Área onde serão realizadas intervenções viárias recebem limpeza para  início da terraplenagem

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) realiza a limpeza e a retirada do excesso de terra para iniciar as obras de continuidade do Corredor Metropolitano, no Parque Peron, até o quilometro 5 da Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101). Após a limpeza, o local receberá serviços de terraplanagem. A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) concedeu, na semana passada, a licença ambiental para a iniciar as obras deste trecho. A obra, realizada por meio de uma parceria da Prefeitura com o Governo do Estado, faz parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento).

Além das intervenções viárias que ligarão a via expressa de ônibus ao quilômetro 5 da SP-101, serão construídas duas alças de acesso à SP-101, sobre a ferrovia, a Estação Transferência Peron, a Parada Rosolen, cinco estações de embarque e desembarque (Conjunto Habitacional, Panaino, Novo Ângulo, Nova América e Ataliba Nogueira). 

A obra do Corredor Metropolitano, sentido Jardim Novo Ângulo, viabiliza o tráfego de veículos pela Ponte da Esperança, construída pela Prefeitura para integrar as regiões Leste (Jd. Novo Ângulo) e Oeste (Jd. Amanda) da cidade. A partir do Jd. Nova América, o traçado do Corredor segue pelo Parque Peron e pelo bairro Chácaras Nova Boa Vista, até o km 5 da SP-101, onde a concessionária Rodovias do Tietê implantará um dispositivo de acesso ao corredor expresso e à Ponte da Esperança. Quando todas as etapas estiverem prontas, o Corredor Metropolitano proporcionará a ligação viária de Americana até Campinas.

EM OPERAÇÃO

No trecho do corredor, na avenida Olívio Franceschini, já operam a Estação de Transferência Pinheiros e as Paradas Parque Ortolândia, Remanso Campineiro, Parque Gabriel e Emancipação.

INVESTIMENTO

O Estado investe R$ 58,2 milhões nas obras em Hortolândia, que incluem a interligação da avenida Olívio Franceschini com a ponte; o viário da ponte até a SP-101, com duas alças de acesso do Corredor à rodovia, nos sentidos Monte Mor e Campinas; duas estações de transferência nos bairros Peron e Rosolen; cinco estações de embarque e desembarque; além de um CCO (Centro de Controle Operacional), na avenida Olívio Franceschini; e de um viaduto na SP-101, na altura do Jardim Rosolen.

PIC

A obra do Corredor Metropolitano e a liberação da Ponte da Esperança para o tráfego de veículos são obras que fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), programa que prevê mais de 100 intervenções e serviços que promoverão o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. As obras do PIC são realizadas por meio de parcerias da Prefeitura com a iniciativa priva, governos estadual e federal.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Artigo anteriorJd. Santa Clara do Lago recebe reforço na sinalização de trânsito
Próximo artigoFilme “Sinfonia da Necrópole” abre programação de férias do Ponto MIS