Connect with us

Nossa Cidade

Hortolândia registra abertura de 522 empresas novas por MEIs desde início do ano

Publicado

em

De acordo com a Casa do Empreendedor, MEIs representam 70% das aberturas de novas empresas na cidade

O empreendedorismo está contribuindo expressivamente na retomada econômica de Hortolândia. Prova disso é que a Casa do Empreendedor, órgão da Prefeitura, registrou de janeiro até o início deste mês a abertura de 522 empresas. De acordo com o órgão, cerca de 70% das aberturas foram feitas por Microempreendedores Individuais (MEIs). 

Outro dado importante destacado pelo órgão é a abertura de Inscrição Municipal. De janeiro até o início deste mês, o órgão fez 672 inscrições. Inscrição Municipal é o número de identificação de pessoas jurídicas no cadastro tributário da Prefeitura. Para o órgão, o aumento das inscrições é outro indicativo que comprova a retomada econômica no município, uma vez que as empresas precisam da inscrição para emitir notal fiscal.

Ainda de acordo com a Casa do Empreendedor, os MEIs que mais fizeram abertura de empresa são dos ramos de transporte de carga (foto) e de alimentação. O órgão também tem registrado grande procura de abertura de empresa por MEIs autônomos. Esse é o caso de Angelica Cristina Jesus de Souza, que se formalizou para atuar como motorista de táxi, e assim poder emitir nota de serviço para seus clientes. 

A motorista conta ter ficado surpresa com o atendimento do órgão. “Eu já havia procurado contadores, que me disseram que iriam cobrar para fazer a abertura de empresa. Aí, então eu soube que a Casa do Empreendedor da Prefeitura faz esse serviço gratuitamente. Fiquei feliz porque consegui resolver isso em 10, 15 minutos, e sem custo nenhum”, destaca a motorista. 

Após ter ficado parada na pandemia em virtude das restrições sanitárias, Angelica comemora por estar conseguindo retomar suas atividades neste ano. “A situação já melhorou muito. A procura pelo meu serviço está aumentando”, destaca a motorista. 

CONFIANÇA

Ser MEI formalizado é importante para poder receber pagamentos. Por esse motivo que o instalador Luan Bispo também fez a abertura de empresa na Casa do Empreendedor. “Ao fazer a formalização, posso emitir nota fiscal. A maioria dos clientes que eu atendo são grandes empresas da cidade e da região. E elas só fazem pagamentos com nota fiscal”, salienta o autônomo, que trabalha com instalação de acessórios e reparos elétricos de caminhões.

Luan ressalta que a pandemia não afetou seu trabalho. “Pelo contrário, foi a época que não faltou serviço. Tive até que contratar dois funcionários para me ajudar”, conta o instalador. 

A formalização é importante também para transmitir confiança aos clientes e mostrar que a empresa é idônea e faz um trabalho sério. Foi isso que motivou a decoradora de festas Estela Gasque a abrir sua empresa na Casa do Empreendedor. 

Após sair da empresa onde trabalhava, a autonôma começou a atuar no setor de decoração de festas. “Comecei a trabalhar junto com meu marido, que já atuava no ramo de aluguel de móveis para festas. Hoje, na empresa somos eu, ele e o nosso filho”, conta Estela. 

Com o aumento da demanda pelo seu serviço, Estela percebeu que era a hora de formalizar a empresa. “Ser formalizado é importante para passar mais confiança aos clientes. Fiz a abertura de empresa também por causa do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social), que é algo que não dá para deixar de pagar. Sobre isso, a equipe da Casa do Empreendedor nos deu várias orientações”, elogia Estela. A formalização também é importante para o futuro da empresa. “Queremos melhorar vários pontos da nossa empresa, e com isso podermos fazer investimentos para o negócio crescer”, salienta a decoradora.  

APOIO AO EMPREENDEDOR

A Casa do Empreendedor é um dos órgãos da Prefeitura que oferece apoio e orientação para quem quer começar ou já tem negócio ou empresa. O órgão também realiza serviços gratuitos para empreendedores, tais como abertura de empresa, de Inscrição Municipal, Declaração Anual do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (DASN – SIMEI), também conhecida como Declaração Anual de Faturamento, entre outros. O órgão fica dentro do HORTOFÁCIL, localizado na rua Argolino de Moraes, 405, Vila São Francisco. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. De janeiro até o início deste mês, o órgão realizou um total de 8.406 serviços prestados para empreendedores. 

