. De acordo com a Prefeitura, as multas para quem descumprir as medidas restritivas irão de R$ 300 a R$ 10 mil.