Connect with us

Nossa Cidade

Complexo viário integrará diversas regiões da cidade por meio de novas pontes e avenidas

Publicado

em

A Prefeitura de Hortolândia abriu licitação para contratar empresa responsável pela obra de um amplo complexo viário, que possibilitará integração de diversos bairros por meio de novas avenidas, desde a Vila Real, na região central, até a área sob a Ponte da Esperança, próximo da avenida Panaíno. De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, após a licitação e homologação da empresa vencedora, a obra terá prazo de execução de 12 meses.

A construção do novo viário será dividida em várias etapas que serão complementares e possibilitarão caminhos mais curtos e trânsito eficiente, diminuindo congestionamentos na área urbana e facilitando a vida da população. As intervenções serão realizadas com recursos do Banco CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), proveniente de financiamento internacional contratado pela Prefeitura em 2018 para realização de diversas obras de infraestrutura e mobilidade urbana, ações que garantirão a retomada do desenvolvimento econômico da cidade.

Uma das etapas será a construção de uma nova avenida como prolongamento da rua Amélia Basso Breda (rua da feira, na Vila Real), até a rua Pacaembú (Jd. Carmem Cristina), próximo da avenida Sabina Baptista de Camargo. Esta obra terá um trecho de transposição sobre o córrego da Vila Real e uma rua projetada para ligação da nova avenida até a rua Frederico Alves da Costa, no Jd. Nova Hortolândia. Uma via de ligação também será construída desde a rua Frederico Alves da Costa até a rua Amazonas, no Jd. São Jorge.

Já no Jd. Carmem Cristina, uma ponte será construída para acesso da rua Flamboyant (rua da Delegacia de Polícia) à nova avenida. Haverá, ainda, a duplicação do trecho viário da avenida Sabina Baptista de Camargo, desde a rua Nossa Senhora do Carmo, no Jardim Minda, até o cruzamento com a avenida Carlos Roberto Prataviera, na rotatória atrás da empresa Magneti Marelli e ao lado do Parque Socioambiental Remanso das Águas. Uma ponte será construída neste trecho, sobre o córrego que corta a via, elevando a altura da pista e evitando inundações em dias de chuva forte.

A obra prossegue com a canalização do córrego e a urbanização da área sob a Ponte da Esperança. A área lateral ao reservatório de contenção de enchentes que fica sob a ponte será transformada em um novo espaço de convivência para desfrute da população, com equipamentos públicos de lazer e duas travessias para pedestres sobre afluentes do Ribeirão Jacuba. Ao lado desta nova área de lazer, a nova avenida prosseguirá até a avenida Panaíno, atrás do Condomínio Green Park, que já está em obras para integrar desde a avenida da Emancipação, no Jd. Santa Clara até a avenida Antônio da Costa Santos, no Jd. Novo Ângulo. A atual licitação prevê a ligação do viário que será construído à Panaíno, com sobreposição da linha férrea.

A área ambiental terá destaque nesta obra, com a criação de um parque linear na região central, margeando a rua Luiz Camilo de Camargo, desde o Remanso Campineiro, até o Parque dos Pinheiros, no cruzamento com a avenida da Emancipação.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Oficina gratuita de dança contemporânea

Publicado

em

Projeto “Trajetória em movimento”, financiado com recursos da Lei Aldir Blanc, tem o apoio da Prefeitura de Hortolândia

Gosta de dançar e está em busca de projetos públicos para realizar este sonho? Então é melhor se apressar. Ainda há vagas para a “Oficina de Dança Contemporânea”, que será realizada gratuitamente, nesta sexta-feira (17/09), das 19h às 20h30, na Unidade Cultural Arlindo Zadi, unidade da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Hortolândia, localizada na Rua Graciliano Ramos, 280, no Jd. Amanda. 

As vagas são limitadas. As inscrições devem ser feitas pelo WhatsApp do artista responsável (19) 99349-6325. Podem se inscrever pessoas interessadas em dança, a partir dos 12 anos de idade.

O workshop integra o Projeto “Trajetória em movimento”, realizado pelo arte-educador Sergio Queiroz e financiado com recursos da Lei Aldir Blanc, no município. O projeto, que conta com o apoio da Prefeitura, oferece vivências de dança, nas áreas de jazz, balé, dança de rua, dança contemporânea, dança de salão, dança do ventre e dança afro.  

Os participantes receberão certificado. O arte-educador recomenda aos inscritos que levem roupa leve adequada para participar da oficina escolhida e respeitem os protocolos sanitários, como o uso de máscara individual. No local, será disponibilizado álcool em gel.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Antigo Aterro no Novo Ângulo pode ter nova utilidade

Publicado

em

Trabalho segue orientação da CETESB, que classificou o espaço apto a ser utilizado para outras finalidades

A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, está realizando estudos com o objetivo de orientar a futura finalidade da área onde funcionava o antigo aterro sanitário de Hortolândia. O trabalho está sendo desenvolvido com a participação de outras secretarias municipais, como a de Serviços Urbanos, que é a responsável pela gestão da coleta e destinação do lixo gerado pela cidade. “A utilização adequada dessa área vem ao encontro do nosso projeto ambiental, cujo foco é a construção de uma cidade ambientalmente inteligente e sustentável. Já tivemos grandes avanços. Quando o aterro ainda estava ativo, em 2002, não tínhamos um litro sequer de esgoto coletado e tratado. Hoje, chegamos a 98% de coleta e tratamos 100%”, comenta a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento. 