A Prefeitura ainda oferece mais serviços, orientação e capacitação para os empreendedores da cidade por meio de outros dois órgãos, Banco do Povo e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) Aqui, ambos também derntro do HORTOFÁCIL. 

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, João Pereira da Silva, ressalta que os empreendedores têm uma importância significativa para a economia do município, com consequente geração de emprego e renda. Por isso é fundamental que a Prefeitura ofereça apoio para eles neste momento de retomada econômica. 

“Esses números registrados já desde o início deste ano pela Casa do Empreendedor são muito importantes. Mostram que o empreendedorismo já começou a dar sinais positivos de recuperação, o que é muito alentador para a economia do município. Temos percebido que muitas pessoas que foram prejudicadas ou perderam empregos durante a pandemia não desanimaram. Com criatividade e força de vontade, elas estão se virando e começando outras atividades. Por isso é importante a Prefeitura oferecer apoio para essas pessoas, bem como aos empreendedores já estabelecidos, para que todos consigam prosperar em seus negócios e empresas. O apoio e o fomento da Prefeitura para os empreendedores gera benefícios para o próprio município. Além da Casa do Empreendedor, por meio de outros dois órgãos, Banco do Povo e Sebrae Aqui, a Prefeitura oferece um rol bastante completo e variado de serviços, tais como orientação, empréstimo de recursos financeiros, atividades de capacitação, entre outros, para que os empreendedores da cidade consigam expandir e fazer investimentos de suas atividades e empresas”, salienta o secretário João Pereira da Silva.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Ligações indevidas atrapalham atendimento telefônico prestado por conselhos tutelares em Hortolândia

Publicado

em

Celulares de plantão, destinados a receber denúncias e ligações em casos de urgência e emergência, têm sido usados pela população para consultar outros serviços públicos não emergenciais

Hortolândia conta atualmente com dois Conselhos Tutelares, órgãos públicos municipais de defesa dos direitos da criança e do adolescente, previstos no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e na Constituição Federal Brasileira. O CT II, criado no final do ano passado, atende a casos relativos à região do Jd. Amanda e Jd. Novo Ângulo; já o CT I, mais antigo, atende a demandas relativas aos demais bairros da cidade. Ambos os conselhos realizam atendimento presencial, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Durante feriados e aos finais de semana, também podem ser acionados por telefone, em situações especiais. Em regime de plantão, o atendimento é somente para denúncias, urgência e emergência.

No entanto, segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social da Prefeitura, os conselhos tutelares têm recebido, ultimamente, diversas ligações indevidas, seja pedindo vaga em escola, seja solicitando informações sobre outros serviços municipais, fora de sua alçada, como o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). A prática dificulta o atendimento aos casos graves, a que os órgãos se destinam. 

Saiba qual é o papel do Conselho Tutelar

Cabe aos conselheiros tutelares zelar pelo cumprimento de direitos de crianças e jovens, garantir absoluta prioridade na efetivação desses direitos e orientar a construção da política municipal de atendimento relativa ao público infantojuvenil, no município. Cada conselho é formado por cinco membros titulares e cinco suplentes. 

O Conselho Tutelar I atende pelos telefones: (19) 3865-3287 e 3897-2513 e, nos plantões, pelo (19) 99785-2442. Está localizado na Rua Alda Lourenço Francisco, 353 – Remanso Campineiro.

Já o CT II atende pelos seguintes números: (19) 3897-1000 e 3897-1002. Após às 17h, durante a semana e aos finais de semana, o órgão atende em regime de plantão pelo celular: (19) 99979-9903. A sede própria está localizada na Rua João Camilo de Camargo, 159, no Remanso Campineiro.

Saiba mais sobre o Conselho Tutelar

A lei brasileira determina que “cada Município e no Distrito Federal haverá, no mínimo, um Conselho Tutelar como órgão da administração pública local”. Após a aprovação do ECA, em 1990, crianças e adolescentes foram reconhecidos como sujeitos de direitos, isto é, pessoas em desenvolvimento a serem protegidas pela família, pelo Estado e pela sociedade, como um todo. Entre estes direitos a serem atendidos com prioridade absoluta estão os de ter acesso à escola e à educação, à saúde, à liberdade, ao respeito e à dignidade. Entre os órgãos responsáveis por fazer valer o que diz a lei, na garantia desses direitos fundamentais está o Conselho Tutelar. Segundo o artigo 131 do ECA, ele é o “órgão permanente e autônomo, não jurisdicional, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente”.

