Forçados a fecharem as portas após decreto assinado pelo prefeito Ângelo Perugini (PDT), que ordenou a suspensão do funcionamento do comércio por 15 dias, a contar do último sábado (21), em razão do novo coronavírus, comerciantes de Hortolândia se organizaram nas redes sociais para saírem em carreata nesta sexta-feira (27) para pedir o fim da decisão.

Os manifestantes se reuniram no estacionamento de uma loja no Jardim Santa Clara do Lago, e foram em comboio, fazendo buzinaço, até a porta da prefeitura, no centro da cidade. O decreto que fechou o comércio vale até 30 de abril, mas pode ser estendido.

Os manifestantes chegaram a se aglomerar em frente ao Paço Municipal, onde cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem como “Libera o comercio”.

FECHAMENTO DO COMERCIO

Os comércios considerados não essenciais não abrem as portas desde sábado(21) quanto o Prefeito Ângelo Perugini decretou o fechamento para o combate da Pandemia do Coronavírus.

São serviços considerados essenciais: farmácias, supermercados, açougues, peixarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, inclusive de alimentos para animais, depósitos de gás, padarias e postos de combustíveis. Entra também atividades de transações comerciais por meio de aplicativos e de Entregas (delivery) e oficinas mecânicas.