O antigo aterro, que fica no Jardim Novo Angulo, funcionou entre os anos de 1994 e 2002, como um lixão a céu aberto. Nesse período, o local recebia resíduos de Hortolândia e de Sumaré. Em agosto deste ano, a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) classificou o terreno como “Área Reabilitada para Uso Declarado (AR)”. A reabilitação de uma área contaminada significa que o espaço foi considerado remediado. Isso permite à Prefeitura indicar como pretende utilizá-la. A decisão da Companhia Ambiental levou em conta a avaliação baseada nos dados disponíveis sobre o espaço, os resultados das campanhas de monitoramento realizadas e o término das descargas de resíduos, que ocorreu há cerca de 20 anos. 

Na época em que considerou a área do aterro contaminada, a Cetesb exigiu da Prefeitura algumas medidas de monitoramento e recuperação da área, entre elas, análises de águas subterrâneas, cercamento do local, plantio de mudas nos limites da propriedade, instalação de caixa de chorumes, entre outras. Antes de capacitar a área como apta para receber nova finalidade, o terreno foi exposto a um processo de monitoramento que chegou ao final no ano passado.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura e Estado entregam alças de acesso do Corredor Metropolitano nesta quinta-feira (16/09)

Publicado

em

Local receberá cerca de 16 mil veículos por dia, sendo a principal porta de entrada de Campinas à Hortolândia

O prefeito de Hortolândia, José Nazareno Zezé Gomes, ao lado do vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, entrega oficialmente, nesta quinta-feira (16/09), as alças de acesso do Corredor Metropolitano “Vereador Biléo Soares” à rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101), altura do quilômetro 5.


O evento está marcado para as 9 horas na Rua Dr Miguel Vieira Ferreira, 812, Jardim Nova Boa Vista, em Hortolândia.


O prefeito hortolandense acompanhou de perto toda a reta final de obras e destacou a importância estratégica desta integração regional para o dia-a-dia das cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas). “A integração regional é um pilar da nossa Administração é parte importante do projeto de cidade sustentável e inteligente. As novas alças de acesso do Corredor Metropolitano, com a rodovia SP-101, vão facilitar muito o acesso para quem vem de Campinas para Hortolândia, além de abrir uma saída viária sentido Monte Mor. Os novos acessos dão um novo formato ao trevo do quilômetro 5, que vai se tornar na principal porta de entrada de Hortolândia”, comentou o prefeito.


De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, o dispositivo deve absorver uma demanda de aproximadamente 16 mil veículos por dia. Os dados fazem parte de um estudo realizado pela Prefeitura. “Segundo nossos estudos, o novo dispositivo viário receberá diariamente 8 mil veículos vindos de Campinas e outros 8 mil estarão saindo de Hortolândia. No total teremos mais de 16 mil veículos transitando diariamente neste trecho do Corredor Metropolitano”, explicou o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

Além de criar uma nova entrada para Hortolândia, o corredor expresso integra diversas cidades da região, desde Americana, passando por Santa Bárbara D’Oeste, Nova Odessa, Sumaré, Hortolândia, até Campinas. O novo acesso ajudará a reduzir o volume de tráfego rodoviário, amenizando a sobrecarga de trânsito nas principais vias da cidade e da região.


Com o novo complexo viário, motoristas que seguem da Rodovia dos Bandeirantes, no sentido Hortolândia, poderão entrar na cidade com mais facilidade, desafogando o fluxo de veículos na Avenida da Emancipação, no quilômetro 9 da SP-101, atual acesso ao município.

Para os motoristas que seguem de Campinas, o novo acesso evitará o gargalo de veículos que se forma na rodovia, principalmente em horário de pico, e agilizará o trajeto de quem precisa chegar a Hortolândia com rapidez. Já no sentido inverso, na saída de Hortolândia pela região do Parque Perón, o viaduto serve aos motoristas que vêm de diversas cidades, utilizando o Corredor Metropolitano rumo a Campinas ou sentido Rodovia dos Bandeirantes/Monte Mor.

As alças de acesso foram construídas sobre vigas com 32 metros de cumprimento depositadas no vão central do viaduto, sobre a linha férrea da Rumo. O novo dispositivo de entroncamento, com elevado e alças de acesso, tem 130 metros de extensão e pista de sentido duplo, com faixas de rolamento com 3,50 metros, de acordo com o Governo do Estado. O primeiro dos três viadutos foi inaugurado em setembro do ano passado. A construção deste primeiro viaduto foi conduzida pela concessionária Rodovias do Tietê, sob a regulação da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), com apoio da Prefeitura, que acompanhou todos os trabalhos executados na cidade. Já a construção dos outros dois viadutos, liberados nesta sexta-feira, ficou sob a responsabilidade da EMTU, com a participação da Prefeitura de Hortolândia.

Continue Lendo

Populares