Confira o que faz o Conselho Tutelar:

•Atende queixas, reclamações, reivindicações e solicitações feitas por crianças, adolescentes, famílias, comunidades e cidadãos.

•Exerce as funções de escutar, orientar, aconselhar, encaminhar e acompanhar os casos.

•Aplica as medidas protetivas pertinentes a cada caso.

•Faz requisições de serviços necessários à efetivação do atendimento adequado de cada caso.

•Contribui para o planejamento e a formulação de políticas e planos municipais de atendimento à criança, ao adolescente e às suas famílias.

O que não faz:

•Não é uma entidade de atendimento direto (abrigo, internato etc.).

•Não assiste diretamente às crianças, aos adolescentes e às suas famílias.

•Não presta diretamente os serviços necessários à efetivação dos direitos da criança e do adolescente.

•Não substitui as funções dos programas de atendimento à criança e ao adolescente.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Aterro próximo ao complexo prisional de Hortolândia ganha mudas de árvores nativas

Publicado

em

Ação, realizada na manhã desta segunda-feira (23/05), faz parte do Projeto de Arborização e Paisagismo da Prefeitura, que prevê plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas e frutíferas

Equipes do Viveiro Municipal “Antônio da Costa Santos”, órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Prefeitura, plantaram, na manhã desta segunda-feira (23/05), 170 mudas de árvores nativas numa área de aterro, na região do Parque Perón, nas imediações do complexo prisional. A ação faz parte do Projeto de Arborização e Paisagismo, em implantação pela Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Obras. Entre as espécies plantadas estão: Acácia multíjuga, Cajazeira, Cedro, Dedaleira, Embaúba, Guapuruvu, Ipês amarelo e rosa, Jacarandá, Jequitibá rosa e Pau-Brasil.

O projeto prevê, dentre outras ações, o plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas e frutíferas em áreas verdes públicas de Hortolândia. A primeira a receber plantio de 337 novas árvores foi uma área de 2.024 metros quadrados na Vila Verde, próxima ao Residencial São Sebastião.

Conforme explica o secretário-adjunto de Obras, Renato Sarto, “a arborização urbana é de grande importância para a melhoria da qualidade de vida da população de uma cidade. É inclusive difundida através de diversos estudos técnico-científicos que comprovam a conexão entre as áreas verdes e a manutenção da saúde física e psicológica do cidadão. Contribui para a purificação do ar, melhora da qualidade da água e evita a erosão do solo. Temos em andamento ações de interligação da cidade por meio de parques lineares de forma a melhorar a vida, inclusive das futuras gerações. O projeto visa dar mais qualidade de vida à população hortolandense, influenciando na fauna e flora do município, fazendo de Hortolândia um município de referência ambiental, fazendo jus ao nome da cidade”, ressalta o gestor.

As intervenções pela cidade devem se estender até 2024 e envolvem todas as secretarias municipais. Deste modo, busca-se projetar a cidade para os próximos 30 anos, com desenvolvimento econômico e equilíbrio ambiental, tornando-a inteligente e sustentável. O projeto de compensação ambiental das obras que compõem o Programa de Infraestrutura Urbana e Desenvolvimento Sustentável atende aos ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas). 

Confira as ações previstas no projeto de Arborização e Paisagismo:

    • Plantio de mais de 50 mil mudas de árvores nativas e frutíferas, para melhorar o ar que respiramos e criar pequenos bolsões de floresta nativa, atraindo pássaros e pequenos animais silvestres;

    • Criar paisagismo nas principais avenidas do município, plantando de forma ordenada várias espécies de árvores, embelezando a cidade;

    • Criar vários canteiros floridos na cidade, com flores que deixem nossa cidade mais colorida;

    • Plantio nas calçadas das casas, escolas e postos de saúde, para gerar abrigo do sol;

    • Incentivo de atividades educacionais e ambientais envolvendo outras secretarias e à comunidade.

