O departamento de vigilância em saúde de Campinas confirmou nesta quarta-feira (03), que uma adolescente de 13 anos morreu por síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica pós Covid-19. Trata-se do primeiro óbito por essa enfermidade na cidade. A prefeitura informou que a vítima possuía comorbidades, mas não detalhou quais.

A garota era estudante do 8° ano da escola Estadual Escritora Rachel de Queiroz, que fica no Jardim Yeda. No dia 25 de fevereiro, o colégio manifestou pesar pela morte e anunciou que ficaria fechado até o dia seguinte, em luto.

A doença, considerada rara, pode se desenvolver em pessoas de 0 a 19 anos que tiveram Covid-19 previamente e que já estão curadas