Dinheiro

A Prefeitura de Hortolândia criou o projeto de LEI número 159/2018, que ”Autoriza o Poder Executivo a celebrar Convênio com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – SABESP, para compartilhamento de ações visando à arrecadação da Taxa Ambiental de Resíduos Sólidos Urbanos – TARSU nas faturas/contas de água/esgoto”

O Poder Executivo encaminhou um projeto de lei para Câmara Municipal para votação dos vereadores, em que celebram um convênio entre SABESP e Prefeitura. Caso os vereadores aprovem o projeto de Lei, a população passará a pagar uma taxa da coleta de lixo, remoção e destinação final de resíduos sólidos nas contas de água/esgoto.

O projeto de Lei começou a ganhar repercussão com a disseminação através das redes sociais, que em poucas horas causou muita revolta por parte da população sobre mais uma Taxa, se caso seja aprovado serão obrigados a pagar.

Muitos moradores já se organizam para irem na próxima sessão na Câmara manifestar contra votação da Taxa do lixo. De acordo com o morador Rogério Mion, “meu pensamento é claro, à população já tá cheia de tanta Taxa, tanta coisa que esse governo tem inventado aí, né? Lembro que o atual governo quando foi eleito pela primeira vez, criou a taxa de iluminação pública agora vem com a segunda Taxa do lixo. E sempre fala que tá criando uma taxa pra deixar mais livre o dinheiro público, e gasta em outras coisas. Só que não é o que a gente percebe na cidade. A saúde não vai bem a Guarda Municipal tinha aquele sistema de monitoramento e hoje foi desativado. A verdade é que a cidade está abandonada, diversas situações colocada para pesar mais no bolso do contribuinte e do Cidadão. Nós moradores da cidade sente isso, cada vez mais é Taxado. O que volta pra a gente? É muito pouco, né? Hoje não consegue fazer um exame médico, por mais simples que seja o exame, por exemplo: um exame de sangue. Realmente tá bem complicado, um sentimento de tristeza com mais uma Taxa em nosso município. Só espero que os vereadores hajam com sabedoria quando forem votar a taxa em nosso município”, desabafou Mion.