Veja também as APPs beneficiadas, nos meses iniciais do projeto:

    • Vila Verde, na região do Residencial São Sebastião

    • Olívio Franceschini, próximo ao Terminal Metropolitano

    • Terras de Santo Antônio, próximo à Emei Luís Camillo

    • São Felipe – na região do Jd. Nova Hortolândia 

    • Rua Itamaracá – na região do Jd. Nova Europa

    • Vila São Pedro – próximo aos prédios da CDHU

    • Bella Ville – na divisa com Sumaré

    • Golden Park – próximo ao condomínio

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Saiba como ajudar pessoas em situação de rua nos dias frios

Publicado

em

Em Hortolândia, serviços públicos de acolhimento e abrigo provisório são feitos pelo Instituto Esperançar

Nos dias frios do Outono, com temperaturas mínimas variando entre 10 e 12 graus Célsius, atualmente, o que fazer para auxiliar quem vive em situação de rua, em Hortolândia? Além de participar da Campanha do Agasalho, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade, doando cobertores, casacos e similares, é possível ligar, pedindo auxílio público para os que estão em condição socialmente mais vulnerável. Os canais de ajuda são: (19) 2210-9144 e (19) 98805-4585. 

Os serviços públicos de acolhimento e abrigo provisório são prestados por uma OSC (Organização da Sociedade Civil), contratada pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social: o Instituto Esperançar. “Pelos canais de contato, a população pode acionar o serviço, caso identifique alguém passando frio, dormindo em calçada. Basta entrar em contato. Existe o serviço de plantão e eles podem ir lá para buscar a pessoa e levá-la para o abrigo”, explica o diretor de Inclusão Social, Jesus José Ribeiro da Costa.

O abrigo provisório fica na Rua Francisco Guimarães de Oliveira, 40, no Remanso Campineiro, e disponibiliza ao todo 40 vagas. Existe também a Casa de Passagem, localizada na Rua José Cavalcante, 204, na Vila Real, que conta com 20 vagas. Ela é voltada a pessoas em processo migratório pelo município. Em ambos os espaços, há vagas para homens e mulheres.

A Administração Municipal abriu chamamento público recentemente a fim de ampliar o atendimento a este segmento populacional e deixá-lo conforme o que preconiza o SUAS (Sistema Único de Assistência Social). O processo já está em andamento, com previsão de conclusão em até 45 dias. Com isso, o município criará o Abrigo Institucional para Pessoas em situação de rua, com 30 vagas, e a Casa de Passagem, com 50 vagas. A Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social estima que, atualmente, há 160 pessoas nesta condição na cidade, sendo 150 homens e 10 mulheres.

Desde a última terça-feira (17/05), véspera do dia mais frio do mês, servidores da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, percorrem bairros da cidade, à noite, em busca de pessoas em situação de rua, para convidá-las a se recolherem ao abrigo provisório. Os que não aceitam o convite, recebem cobertores. Até o momento foram entregues cerca de 80 cobertores.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Noticias

Nossa Cidade13 minutos atras

Ligações indevidas atrapalham atendimento telefônico prestado por conselhos tutelares em Hortolândia

Celulares de plantão, destinados a receber denúncias e ligações em casos de urgência e emergência, têm sido usados pela população...

Nossa Cidade28 minutos atras

Aterro próximo ao complexo prisional de Hortolândia ganha mudas de árvores nativas

Ação, realizada na manhã desta segunda-feira (23/05), faz parte do Projeto de Arborização e Paisagismo da Prefeitura, que prevê plantio...

Nossa Cidade38 minutos atras

Saiba como ajudar pessoas em situação de rua nos dias frios

Em Hortolândia, serviços públicos de acolhimento e abrigo provisório são feitos pelo Instituto Esperançar Nos dias frios do Outono, com...

Nossa Cidade43 minutos atras

Prefeitura inicia semana com reforço da poda do mato e limpeza em espaços públicos de Hortolândia

Trabalho aconteceu em praças e canteiros centrais de ruas e avenidas em quatro bairros Com a chegada da temporada mais...

Nossa Cidade48 minutos atras

Campanha do Agasalho de Hortolândia é lançada e conta com 38 pontos de entrega voluntária

Fundo Social informa que podem ser doadas roupas masculinas e femininas, para todas as idades, cobertores, roupas de cama, meias,...

Nossa Cidade58 minutos atras

Nova etapa da “Ação Bar” orienta motoristas contra bebida e direção em Hortolândia

Conscientização foi realizada em estabelecimentos comerciais na quinta-feira (19/05) e sexta-feira (20/05) Orientar e conscientizar os motoristas continua sendo prioridade...

Publicidade

Populares