Nossa Cidade

Meira conhece modelo de gestão de iluminação pública de Curitiba

Por determinação da Aneel, Hortolândia será responsável pela manutenção e administração do sistema de energia, a partir de 2014

iluminacao pública

Nesta semana, o prefeito Antonio Meira, e os secretários de Obras, Ronaldo Alves dos Reis, e de Serviços Urbanos, José Carlos Gimenes, visitaram a cidade de Curitiba, no Paraná, onde conheceram o sistema de iluminação pública, gerenciado pela Prefeitura do município. A visita faz parte das ações da Prefeitura de Hortolândia para se adequar às novas normas da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que estabelece que a partir de janeiro de 2014, os municípios deverão assumir o sistema de manutenção e gestão da iluminação pública.

Com a resolução, cada cidade deve planejar de forma independente qual a melhor forma de realizar esta gestão. Caberá às concessionárias de energia elétrica, no caso de Hortolândia, a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz), apenas a aprovação de projetos e distribuição de energia elétrica. Já os municípios se responsabilizarão pela instalação de postes, ampliação de pontos luminosos, troca de lâmpadas e atendimento ao público.

Em Curitiba, o prefeito e secretários foram recebidos pela equipe do Departamento de Iluminação Pública, que encaminhou a comitiva a alguns pontos da cidade onde puderam conhecer, na prática, como funciona o sistema de iluminação. “Vimos o processo de cadastramento e georeferenciamento de postes, além do call-center e do sistema operacional que funciona na cidade. Tudo o que observamos, e um pouco mais, podemos implantar aqui em Hortolândia”, enfatizou o secretário de Obras.

Curitiba faz a gestão do sistema de iluminação pública desde 1987. A experiência acumulada e o sucesso da empreitada indicam que a gestão municipal é eficiente. “Nosso objetivo é esse: prestar um serviço de qualidade à população, melhorando a iluminação pública, diminuindo os custos e trazendo benefícios para toda a cidade, com a garantia de pontos mais iluminados, segurança aos munícipes e controle de gastos com energia elétrica”, mencionou Reis.

Além da implantação das ações que deram certo em Curitiba, a Prefeitura de Hortolândia também vai elaborar o Plano de Iluminação Pública, com diretrizes e metas para aperfeiçoamento constante do sistema de gestão. Para realizar os serviços de manutenção e administração do sistema de iluminação, a Administração Municipal contratará uma empresa especializada, por meio de licitação. Para isso, a Secretaria de Obras elabora um termo de referência e edital, que será publicado no próximo mês.

“As cidades devem se adequar à resolução em 2014, mas saímos na frente e já estamos nos preparando para isso. Queremos cuidar da iluminação pública, atender melhor a população com mais pontos iluminados e gerenciar a distribuição de energia para que não haja perdas. Tudo isso resultará em economia e qualidade na prestação de serviço”, comentou o prefeito.

Economia

A otimização do sistema de iluminação pública resulta em diversos benefícios para toda a sociedade. A população ganha com mais pontos iluminados, uma vez que a Prefeitura poderá acompanhar de perto onde há necessidade de reforço de postes e luminárias. Além disso, o gerenciamento inteligente possibilitará, por exemplo, a redução da iluminação após às 23h, gerando economia de energia. Outro benefício é quanto à segurança da população e ampliação de oferta de lazer, com parque e praças bem iluminados. Para que isso aconteça, uma das metas da administração é substituir lâmpadas antigas por outras, mais potentes.

“Se a iluminação pública for usada adequadamente é possível trazer todos estes benefícios com redução de custos”, afirmou o secretário de Obras. Hortolândia investe, anualmente, cerca de R$ 2,3 milhões em energia elétrica, valor pago à CPFL e que corresponde ao fornecimento de energia e manutenção da iluminação pública.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98