13 de junho de 2024
Policial

PF cumpre mandatos em Campinas e Sumaré para reprimir crimes de lavagem de dinheiro

policia-federal

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 29, a Operação Occulta Pecunia, para apurar atos de lavagem de dinheiro, tendo como crime antecedente o roubo de 5 milhões de dólares no interior do Aeroporto Internacional de Viracopos no dia 4 de março de 2018.

A investigação, que resultou em cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela Primeira Vara Federal de Campinas/SP, iniciou-se há cerca de um mês, a partir da análise de novos elementos probatórios e contou com a atuação conjunta da Polícia Federal, Ministério Público Federal e BAEP Campinas.

Com a instauração do inquérito policial e o avanço das investigações, foi descoberta a associação de várias pessoas, de maneira estruturada e ordenada, que dissimularam a origem do patrimônio, com a utilização de diversos subterfúgios para a execução do crime, como compra e venda de imóveis, aquisição de veículos, criação de empresa para circulação de recursos e outros métodos.

No total, 20 policiais federais e militares integrantes do BAEP participaram dos atos de cumprimento dos mandados nesta manhã, com buscas nos estados de São Paulo (3 em Campinas, 1 em Sumaré) e Alagoas (1 em Belém).

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa, cujas penas somadas podem chegar a mais de 14 de anos de prisão.

Dois dos principais envolvidos no crime e companheira de um deles, encontrada com a quantia de U$ 20 mil oriundos do roubo, já haviam sido identificados e, dois deles, presos na Operação Tango Victor.

O nome da operação, em latim, traduz-se por dinheiro oculto.

Da Operação Tango Victor (5.9.2020)

No dia 5.9.2020, a Polícia Federal deflagrou a Operação Tango Victor, efetuando a prisão de um homem e uma mulher, ligados à associação criminosa que roubou, no dia 4.3.2018, cerca de US$ 5 milhões no pátio do Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de Viracopos.

Naquela oportunidade, foram expedidos três mandados de prisão temporária e um de busca e apreensão.

Um dos mandados de prisão e outro de busca e apreensão foram cumpridos na capital paulista e outro, de prisão, no estado de Rondônia, onde foi preso, pela Polícia Rodoviária Federal, na BR-364 (Porto Velho), o investigado considerado um dos líderes do bando.

De acordo com as investigações, os suspeitos foram identificados com base na apreensão de US$ 20 mil, com uma mulher, 18 dias após o roubo. O dinheiro foi periciado e constatado, através do número de série, que fazia parte dos 13 malotes que estavam em um contêiner no Terminal de Cargas Tango Victor, que seria enviado para Zurique, na Suíça.

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98