Connect with us

Nossa Cidade

Hortolândia começa a testar ônibus elétrico, em linha do Jd. Amanda

Publicado

em

Veículo entrou em fase de teste nesta segunda-feira (06/03); nova tecnologia, que é menos poluente, mais silenciosa e econômica, surpreendeu usuários

Surpresa. Foi este o sentimento que marcou o primeiro dia de funcionamento, em caráter experimental, do ônibus elétrico, em Hortolândia. Usuários da linha 3.32, que aguardavam no Terminal Metropolitano, na tarde desta segunda-feira (06/02), para ir até o Centro ou chegar ao Jd. Amanda, perceberam as primeiras diferenças somente na hora de entrar no veículo. No lugar do esperado “vermelhinho” movido a diesel, da Viação Lira, um veículo prata com adesivos verdes indicando ”100% elétrico”.

Por iniciativa da Prefeitura, a nova tecnologia, considerada ambientalmente mais correta, silenciosa e econômica que a tradicional, será testada pelos próximos 60 dias, em todas as 18 linhas em operação na frota municipal. O modelo K9, fornecido pela empresa chinesa BYD, é semelhante ao que se vê em circulação em Campinas.

Nos primeiros dias da experiência, o veículo circulará na linha 3.32, juntamente com os outros três movidos a diesel. Neste período, os agentes da Mobilidade Urbana verificarão o desempenho do ônibus elétrico com relação a dois parâmetros: se o coletivo, que tem piso baixo, ajustado ao nível da calçada, conseguirá trafegar sem problema pela malha viária da cidade e se o consumo de combustível, nestas condições, será mais barato que o atual, que é feito a diesel.

Publicidade

Expectativas

“Como achei que este ônibus era exclusivo, fretado, quase não entrei nele. Ele tem um visual bem diferente do convencional”, revelou a secretária Thaís Hellen Gomes da Silva, de 19 anos, que participou da primeira viagem do elétrico no percurso bairro-centro. “É bom para o meio ambiente, é mais silencioso, dá até para conversar, mas o calor é igual ao do outro. Como é a primeira viagem, percebo que fará o percurso num tempo maior, em uns 50 minutos. Vamos ver também se os motoristas vão continuar atenciosos e se vão arrumar as ruas para ele passar”, sugeriu a jovem.

Para a dona de casa Maria Aparecida dos Santos, de 59 anos, moradora do Jd. Nova Europa, que toma a linha 3.32 para ir de um bairro a outro, não há comparação. “Com certeza fico com este! É muito melhor, não faz barulho nem para avisar a parada. O ‘vermelhinho’ é velho, barulhento e dá muito soco ao andar”, comenta. No entanto, sugere que os veículos passem com mais frequência para atender à demanda com mais rapidez.

A operadora de monitoramento Marlene dos Santos Ferreira, de 40 anos, que também saiu do bairro em direção às imediações do Shopping Hortolândia percebeu diferenças relevantes no novo modelo. “É mais sutil, a gente sente mais a pista. Se ficar nesta velocidade assim, será pior. A não ser que haja uma flexibilidade, mais carros circulando”, opina.

Publicidade

Entre os passageiros que tomaram o elétrico no Terminal, na primeira viagem rumo ao bairro, estavam a aposentada Maria de Fátima Gomes, de 47 anos, e a mãe dela, Maria de Lourdes Gomes, de 73 anos, moradoras do Jd. Amanda II, que também se surpreenderam com o veículo-teste. “É bem mais fácil de embarcar. Acredito que também será melhor para descer”, comentaram, avaliando o percurso.

Quem não tem nenhuma dúvida quanto à melhor tecnologia a utilizar é o motorista Fábio Luiz Carvalho, de 40 anos, funcionário da Viação Lira há 4 anos e profissional indicado pela empresa para testar o elétrico. “É muito bom. Muda tudo. É mais confortável para nós. A força do carro não tem comparação com a do outro, a gente fica menos cansado para dirigir. Em mais duas ou três viagens já estarei bem adaptado”, comentou animado, apontando os cuidados a tomar no trajeto, em especial com buracos e valetas.

Menos poluente e mais silencioso

Segundo informações passadas pela BYD à Prefeitura, o ônibus elétrico, uma vez carregado por cerca de 3 a 4 horas/dia, tem autonomia para circular por 250 km, o que supera o percurso de ida e volta do município até a capital paulista. Capaz de transportar 73 pessoas, 23 sentadas e 50 em pé, além do motorista, o ônibus-teste funciona com baterias de ferro recarregáveis, não produz fumaça e quase não emite som, assemelhando-se bastante ao metrô (trem metropolitano).

Publicidade

O protótipo não utiliza cabos nem fiação aérea, sendo considerado mais seguro, porque as baterias não pegam fogo nem o equipamento oferece risco de choque aos usuários. Em termos operacionais, chega a gerar uma economia acima de 50%, se comparado ao modelo a diesel. Testado em algumas cidades brasileiras, atualmente o ônibus elétrico já integra a frota urbana de Campinas, com 11 unidades.

Segundo o secretário de Mobilidade urbano Atílio André Pereira, “além de ecologicamente mais correto, o ônibus elétrico está de acordo como conceito de sustentabilidade e costuma ser mais barato que o modelo em operação, a diesel.” Embora a adoção da nova tecnologia não represente de imediato redução no preço da tarifa para o consumidor final, são apontados como pontos positivos o fato de o veículo elétrico ser mais silencioso e incluir pessoas com dificuldade de locomoção, uma vez que tem piso baixo, ao nível da calçada.

Atualmente, o valor da tarifa do ônibus urbano (inclusive do ônibus elétrico em teste) é R$ 3,50 na catraca. Quem possui o cartão Transporte Social, paga R$ 1,00 (estudantes) e R$ 2,00 (demais passageiros).

Reestruturação e modernização da frota municipal

Publicidade

Aprimorar a mobilidade urbana em Hortolândia é uma das prioridades do prefeito Angelo Perugini. Ao assumir a Prefeitura, em janeiro deste ano, Perugini anunciou que reestruturará o sistema de transporte municipal, para que este seja mais ágil e eficiente, ofereça mais ônibus e novas linhas. O estudo para implantação do ônibus elétrico é uma das metas da nova gestão. Caso aprovada a nova tecnologia, a ideia é que 100% da frota municipal seja de ônibus elétricos.

Em Hortolândia, 9 mil pessoas utilizam o serviço de transporte coletivo urbano. Atualmente, há 18 linhas em funcionamento e 35 ônibus para atender a população. A meta do secretário Atílio André Pereira é pelo menos dobrar o número de veículos em circulação na atual gestão.

Nossa Cidade

Rua da ETEC-Hortolândia ganha pavimento novo

Publicado

em

Prefeitura espera concluir serviço em cinco vias do Jardim Santana até sábado (02/07)

A Rua Capitão Lourival Mey, no Jardim Santana, conhecida por ser “a rua da ETEC-Hortolândia (Escola Técnica Estadual/Centro Paula Souza)”, está de pavimento novo. Após remoção da cobertura anterior e fresagem, equipes contratadas pela Prefeitura colocaram, nesta quinta-feira (30/06), a massa asfáltica. O trecho beneficiado vai desde o cruzamento com a Av. Olívio Franceschini até a Luiz Camilo de Camargo. Com isso, a Administração Municipal reforça a segurança viária de quem circula por importantes vias de Hortolândia.

Segundo a Secretaria de Obras, esta é uma das cinco vias que está sendo pavimentada pela Prefeitura no Jardim Santana. O trabalho na região começou no final de semana passado e tem previsão de término para este sábado (02/07). As outras vias atendidas são: Amélia de Camargo Blumer (da Av. Olívio Franceschini até a Euclides Pires de Assis), Wilson Vasco Mazin (da R. Amélia Blumer até a R. Capitão Lourival Mey), Carlos Roberto de Melo (da R. Cap. Lourival Mey até a R. 11) e Rua J (da Mário Léssio até a Av. Olívio Franceschini).

No início deste mês, aconteceram ações de pavimentação asfáltica tanto na Vila Real, em vias no entorno da Av. Thereza Ana, como a Rua Ernesto Bergamasco, quanto no Jd. Santa Rita. Neste último, foi refeito o pavimento de todo o trecho que vai da Rua Paulina Rosa até a Casemiro de Abreu, no entorno da Ponte da Esperança (Estaiada), na área que dá acesso ao Corredor Metropolitano. Além desta, houve pavimentação ainda na própria Av. Thereza Ana Cecon Breda, em trecho na Vila São Pedro, na saída para Sumaré, e na Rua Dr. Leandro Luiz Camargo dos Santos, em frente a agência dos Correios da Praça da Neusa, na Vila São Francisco. 

Publicidade

Desde o final de maio, a Prefeitura vem atuando em 17 frentes, em bairros como Remanso Campineiro, Parque Gabriel e Jardim Santana; Jardim das Colinas, Vila Real e Vila São Pedro; além do Jardim Santa Clara do Lago. Nos próximos meses, o serviço estará concluído, beneficiando toda a cidade.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Limite de velocidade para o tráfego é reduzido em trecho do Corredor Metropolitano, no Jardim Novo Ângulo

Publicado

em

Medida tem o objetivo de evitar acidentes de trânsito na região

Motoristas que trafegam pelo Corredor Metropolitano na avenida Antônio da Costa Santos devem ficar atentos à redução do limite de velocidade para o tráfego de 60 km/h para 50 km/h no trecho da via desde o cruzamento com a avenida Osvaldo de Souza (Posto Ipiranga) até a Estrada Municipal Sabina Baptista de Camargo (Presídio), na região do Jardim Novo  Ângulo. A medida contempla os dois sentidos da avenida e já está em vigor. De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, o novo limite de velocidade permitida para o tráfego evita acidentes de trânsito.

“O trecho possui radares controladores de velocidade e, mesmo assim, é comum observarmos motoristas trafegando acima do limite de velocidade permitida na via, colocando a própria vida e a vida de terceiros em risco. Pedimos a colaboração da população para respeitar a nova medida adotada pela Prefeitura por mais segurança viária neste trecho do Corredor Metropolitano. A contribuição de todos é necessária para construirmos um trânsito cada vez mais seguro e sem mortes na cidade”, explica o diretor de operações da Secretaria de Mobilidade Urbana, José Eduardo Vasconcellos.

Melhoria dos dados de segurança viária em Hortolândia

Publicidade

As políticas públicas implementadas na cidade reduziram em aproximadamente 70% o número de acidentes de trânsito entre os anos de 2017 e 2021, e a redução de 79% dos acidentes com vítimas fatais nas vias municipais. “Além da redução de 1.265 para 404 acidentes no período que compreende entre estes anos, vale ressaltar que, paralelo ao trabalho para redução de acidentes, Hortolândia desenvolve a malha cicloviária, investe na melhoria do transporte público, nas ações educativas com a população e em diversos temas que abrangem o desenvolvimento da mobilidade urbana”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, entre os anos de 2017,  criação da secretaria até 2021, nas vias municipais houve a redução em 70% dos acidentes registrados na cidade. Neste mesmo período, o número de vítimas causadas por colisões no trânsito em ruas e avenidas dentro dos limites do município foi reduzido em 79%. Com isso, a cidade cumpriu a meta estipulada pela ONU (Organizações das Nações Unidas) na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, regulamentada pela instituição  apontando que até 2030, governos de todo o planeta devem tomar novas medidas para prevenir os acidentes com vítimas.

Conjunto de ações para desenvolvimento da segurança viária

Para salvar vidas no trânsito, são desenvolvidas ações, que vão desde atividades educativas com motoristas e pedestres, reforço na sinalização, até a implantação de semáforos e radares controladores de velocidade, principal medida adotada pela Administração Municipal para a redução de mortes no trânsito. Os dispositivos começaram a funcionar em janeiro de 2019. Além disso, a cidade recebe, periodicamente, um mutirão de Tapa-Buraco em todas as regiões. Outra medida importante é a instalação dos painéis eletrônicos informativos nos portais de entrada e saída da cidade e investimentos na malha cicloviária, que, neste ano chegará a 50 quilômetros de um total de 100 quilômetros que serão implantados.

Publicidade

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura irá iniciar inscrições para a disputa de mais três categorias do futebol amador da cidade

Publicado

em

Equipes Máster, Infantil e Mirim podem demonstrar interesse na disputa à partir de sexta-feira (01/07)

As equipes interessadas na disputa das categorias Máster (jogadores à partir dos 40 anos de idade), Infantil (14 e 15 anos) e Mirim (12 e 13 anos) do Campeonato de Futebol Amador de Hortolândia podem entrar em contato, à partir desta sexta-feira (01/07) até o dia 15 de julho, por meio do telefone (19) 992929241, para apresentar o interesse em inscrever os times na competição. De acordo com a Secretaria de Esportes, as inscrições devem ser iniciadas na segunda-feira (18/07) e os campeonatos com previsão de início no sábado (06/08).  Na categoria Super Máster, para jogadores com 45 anos de idade ou mais, as inscrições serão encerradas no domingo (03/07), e a competição tem início previsto para o dia 23 de julho, podendo ter alterações na data do começo do campeonato.

O calendário do futebol em Hortolândia está “recheado” com torneios até o final deste ano. No momento, acontecem as disputas da primeira e segunda divisões  do Campeonato Amador. Além das categoria Super Máster, Máster, Infantil e Mirim com competições em agosto, no mês de outubro, a previsão é do início das competições nas categorias Veterano (jogadores à partir dos 35 anos de idade) e da terceira divisão do Campeonato Amador. Para fechar o calendário do futebol 2022 em Hortolândia, em novembro, devem acontecer as disputas das categorias Juniores (19 e 20 anos) e Juvenil (16 e 18 anos).

 

Publicidade

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Populares