Peças são confeccionadas por aprendizes do curso de Costura Industrial, oferecido pela Administração: 25 mil alunos serão atendidos

A Prefeitura de Hortolândia já começou a confecção dos uniformes escolares que os cerca de 25 mil alunos da rede municipal de ensino usarão no próximo ano letivo. A produção iniciou pela confecção de shorts e camisetas. De acordo com as secretarias de Inclusão e Desenvolvimento Social e de Educação, Ciência e Tecnologia, a previsão é que os alunos recebam os novos uniformes no início de 2020. A ação é uma das prioridades do prefeito Angelo Perugini na área da Educação. 

A produção dos uniformes é feita pelas 60 aprendizes do curso de Costura Industrial, do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação), oferecido pela Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. “Elas costuram os uniformes com muito capricho e carinho. Algumas delas são mães e seus filhos estudam nas escolas da nossa rede municipal”, destaca o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

O secretário informa que as aprendizes serão responsáveis pela confecção de cerca de 150 mil peças, produzidas em tecido antialérgico, no mesmo padrão de qualidade dos uniformes produzidos no ano passado e entregues no início deste ano. “A confecção das peças está em ritmo acelerado. Estamos produzindo, por dia, cerca de 1.200 peças, 200 a mais que no ano passado”, observou Bueno.

Para secretária a de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Mara Fagundes Freire, o fato da criança estar uniformizada vai além da contribuição ao fator econômico da família. “A Prefeitura tem o compromisso de ofertar uma educação de qualidade. Trabalhamos para que a educação melhore a cada dia e oferecer uniformes de qualidade faz parte destes investimentos que vão além da economia garantida por meio do fornecimento gratuito das peças. A garantia da autoestima e valorização para estes estudantes, com igual vestimenta, apropriada para participar de todas atividades do dia a dia da escola, além da segurança, também é um benefício deste investimento”, explicou a secretária.

GERAÇÃO DE RENDA

A Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social informa que o curso de Costura Industrial tem duração de um ano. São oferecidas 60 vagas, 30 no período matutino e 30 no período vespertino. O curso é ministrado no CQPP (Centro de Qualificação Pessoal e Profissional) Costura & Moda, localizado na rua Eleusina Batista Silva, 14, Jardim Terras de Santo Antonio. 

No curso, as aprendizes têm a parte prática, que é justamente a confecção dos uniformes escolares. A atividade é voltada para pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica. A seleção é feita por meio dos quatro CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) existentes na cidade e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). O objetivo é proporcionar aos aprendizes a possibilidade de reinserção no mercado profissional ou de se tornarem empreendedores. As aprendizes recebem bolsa de R$ 710,00 e cesta básica. 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia