A linguagem audiovisual é uma ferramenta que pode ajudar a implementar ações e políticas de preservação histórica, patrimônio e memória. É com base nessa premissa que o Ponto MIS (Museu da Imagem e do Som) em parceria com a Prefeitura de Hortolândia realiza a oficina online “Cinema, patrimônio e memória coletiva”. A atividade acontecerá nas próximas segunda, quarta e sexta-feiras (26, 28 e 30/07), no horário das 19h às 21h. São 50 vagas disponíveis. Os interessados devem fazer a inscrição por meio deste LINK.

A oficina é para pessoas com idade a partir de 18 anos interessadas nas áreas de história, arquitetura, museografia, restauro, patrimônio material e imaterial. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail pela Secretaria de Cultura. A atividade será ao vivo pela plataforma Zoom.

A oficina abordará as relações entre o fazer cinematográfico e as políticas de preservação, patrimônio e memória. O objetivo é ajudar profissionais e interessados em políticas de patrimônio a utilizar ferramentas técnicas e estéticas do vídeo e cinema em seus projetos e atividades. 

É solicitado aos participantes para que tragam as informações e o contexto de seus projetos. Não é necessário trazer material filmado. Os projetos podem, por exemplo, ser sobre o registro de algum evento ou exposição já realizado ou a ser realizado, um documentário sobre alguma região histórica, ou algum edifício tombado pelo patrimônio. Os projetos serão discutidos e orientados na oficina, na medida do possível dentro do período de realização da mesma.

O conteúdo será dividido em três módulos. O primeiro discutirá como alguns cineastas e documentaristas abordaram assuntos ligados a políticas de patrimônio e memória coletiva. Serão apresentados trechos de filmes de realizadores estrangeiros e brasileiros, tais como Patrício Guzman, Agnés Varda, Chris Marker, Anita Leandro, Luis Labaki e Paula Sacchetta.  

No Módulo 2, serão trabalhadas questões relativas às políticas de patrimônio que ocorrem ou podem ser filmadas nas cidades e territórios dos participantes da oficina. A intenção é pensar como a oficina pode dar apoio instrumental para projetos que já ocorram, ou mesmo como desenvolver novas ideias. Os participantes serão convidados a trazer propostas práticas, que poderão ser o registro das políticas de patrimônio, produção de banco de imagens, edição de imagens, entre outros.

Por fim, o Módulo 3 fará uma conclusão teórica e prática da oficina, sob o ponto de vista de como o audiovisual e políticas de patrimônio podem se relacionar. Serão discutidos mais alguns exemplos da história do cinema, que se relacionam com os projetos trazidos pelos participantes da oficina. Haverá ainda orientação técnica e instrumental dos projetos audiovisuais que queiram ter prosseguimento após a oficina.

A oficina será ministrada pelo professor André Manfrim, formado em audiovisual. Ao longo de sua carreira profissional, dirigiu e roteirizou a série documental “Habitação Social – Projetos de um Brasil” (TV Cultura, TV Brasil e Amazon Prime Vídeo). Dirigiu a fotografia da série “Onde Nascem As Ideias” (Canal Curta!) e do longa-metragem documental “O Barato de Iacanga” (Netflix). Atualmente, desenvolve a série televisiva “Brasil Memória”, por meio do edital ProAC (Programa de Ação Cultural) Editais Desenvolvimento de Série 2019, do governo estadual.

Artigo anteriorFundo de Solidariedade cria páginas em redes sociais para promover interação com a população
Próximo artigoPAT de Hortolândia oferece 148 vagas de emprego