16 de julho de 2024
Nossa Cidade

Empresas do setor apóiam instalação do SENAI ferroviário em Hortolândia

Moção de apoio e ofício da Prefeitura serão entregues ao presidente da FIESP, Paulo Skaf, nesta quinta-feira (19/09)

SENAI ferroviário em Hortolândia

Hortolândia dá mais um passo importante no sentido de trazer para o município uma unidade do SENAI Ferroviário (Serviço Nacional de Aprendizado Industrial), entidade do sistema S, da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Uma semana depois que uma comissão de moradores entregou ao prefeito Antonio Meira um abaixo-assinado, com 1,5 mil assinaturas apoiando a causa, cinco empresas do setor ferroviário, instaladas no município, assinaram uma moção de apoio à instalação da escola profissionalizante na cidade.

Subscrevem o documento, que atende a pedido do CDEH (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Hortolândia),
Bombardier, Amsted Maxion, CAF, Progress Raid-Catterpillar e Hewitt. Juntas, as empresas geram em torno de três mil empregos diretos, com faturamento anual de R$ 1,5 bilhão.

A moção, juntamente com um ofício assinado por Meira, será entregue pessoalmente ao presidente da FIESP, Paulo Skaf, na próxima quinta-feira (19/09), durante reunião na sede da entidade, com o prefeito e o secretário de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo, Dimas Correa Pádua.

Lideranças empresariais apoiam a iniciativa
A elaboração do documento foi sugerida pelo diretor do Departamento de Ação Regional da FIESP e presidente do Conselho SESI/SENAI de Campinas e Região, Rui Rabelo, durante reunião do conselho, em meados de julho deste ano. A vinda do SENAI ferroviário para Hortolândia é apoiada pela Prefeitura, que vai ceder uma área, em local em estudo, para a construção da escola profissionalizante.

Na ocasião, Rabelo afirmou que “Hortolândia tem a principal e o mais importante pólo de indústria do setor. Há um conjunto de fatores para a atração desta escola. O SENAI acredita que a qualificação e a formação de mão de obra são o principal instrumento de desenvolvimento na cidade, aliadas a boa infra-estrutura, qualidade de vida, preservação do meio ambiente e qualidade no ensino fundamental”.

“Esta escola não atenderá somente Hortolândia, mas toda a região. O mais importante é conseguir formar aqui um grande pólo da indústria férrea no Brasil. E isso faz parte de um momento histórico do desenvolvimento da cidade, que é poder trazer para a região e o País, e aqui tornar um pólo de desenvolvimento do setor férreo para a América Latina e mudar o conceito atual de transporte, que é feito sobre pneus, para que seja feito sobre trilhos e isto seria muito importante”, acrescentou Rui Rabelo.

“Como presidente de uma das maiores empresas do segmento ferroviário, sei que a carência de profissionais neste setor é muito grande. Por isso, é fundamental a implantação de escolas profissionalizantes que formem mão de obra qualificada”, declarou o presidente da Amsted Maxion, Ricardo Chuahy, durante visita de Meira à empresa em agosto passado. “Hortolândia é um grande pólo industrial ferroviário e uma escola do SENAI ferroviário no município é extremamente importante, tanto para as indústrias quanto para a população que terá uma oportunidade de se especializar num setor que tende a crescer muito nos próximos anos”, ressalta.

Outro apoio importante veio do líder empresarial, Vicente Abate. “A ABIFER apóia incondicionalmente o projeto da CIESP, a ser implantado pelo SENAI, de estabelecer uma escola ferroviária do SENAI no Estado de São Paulo. A proposta de qualificar a mão de obra para o setor ferroviário será de grande valia para a indústria e também para as operadoras ferroviárias de carga e de passageiros”, afirmou o diretor da Amsted Maxion e presidente da ABIFER (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária).

Importância do setor ferroviário
O tema da instalação de uma escola de alto nível para formação de mão de obra ferroviária na cidade está em pauta no CDEH desde maio. “Esta é uma demanda antiga do setor ferroviário. Hortolândia hoje é o berço do setor ferroviário na nação. Empresas do porte de Amsted Maxion, Bombardier, CAF, Catterpillar e outras de grande porte estão instaladas no nosso município, gerando cerca de três mil empregos diretos e oito mil indiretos, mostrando que é uma atividade de grande importância para Hortolândia e o Estado de São Paulo”, afirma o secretário e presidente do Conselho, Dimas Pádua. “É mais do que justo ter o SENAI ferroviário na nossa cidade. Ele vem consolidar o setor ferroviário no nosso município. É um setor de fundamental importância para garantir emprego e renda para os nossos trabalhadores. A capacitação é fundamental para ampliarmos o setor no município”, acrescenta.

O SENAI Ferroviário vai ser mais um avanço da cidade na qualificação profissional dos trabalhadores. Vamos apoiar a FIESP no que for preciso para a escola ser implantada em Hortolândia”, afirma o prefeito, Antonio Meira, que considera a construção da escola no município uma das metas de governo.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia


Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98