21 de maio de 2024
Nossa Cidade

Documentário RAÍZES DA FAZENDA GAZETTA – Cultivando história e natureza em Hortolândia

fazenda gazetta

A Fazenda Gazeta é um espaço de grande importância para a cidade de Hortolândia, SP. Sua preservação representa a manutenção do patrimônio cultural e natural da região, permitindo que as próximas gerações conheçam as origens da cidade e tenham contato com a natureza.

Originalmente conhecida como Fazenda Santo Antônio do Morro Azul, a propriedade foi adquirida em 1938 por Dante Gazeta, um imigrante italiano que se estabeleceu na região. Junto com sua esposa Genoveva, Dante deu início às atividades agrícolas na fazenda, cultivando café, algodão, frutas e verduras.

Uma História Enraizada na Tradição – FAZENDA GAZETTA

A escolha do nome “Santo Antônio” para a fazenda reflete a forte influência da crença católica entre os colonizadores italianos da região. Essa devoção a Santo Antônio era comum em diversas outras propriedades rurais da época, demonstrando a importância da religião na formação da identidade local.

Ao longo dos anos, a Fazenda Gazeta passou por transformações. Em 1942, o filho de Dante, Antônio Gazeta, se casou e veio morar na propriedade com sua esposa Olga. Juntos, eles tiveram dois filhos, Dorival e José Francisco, que deram continuidade às atividades da fazenda.

O nome “Morro Azul” faz referência à paisagem da região, com o contraste entre o céu ensolarado e a vegetação verde. Essa combinação encantava os moradores, que costumavam trazer seus filhos para contemplar o pôr do sol na fazenda.

Três Pilares: Comércio, Sentimento e Meio Ambiente

A Fazenda Gazeta pode ser compreendida a partir de três vertentes principais: a comercial, a sentimental e a ambiental. No aspecto comercial, a propriedade era um importante centro de produção agrícola, abastecendo a região. Já a vertente sentimental está relacionada aos laços familiares e à preservação da memória da comunidade.

Por fim, a vertente ambiental da Fazenda Gazeta é de extrema relevância. Desde os tempos de Dante Gazeta, havia uma preocupação com a preservação da natureza, incluindo a nascente e o lago que abastecem a região. Essa visão preservacionista foi transmitida aos seus descendentes, que mantiveram o cuidado com o meio ambiente.

A Expansão de Hortolândia e a Preservação da Fazenda

Com o processo de industrialização e a emancipação de Hortolândia em 1991, a cidade passou por um rápido crescimento. Diversas empresas se instalaram na região, impulsionando a ocupação urbana. Nesse contexto, algumas áreas da Fazenda Gazeta foram loteadas e vendidas, enquanto outras foram adquiridas por empresas, como a Corning.

Apesar dessas transformações, a família Gazeta manteve a preocupação em preservar a maior parte da propriedade, especialmente a área da nascente e do lago. Essa visão preservacionista foi fundamental para que, em 2017, a Prefeitura de Hortolândia iniciasse negociações com os proprietários para a aquisição da Fazenda Gazeta.

A Aquisição pela Prefeitura e a Criação do Parque Socioambiental

Após quatro anos de negociações, em 2020 a Prefeitura de Hortolândia concretizou a permuta da Fazenda Gazeta, transformando-a em um parque socioambiental. Esse processo foi liderado pelo então prefeito Ângelo Perugini e pelo vice-prefeito Zezé Gomes, atual prefeito.

A aquisição da Fazenda Gazeta pela Prefeitura foi fundamental para a preservação desse importante patrimônio histórico e ambiental da cidade. Além disso, permitiu que a Secretaria de Meio Ambiente se instalasse no local, utilizando as estruturas existentes, como a casa do caseiro, o núcleo de educação ambiental e a antiga igreja.

O Parque Socioambiental Antônio Gazeta

O Parque Socioambiental Antônio Gazeta é um espaço de grande riqueza natural e cultural. Abrigando a nascente e o lago que abastecem a região, o parque possui uma diversidade de espécies nativas, atraindo uma fauna variada, como pássaros, peixes e pequenos animais silvestres.

Além disso, o parque conta com estruturas históricas, como a casa sede, a casa do caseiro, o galpão e a antiga igreja. Essas edificações serão preservadas e integradas ao projeto do parque, permitindo que a população conheça a história da Fazenda Gazeta e de seus antigos moradores.

Educação Ambiental e Eventos Culturais

Com a aquisição da Fazenda Gazeta pela Prefeitura, foi implementado um núcleo de educação ambiental no local. Esse espaço oferece atividades, palestras e visitas monitoradas, com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância da preservação do meio ambiente e da história da região.

Além disso, o Parque Socioambiental Antônio Gazeta tem sediado eventos culturais, como o “Café na Roça”. Essa iniciativa resgata as tradições rurais da região, reunindo a comunidade para desfrutar de um café da manhã com música sertaneja, em um ambiente que remete às origens da cidade.

O Futuro do Parque Socioambiental

Nos próximos anos, a Prefeitura de Hortolândia planeja a implantação de um parque completo no local, com infraestrutura adequada para receber a população. Estão previstos a construção de uma portaria, ciclovia, estacionamento, banheiros e um restaurante, além da manutenção das estruturas históricas.

O objetivo é transformar o Parque Socioambiental Antônio Gazeta em um espaço de lazer, educação e preservação, onde a comunidade possa conhecer e valorizar a história e a natureza da cidade. Esse projeto representa um importante investimento na qualidade de vida e no desenvolvimento sustentável de Hortolândia.

O Parque Socioambiental Antônio Gazeta é um patrimônio inestimável para a cidade de Hortolândia. Sua preservação representa a manutenção da memória e da identidade local, bem como a proteção de um ecossistema de grande importância ambiental.

Ao longo dos anos, a Fazenda Gazeta testemunhou a transformação da região, passando de uma propriedade rural a um importante centro industrial. Porém, graças à visão preservacionista da família Gazeta e à iniciativa da Prefeitura, esse espaço único pôde ser resguardado para as gerações futuras.

O Parque Socioambiental Antônio Gazeta é, portanto, um exemplo de como é possível conciliar o desenvolvimento urbano com a preservação do patrimônio histórico e natural. Essa iniciativa demonstra o compromisso da Prefeitura de Hortolândia em construir uma cidade mais sustentável, valorizando suas raízes e oferecendo à população um espaço de lazer, educação e contato com a natureza.

Este documentário foi realizado com recurso da Lei Paulo Gustavo (Lei Complementar Nº 195, DE 08 DE JULHO DE 2022), do Ministério da Cultura – Governo Federal, e viabilizado pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia.

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98