A poesia vai tomar conta da primeira edição deste ano do sarau “Aqui Trem Poesia”, nesta terça-feira (03/03). O evento será, às 19h, no Centro de Memória “Professor Leovigildo Duarte Junior”, órgão da Prefeitura, localizado na rua Rosa Maestrelo, 2, Vila São Francisco. Neste ano, o sarau passa a ser mensal e com a participação de autores destacados. A convidada desta primeira edição será a filósofa, professora e poetisa Maria Vilani (foto). Neste ano, o sarau passa a ser realizado por meio de parceria entre governo estadual, Prefeitura de Hortolândia e IFSP (Instituto Federal São Paulo) – Câmpus Hortolândia. De acordo com a Secretaria de Cultura, o sarau foi um dos projetos contemplados pelo ProAC (Programa de Ação Cultural) – Incentivo ao Desenvolvimento da Cultura Popular, Tradicional,Urbana, Negra Índigena e Plural. 

Maria Vilani nasceu em 1950, no Ceará. É formada em filosofia e pedagogia, com habilitação em História e Psicologia, e pós-graduada nos cursos de Filosofia Clínica, Língua, Literatura e Semiótica, e Psicopedagogia Clínica e Institucional. 

Aos 41 anos, Maria Vilani iniciou sua carreira literária com o livro “Cinco Contos Sem Desconto e de Quebra Dois Poemas”. Sua obra mais recente é “Abscesso”, lançada em outubro do ano passado. Maria Vilani é também uma artista que bota a mão na massa. Ela é idealizadora de vários projetos no bairro do Grajaú, na zona sul da capital paulista, onde mora há mais de 40 anos. Um desses projetos é o CAPS (Centro de Arte e Promoção Social), que, inclusive, tem um selo editorial independente, chamado Capsianos, pelo qual Maria publicou seu livro mais recente. 

A poetisa elogia a iniciativa da Prefeitura em criar o sarau. “Fiquei muito feliz e honrada em ser convidada para o sarau ‘Aqui Trem Poesia’. Vou contar um pouco sobre as minhas obras e o trabalho que realizamos no CAPS Artes”, antecipa Maria. 

Para a poetisa, um sarau é como “acender um ponto de luz para o mundo”. “Realizar um sarau é valorizar os seres humanos e sua subjetividade. Um sarau reflete a cultura de cada lugar”, destaca a poetisa. 

Maria Vilani também tem familiaridade com o universo da música. A poetisa é mãe do consagrado cantor e rapper Criolo. “Eu e Criolo estamos sempre conversando. Eu mostro minhas composições para ele, meus outros filhos e meus netos. Peço para eles opinarem. Em um de meus livros, ‘Penteando A Vida’, escrevi um poema inspirado em Criolo”, conta Maria.

MENSAL 

O sarau manterá o formato com o microfone aberto para a participação do público, que poderá declamar poesias e textos literários, de autoria própria ou de autores conhecidos. O evento continuará sob o comando do músico e poeta Renan Inquérito, que também é o responsável pela curadoria do sarau, acompanhado do DJ Viny. 

Para alimentar o espírito literário das pessoas, o sarau terá a banca de troca de livros da Biblioteca Municipal “Terezinha França de Mendonça Duarte”, órgão da Prefeitura, que disponibilizará cerca de 400 títulos para troca. O evento terá ainda praça de alimentação.

De acordo com a Secretaria de Cultura, o sarau terá seis edições neste ano (de março a agosto), mais uma edição extra, em setembro, a ser realizada pela Prefeitura. O sarau também manterá o formato para escolas, como em 2019, chamado “Aqui Trem Poesia na Escola”. O objetivo é levar o clima do evento para alunos de escolas da cidade. Neste ano, está prevista a realização de cinco edições em escolas a serem definidas, também sob o comando de Renan Inquérito.

O SARAU

A Prefeitura de Hortolândia criou o sarau “Aqui Trem Poesia” em 2019, quando foram realizadas duas edições (agosto e outubro). O nome do evento é um trocadilho com a palavra “trem”, em referência à antiga Estação Jacuba, cujo prédio foi restaurado pela Prefeitura, e hoje abriga o Centro de Memória “Professor Leovigildo Duarte Junior”, onde as duas edições do evento foram realizadas. Também no ano passado, a Prefeitura levou evento para cinco escolas públicas da cidade.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia