Bolsistas do programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, Trabalho e Educação), promovido pela Prefeitura de Hortolândia, já atuam na confecção dos uniformes escolares que serão entregues aos cerca de 26 mil estudantes matriculados na rede municipal de ensino. Neste ano, em razão da pandemia e em respeito às medidas sanitárias emergenciais decretadas pelo município, os aprendizes revezam-se, organizados em turmas menores para evitar a disseminação do Coronavírus.

Atualmente, o programa reúne 39 aprendizes, 37 mulheres e dois homens, que se organizam do seguinte modo: duas turmas com 15 alunos cada, pela manhã, em dias alternados; e uma com nove, à tarde. As aulas acontecem no CQPP II (Centro de Qualificação Pessoal e Profissional) Costura e Moda, no Jardim Terras de Santo Antonio. Segundo informações da coordenadora do programa, Edna Reis do Amaral, além de obterem conhecimentos para atuar na área de costura industrial, os bolsistas recebem cesta básica, vale transporte e bolsa no valor de R$710,00. 

Uma das etapas da formação profissionalizante é a produção dos kits de uniformes. Nesta etapa, costuram e montam os kits de verão, que contêm uma bermuda e duas camisetas. Ao todo, serão confeccionadas 81 mil peças. 

De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, responsável pelo programa, antes de serem decretadas as medidas emergenciais da Fase Vermelha do Plano São Paulo, a previsão era concluir os kits de verão em abril e iniciar a entrega aos alunos em maio. Porém, agora, ainda não há previsão de entrega das peças aos estudantes, uma vez que as aulas presenciais estão suspensas.

“Precisamos preparar a cidade para a retomada das atividades educacionais e a entrega dos uniformes complementa esta ação. O uniforme escolar é um item que proporciona grande praticidade para os alunos e economia para os pais. As peças oferecem mais segurança, além de evitar situações discriminatórias, que ensejam a prática de bullying. A pandemia ainda não têm prazo para terminar, mas permanecemos empenhados neste trabalho”, afirmou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

 

 

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia