A pandemia do Coronavírus se agrava em Hortolândia, assim como em todo o Brasil. No município, um dos aspectos mais dramáticos é o crescimento do número de pessoas com idade inferior a 50 anos infectadas com o vírus e que estão internadas, com risco de morte. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, desde o início deste ano, o município registra 86 casos graves com internação, dos quais mais da metade (48 pessoas) na faixa etária inferior a 50 anos, sendo 31 pacientes homens e 17 mulheres. Ainda no mesmo período, são 19 óbitos de pessoas com idade inferior a 50 anos, destes 12 homens e 7 mulheres. 

Esta situação provocou o colapso das redes pública e particular de saúde, que estão com 100% de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). É por este motivo que a Prefeitura reforça a orientação para a população manter o isolamento social e evitar sair de casa sem necessidade. Nesta sexta-feira (12/03), a Administração divulga decreto municipal com as novas restrições da Fase Emergencial do Plano São Paulo, anunciadas pelo Governo Estadual nesta semana. As restrições visam reduzir a circulação de pessoas para conter a disseminação do vírus e, consequentemente, diminuir a ocupação de leitos da rede municipal de saúde. 

Para quem ainda não acredita na gravidade da pandemia, o prestador de serviços Cristian Fioravante, de 34 anos, relata que a doença é séria. Após ser internado no Hospital Municipal Mario Covas, ele recebeu alta nesta quinta-feira (11/03) e se recupera em casa. De acordo com ele, o surgimento e a evolução dos sintomas foi rápido. “Foi em questão de um dia. Tive tosse, falta de ar, dor de cabeça e no corpo. A doença é mesmo séria. A pior sensação que tive foi a de morte. Só mesmo quando acontece com você que se percebe a gravidade da doença. Por isso, as pessoas têm que redobrar os cuidados, usar máscara, usar álcool em gel e ficar em casa”, salienta Cristian.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a taxa de letalidade da COVID-19 no munícipio é de 2,9%. A taxa de letalidade indica a porcentagem de pessoas que tiveram a doença e vieram a óbito. Em função destes números, a Secretaria de Saúde salienta à população que a doença é grave e pode levar a morte, mesmo de pessoas mais jovens.

“A única certeza sobre essa doença é que as medidas de prevenção como uso de máscaras, higienização das mãos e isolamento social são eficazes para evitar o risco de contaminação e adoecimento. Após o adoecimento, a evolução da doença é imprevisível. Estamos observando muitos pacientes adultos jovens, sem comorbidade, evoluindo rapidamente para casos graves e óbito. A vacinação está avançando, mas o percentual de população vacinada ainda não é significativo para redução da transmissão do vírus”, salienta o secretário adjunto de Saúde, Rodrigo Freire.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia