Connect with us

Nossa Cidade

Local de trabalho também pode ter foco do mosquito da Dengue

Publicado

em

Pequena quantidade de água em vasos de plantas, por exemplo, pode servir para que o Aedes aegypt procrie

O mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika, é pequeno e está presente em todos os lugares. Até mesmo no escritório ou na fábrica é possível existir criadouros, que precisam ser eliminados. No ambiente de trabalho, todos são responsáveis pelo combate ao Aedes: trabalhadores e patrões. Isso porque a pessoa infectada fica indisposta durante vários dias, tendo sua saúde diretamente afetada e ocasionando faltas no trabalho enquanto se recupera.

De acordo com o gerente da UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Prefeitura de Hortolândia, Ibraim Almeida, o maior problema nos locais de trabalho são vasos com plantas. “O ideal é que as plantas não tenham prato embaixo dos vasos. Mas, em último caso, esse prato precisa estar sempre seco”, destaca. Como no local de trabalho as plantas não têm apenas uma pessoa responsável, é preciso que todos estejam atentos ao excesso de rega.

Outro local que merece atenção são áreas de fundo de fábrica. “São lugares que, muitas vezes, recebem material inservível e que ficam esquecidos. É preciso vistoriar com frequência estes espaços”, exemplifica Ibraim. “O local de trabalho precisa receber a mesma atenção que uma casa: alguém precisa observar ralos, calhas e caixa d’água, recipientes precisam ficar cobertos, a cozinha também precisa ficar livre de objetos que acumulem água”, destacou.

Neste ano, Hortolândia registra 185 casos positivos de Dengue. Para conter o avanço da doença, a Prefeitura reforça a realização de mutirões nos bairros, com operação Cata Bagulho. Neste sábado (18/05), o mutirão será no Jd. Amanda, das 8h às 13h.

Plano Municipal

Para traçar ações estratégicas de combate ao aedes, a Prefeitura criou, em setembro do ano passado, o Plano Municipal de Combate a Arboviroses, com a proposta de prevenir doenças causadas por picadas de mosquito. Entre as ações básicas de estão eliminação de criadouros do Aedes aegypti; prevenção, com orientação à população; e tratamento de pacientes, incluindo a conduta dos profissionais da rede de saúde quanto à necessidade de notificação dos casos suspeitos, até o atendimento hospitalar dos casos mais graves. O município também conta com um comitê, composto por servidores de diversas secretarias municipais, que se reúnem mensalmente a fim de discutir a implantação práticas das estratégias.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

70% dos comerciantes do Jd. Amanda estão formalizados

Publicado

em

O programa ainda apontou que o segmento com o maior número de estabelecimentos na região é o de bares e lanchonetes

Mais de 70% dos lojistas do Jardim Amanda são formalizados. Este é o resultado do programa “Agentes de Desenvolvimento” que a Prefeitura de Hortolândia realiza na região, a mais populosa da cidade. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, foram visitados 374 estabelecimentos comerciais e de serviços. Destes, 72% (267) estão com a situação regularizada. 

O programa foi lançado em setembro deste ano pelo prefeito José Nazareno Zezé Gomes. O objetivo é fomentar o comércio local e aproximar o Poder Público Municipal dos empreendedores locais. A ação consiste em visitas feitas aos estabelecimentos por uma equipe de 10 agentes, identificados com camisetas alusivas ao programa. Nas visitas, os agentes orientam e esclarecem dúvidas dos lojistas sobre temas relacionados ao seu negócio. “Os agentes também acolhem demandas e reclamações dos comerciantes e as encaminham para as respectivas secretarias municipais”, salienta a coordenadora do projeto, Hillary Parnissolo. 

A coordenadora ainda destaca que o programa tem um caráter censitário, uma vez que possibilitará à Prefeitura descobrir a quantidade de estabelecimentos na cidade, entre outras informações importantes. A partir da coleta desses dados, a Prefeitura poderá definir e traçar estratégias e ações específicas para cada região da cidade.  

Para a coordenadora, a situação verificada entre os comerciantes do bairro surpreendeu positivamente. Em virtude das dificuldades causadas pela pandemia do Coronavírus na economia, a coordenadora explica que a expectativa era encontrar um grande número de lojistas em situação irregular. De acordo com o levantamento feito pelo programa, 107 estabelecimentos visitados na região não são formalizados. “Para os lojistas que estão nessa situação, oferecemos apoio e orientação para formalizarem seus negócios na Casa do Empreendedor, órgão da Prefeitura localizado no HORTOFÁCIL”, explica a coordenadora. 

O programa ainda apontou que o segmento com o maior número de estabelecimentos na região é o de bares e lanchonetes. De acordo com o levantamento, foram identificados 74 estabelecimentos dessa categoria. Na 2ª posição ficou o segmento de salão de beleza, com 66 estabelecimentos. De acordo com a coordenadora, só falta realizar as visitas aos comerciantes da avenida Brasil, principal via do Jardim Amanda, para o programa concluir o trabalho na região. Em paralelo, o programa iniciou, na semana passada, as visitas aos estabelecimentos na região central da cidade. Em seguida, o programa irá percorrer as lojas do Jardim Rosolém.

“A Prefeitura age de forma proativa, indo até o empresário para avaliar e buscar soluções para suas demandas e dificuldades. Com isso, os Agentes de Desenvolvimento Econômico são fundamentais para estreitar o contato entre o poder público e o setor privado. Comunicar as ações de fomento do desenvolvimento local e territorial, e servir como parâmetro para a Prefeitura ouvir a cidade e fazer o balanço das ações que vem realizando junto a eles”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, Monique Freschet.

Continue Lendo

Nossa Cidade

HortoFest terá área com artesãos cadastrados no Departamento de Economia Solidária da Prefeitura

Publicado

em

Público poderá conferir produtos variados feitos com porcelana, feltro, madeira e patchwork

A Prefeitura de Hortolândia continua a implementar ações para apoiar a retomada de diferentes setores econômicos da cidade no pós-pandemia. Uma dessas ações é o fomento aos segmento de artesanato.

Neste fim de semana, a Prefeitura realiza o evento HortoFest, no Parque Socioambiental Chico Mendes, localizado na avenida Olívio Franceschini, s/nº, região central. O evento terá uma área com 15 artesãos cadastrados no Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social.

O HortoFest, realizado pela Secretaria de Cultura, acontecerá nesta sexta-feira (22/10), das 16h às 22h, e no sábado e domingo (23 e 24/10), das 12h às 22h. O evento integra, ainda, a programação “Movimento Rosa” de conscientização sobre câncer de mama. 

Os artesãos irão comercializar produtos confeccionados com porcelana, feltro, madeira e patchwork. O público poderá conferir artigos variados: de roupas a cintos, bonés, calçados, bijuterias, panos de prato, tapetes, bolsas, luminárias, enfeites natalinos até coleiras de cachorro, entre outros.

“O fomento aos artesãos é uma das ações de enfrentamento à pandemia realizada pela Prefeitura. As pessoas que empreendem precisam do fomento do poder público para retomarem suas atividades e negócios neste momento de avanço da vacinação contra a COVID-19 na cidade”, destaca o diretor do Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, Tino Sampaio.

O diretor ainda salienta que a Prefeitura trabalha para realizar mais ações e projetos para também oferecer capacitação aos empreendedores. Atualmente, cerca de 300 empreendedores, entre individuais e reunidos em associações ou coletivos, estão cadastrados no departamento. Empreendedores interessados em se cadastrar podem fazê-lo na Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que fica no Paço Municipal, sede da Prefeitura, localizado na rua José Cláudio Alves dos Santos, 585, Remanso Campineiro. O cadastro pode ser feito de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Os empreendedores devem apresentar Carteira de Identidade, Título de Eleitor, documentação e informações referentes à sua área de atuação. A entrada no Paço Municipal é feita somente com o uso obrigatório de máscara.

OBS.: FOTO TIRADA ANTES DA PANDEMIA

Continue Lendo

Nossa Cidade

Novo complexo viário em construção terá acesso facilitado ao São Jorge e Nova Hortolândia

Publicado

em

Obra realizada pela Prefeitura prevê vias paralelas à principal avenida, que seguirá desde a região central até a área sob a ponte estaiada

Com o avanço da pavimentação do principal trecho do novo viário em construção pela Prefeitura de Hortolândia, o terreno onde serão implantadas ruas de acesso à esta nova avenida começam a ser preparados. No Jd. São Jorge, a Administração Municipal realiza escavações e aterro de tubos para drenagem de águas pluviais num trajeto de cerca de 300 metros, onde será aberta uma via de ligação desde a rua Amazonas até a Frederico Alves da Costa, no Jd. Nova Hortolândia. Já esta última via, dará acesso ao novo viário por meio de um novo trecho em construção, com 370 metros de extensão.

Todo o complexo viário terá 5,1 km de extensão, integrando importantes regiões da cidade, economizando tempo de deslocamento entre os bairros e melhorando o fluxo de trânsito com o objetivo de atrair empresas e investimentos ao município.  A intervenção vai desde a Vila Real, na região central, até a área sob a Ponte da Esperança, próximo da avenida Panaíno, no bairro Green Park.

As intervenções serão realizadas com recursos do Banco CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), proveniente de financiamento internacional contratado pela Prefeitura em 2018 para realização de diversas obras de infraestrutura e mobilidade urbana, ações que garantirão a retomada do desenvolvimento econômico da cidade.

Etapas da obra

De acordo com a Secretaria de Obras, são muitas as frentes de trabalho atuando na construção deste complexo, o que faz com que a obra avance em diversos pontos. O principal eixo viário segue desde a avenida Amélia Basso Breda (rua da feira, na Vila Real) até a rua Pacaembu (Jd. Carmem Cristina), próximo da avenida Sabina Baptista de Camargo, com transposição sobre o córrego da Vila Real. Este viário terá aproximadamente 1,5 km de extensão, trecho dotado de iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia. Este trajeto já tem 50% do caminho asfaltado, em pista dupla com canteiro central.

Paralelas a esta nova avenida, as ruas de acesso aos bairros são abertas, como a que está em construção a partir do Jd. São Jorge e Jd. Nova Hortolândia. Já no Jd. Carmem Cristina, o trajeto prossegue sentido Ponte da Esperança por meio de uma ponte que será construída na rua Flamboyant (rua da Delegacia de Polícia). Haverá, ainda, a duplicação do trecho da avenida Sabina Baptista de Camargo, desde a rua Nossa Senhora do Carmo (Jardim Minda) até o cruzamento com a avenida Carlos Roberto Prataviera (que dá acesso ao cemitério), na rotatória atrás da empresa Magneti Marelli e ao lado do Parque Socioambiental Remanso das Águas. Uma ponte será construída neste trecho, sobre o córrego que corta a via, elevando a altura da pista e evitando inundações em dias de chuva forte. Todo este trecho do sistema viário terá aproximadamente 1,4 km com iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia.

A obra prossegue com a canalização do córrego, mais uma ação que também já teve início em outra frente de trabalho, e a urbanização da área sob a Ponte da Esperança. Já a área lateral ao reservatório de contenção de enchentes que fica sob a ponte será transformada em um novo espaço de convivência para desfrute da população, com equipamentos públicos de lazer e duas travessias para pedestres sobre afluentes do Ribeirão Jacuba. Ao lado desta nova área de lazer, a nova avenida prosseguirá até a avenida Panaíno, atrás do Condomínio Green Park. A obra contempla, ainda, a ligação do viário que será construído até a avenida Panaíno, com sobreposição da linha férrea. Nesta outra extremidade da obra, são 1,5 km de sistema viário com iluminação em LED em todo trecho, pista de caminhada, ciclovia, academia ao ar livre, playground, espaços de convívio com lixeiras e bancos, além de estacionamento.

Parque linear

A área ambiental terá destaque nesta obra, com a criação de um parque linear na região central, margeando a rua Luiz Camilo de Camargo, do lado direito de quem segue sentido centro, paralelo à linha férrea, desde o Remanso Campineiro, até o Parque dos Pinheiros, no cruzamento com a avenida da Emancipação. O parque linear prossegue no trecho do Jardim Carmen Cristina até a duplicação da avenida Sabina Baptista de Camargo, mantendo o padrão das áreas de lazer do município: iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia, espaço para implementação de academia ao ar livre e espaços de convívio em todo o trecho.

Continue Lendo

Noticias

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares