Connect with us

Nossa Cidade

Estudo sobre lixo mostra eficácia da coleta seletiva em Hortolândia

Publicado

em

O que o lixo produzido por uma cidade diz sobre ela? Para responder esta questão, o Consórcio Hortoambiental, parceiro da Prefeitura na coleta de resíduos urbanos, realizou o 2º Estudo dos Resíduos Sólidos de Hortolândia. Os resultados da pesquisa foram apresentados à população, na tarde desta terça-feira (26/11), durante evento ocorrido no auditório do Centro de Formação dos Profissionais de Educação “Paulo Freire, no Remanso Campineiro. Os secretários de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes (titular) e Eliane Nascimento (adjunta), bem como o representante do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos), Fábio Orsi; e o vereador Cleuzer Marques de Lima, o John Lenon; compareceram à cerimônia. Durante o evento, também houve o lançamento do App Agenda Verde, aplicativo gratuito para denúncia de descartes irregulares de resíduos no município.

Um dos resultados verificados é que, nos bairros onde há coleta seletiva de materiais, seja porta a porta, seja voluntária, detectou-se menor quantidade de recicláveis misturados ao material orgânico. “Isto indica a eficiência das ações das equipes de coleta de resíduos sólidos recicláveis fornecidas pelo Consórcio Horto Ambiental, que atendem todos os setores propostos, em conjunto com as equipes de educação ambiental que promovem a sensibilização dos munícipes quanto ao descarte correto e consciente. Assim como a coleta seletiva porta a porta, o funcionamento dos PEV (Pontos de Entrega Voluntária de Entulho e outros materiais recicláveis) e LEVs (Locais de Entrega Voluntária) se apresenta eficiente, considerando as amostras retiradas de regiões portadoras destes recursos, que apresentaram índices de recicláveis relativamente baixos”, constatou o estudo, nas considerações finais.

Quando comparados aos obtidos no 1º Estudo Gravimétrico, os percentuais verificados no 2º mantiveram-se semelhantes. “No contexto geral do município, não houve grandes mudanças nos percentuais, embora seja visível a heterogeneidade regional no presente estudo, que se explica pelo fato de que as viagens amostradas nem sempre percorreram as mesmas regiões do estudo anterior”, apontou o estudo.

De acordo com o engenheiro José Baldino Vasconcelos, representante da Horto Ambiental que apresentou o Estudo Gravimétrico (veja abaixo), foram coletadas amostras nos 20 setores de coleta domiciliar existentes na cidade. Quase a metade do material coletado (42,81%) foi de material orgânico. Porém, 28% deste corresponde a itens recicláveis, como papel, papelão, vidro e metais, mas que, em razão da contaminação após ser misturado com o “lixo molhado”, não pode mais ser encaminhado para cooperativa de recicláveis. Junto ao material orgânico, também foram encontrados, na proporção de 5%, itens reaproveitáveis, como mato, folhas e galhos, que poderiam ser levados para compostagem.

“Conhecer os resíduos é algo fascinante e necessário. Assim, podemos saber os tipos de material encontrados no lixo comum da cidade. Hoje,contamos com sete caminhões na frota – cinco na ativa e dois reservas. Todo o material orgânico é encaminhado ao Aterro Sanitário da Estre Ambiental, em Paulínia. Em 2018, coletamos 4.600 toneladas de resíduos e, em 2019, até o momento, 4.631 toneladas”, afirmou Baldino.

“O estudo gravimétrico demonstra que a Prefeitura, em parceria com o Consórcio Horto Ambiental, busca aprimorar o sistema municipal de gestão de resíduos sólidos, de acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei Federal 12.305/2010. Esse é o segundo  estudo realizado com a mesma metodologia e demonstra o tipo de material encontrado no lixo comum da cidade. O estudo permite melhor planejamento na gestão de resíduos como também diretrizes para expansão da Coleta Seletiva porta a porta e comparativos em relação ao primeiro estudo realizado em 2018”, avalia a secretária adjunta de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento.

Atualmente, Hortolândia oferece coleta seletiva porta a porta em 32 dos 114 bairros. Há também 28 equipamentos de coleta seletiva pela cidade: 20 LEVs e oito PEVs – sendo que mais cinco novos estão em construção. 

PIC

O App do programa Agenda Verde e o Estudo Gravimétrico dos Resíduos Sólidos integram o PIC, implantado pela Prefeitura com o objetivo de promover o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. Por meio dele, a Prefeitura quer melhorar a prestação dos serviços públicos municipais em todas as áreas, em especial na saúde, educação, segurança, mobilidade urbana e geração de emprego. Mais de 100 obras e serviços serão realizados por meio do PIC.

Confira os dados da Composição Gravimétrica Geral em Hortolândia

Classificação

Peso (Kg)

Percentual (%)

Matéria Orgânica

560,90

42,81%

Plástico

197,80

15,10%

Pano e Estopa

107,80

8,23%

Papel e Papelão

107,10

8,17%

Fraldas e absorventes

89,80

6,85%

Folha, Mato e Galhada

63,00

4,81%

Perdas

49,10

3,75%

Couro e Borracha

42,30

3,23%

Vidro

19,90

1,52%

Isopor e espuma

19,40

1,48%

Metal Ferroso

13,50

1,03%

Madeira

12,80

0,98%

Agregado Fino (Pó, terra)

12,50

0,95%

Metal Não Ferroso

9,20

0,70%

Louça, Cerâmica e Pedra

5,20

0,40%

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Censo habitacional em condomínios resultará em ações da Prefeitura para atender crescimento populacional

Publicado

em

HortolandiaPredios

Ajuste no Plano Diretor de Hortolândia possibilitará implantar mais equipamentos públicos, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer
 
Construir uma cidade sustentável, com equipamentos públicos que atendam de forma satisfatória seus moradores. Este é um dos critérios para um município ser considerado cidade inteligente. Com foco neste objetivo, a Prefeitura de Hortolândia iniciou a aplicação de uma pesquisa junto aos empreendimentos habitacionais particulares, implantados em diversos bairros da cidade.

Com base neste censo habitacional, a Administração Municipal terá um diagnóstico da densidade populacional das áreas de condomínios, para que novos serviços públicos sejam implantados para atender esta demanda, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer.
 
De acordo com o secretário adjunto de Planejamento Urbano, Eduardo Marchetti, o censo habitacional nas áreas de condomínios deve ser concluído ainda neste ano. “A apuração inclui informações sobre quantidade de pessoas por residência, idade, se estes moradores têm plano de saúde ou se utilizam a rede pública de saúde, se frequentam escola, se trabalham no município, entre outros dados importantes para o planejamento de ações para atender o crescimento populacional. Com base nestas informações, vamos readequar o Plano Diretor de Hortolândia, estabelecendo novas metas para serem executadas a médio prazo, em cerca de 5 anos”, destacou Marchetti.
 
De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a ação atende as recomendações do Projeto Andus (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável). Hortolândia é uma das seis cidades brasileiras participantes do projeto Andus de cooperação entre o governo federal brasileiro e a Alemanha, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH (Agência de cooperação técnica alemã). A parceria proporciona transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor em Hortolândia, de modo a tornar o município cidade modelo de sustentabilidade.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura repassa recursos para entidades assistenciais do município

Publicado

em

inclusão

Entidades atendem cerca de 900 pessoas em situação de vulnerabilidade social

A pandemia do Coronavírus tem deixado muitas pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em Hortolândia, essas pessoas são atendidas por entidades assistenciais, parceiras da Prefeitura. Para ajudá-las a manter suas atividades, a Administração Municipal irá subvencionar 12 organizações sociais do município.

Nesta segunda-feira (25/10), representantes das 12 entidades se reuniram com a Prefeitura para a assinatura dos contratos. O encontrou contou com a presença do secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, e do CMAS (Conselho Municipal de Assistência Social).

De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, essa subvenção é o repasse anual que a Prefeitura realiza para entidades assistenciais da cidade. Os recursos são provenientes do próprio município. O órgão definiu as entidades que vão receber os recursos.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, as entidades têm o prazo de quatro meses para utilizar os recursos. Posteriormente, devem fazer a prestação de contas para a Prefeitura. As 12 entidades atendem cerca de 900 pessoas em vulnerabilidade social.

Confira abaixo as 12 entidades contempladas com os recursos:

– Instituto Esperançar

– ASBAFE (Associação Batista Fruto da Esperança)

– ABPV (Associação Beneficente Pedra Viva – Centro de Treinamento Integral Moriah)

– Associação dos Patrulheiros e Guarda Mirim de Hortolândia

– Associação Instituto das Irmãs Missionárias da Imaculada Rainha da Paz (Casa Betânia da Paz)

– Associação Casa da Criança Feliz

– CCSP (Centro Comunitário São Pedro)

– Contato Obras Sociais e Educacionais

– IESEHR (Instituto Educacional de Assistência Social dos Evangélicos de Hortolândia e Região)

– Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Central Brasileira (Núcleo de Crianças “Vinde a Mim”)

– SAH (Sociedade Amigos de Hortolândia)– CCART (Centro de Convivência, Aprendizagem, Reabilitação e Trabalho)

Continue Lendo

Nossa Cidade

Cursos de qualificação profissional em Hortolândia com bolsa-auxílio

Publicado

em

Inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa estadual Via Rápida

O avanço da vacinação contra a COVID-19 possibilita a retomada gradativa das atividades presenciais. Diante deste cenário, muita gente busca recolocar-se no mercado de trabalho no período pós-pandemia.

Para ajudar essas pessoas, a Prefeitura de Hortolândia disponibiliza dois cursos de qualificação profissional oferecidos pelo programa Via Rápida, do governo do Estado.

Os cursos são de almoxarife e estoquista e de porteiro e controlador de acesso. As inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa (CLIQUE AQUI). As atividades fazem parte do programa “Capacita Hortolândia”, da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que promove formações profissionalizantes, voltadas tanto a bolsistas do programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, Trabalho e Educação) quanto à população em geral.

Cada curso tem 20 vagas disponíveis. As aulas do curso de almoxarife e estoquista acontecerão no período matutino, das 8h às 12h. Já as aulas do curso de porteiro e controlador de acesso serão no período vespertino, das 13h às 17h.

Os cursos estão previstos para começar no dia 8 de novembro, no Observatório Ambiental Parque Escola (antigo Creape), localizado na rua Bolívia, 290, Jardim Santa Clara do Lago. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, os alunos que tiverem 95% de frequência nos cursos recebem uma bolsa-auxílio no valor de R$ 210,00.

Continue Lendo

Populares