Connect with us

Nossa Cidade

20 toneladas de resíduos de galeria pluvial obstruída foram retiradas em bairro de Hortolândia

Publicado

em

Equipamento que capta água da chuva foi danificado após descarte irregular de resíduos na via

Entulho e outros restos de construção civil, material plástico de diversos tipos, garrafas pet, matéria orgânica vinda da limpeza de jardins e quintais, pneus e até mesmo tênis velhos. Ao todo, aproximadamente 20 toneladas de materiais descartados irregularmente foram retiradas, nesta terça-feira (08/02), pela Prefeitura de Hortolândia, de uma galeria de coleta de águas da chuva, localizada na Rua da Amizade, 158, no Jardim do Brás, região do Jd. Rosolém.

Com as fortes chuvas dos últimos dias, os resíduos descartados na via foram arrastados pela água e engolidos pelas “bocas de lobo” (equipamentos que captam a água que escorre pela rua) e pela galeria, que acabou congestionada, a ponto de desaparecer encoberta pela lama. Após horas de trabalho, as equipes da Secretaria de Serviços localizaram e desobstruíram a galeria, deixando-a pronta para a equipe de Manutenção de Solo, responsável pelas próximas etapas do serviço de limpeza.

Segundo a Secretaria de Serviços Urbanos, alagamentos, acidentes, doenças e outros problemas associados ao ocorrido no local podem ser evitados. Basta que os moradores descartem os resíduos orgânicos e os reaproveitáveis da maneira correta. O chamado “lixo doméstico” deve ser entregue à equipe de coleta, enquanto os materiais reaproveitáveis, como plástico, papel/papelão, vidro e entulho, devem levados e descartados de graça nos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis). Na região, existem ao menos três equipamentos públicos de coleta: os PEVs Santa Emília, Santa Esmeralda e Jd. Adelaide. Além destes, a Prefeitura disponibiliza os LEVs (Locais de Entrega Voluntária), contêineres de coleta de recicláveis e reaproveitáveis de menor tamanho.

Segundo o secretário-adjunto de Serviços Urbanos, Marcos Panício, o “Mercadão”, este local no Jardim do Brás é um ponto de descarte irregular já conhecido pela Administração Municipal. “Realizamos a manutenção das galerias e ‘bocas de lobo’ na cidade diariamente, em tempo de chuva e também de estiagem. Limpamos os nossos córregos, o canal que vai do Remanso das Águas até o encontro do córrego Santa Clara, próximo do Pq. Chico Mendes e depois do Pq. Renato Dobelin, limpamos tudo e retiramos todo tipo de resíduo. Foram mais de 180 caminhões de resíduos só no canal. Fizemos também no Jd. Ricardo, no Jd. do Lago, um grande trabalho de prevenção às enchentes. Mas lá a tubulação ficou obstruída em razão do descarte irregular. Para evitar os problemas ocorridos aqui, inclusive de alagamento de casas, pedimos aos moradores que descartem estes materiais corretamente nos PEVs”, ressalta ele.

PEVS

Atualmente, Hortolândia tem 13 PEVs. Os dois mais novos (Jardim São Sebastião e Jardim Alvorada) foram inaugurados no fim do ano passado. A população pode consultar qual é o PEV mais próximo de onde mora no site da Prefeitura, por meio deste LINK.

Os PEVs são equipados com caçambas em que os moradores podem fazer o descarte correto e separado por tipo de material reciclável: doméstico (como garrafas PET e plástico), ferroso (latas de bebidas, alimentos e de tinta, entre outros), de construção civil e de madeira e volumosos (itens como sofás, colchões e móveis). Lá, a população também pode descartar eletroeletrônicos e vidro. Não é permitido o descarte de lixo orgânico, resíduos industriais e provenientes dos serviços de saúde.

No caso dos resíduos de materiais de construção civil, a quantidade de descarte é limitada a 1 m³, quantidade que equivale a 1.300 kg, ou seja, cerca de 26 sacos de ráfia de 50 kg. Se a quantidade for acima de 1 m³, a diretora orienta os moradores a contratarem caçamba.

MULTA

O descarte irregular de resíduos em vias e áreas públicas é crime sujeito a multa. De acordo com o setor de fiscalização ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o valor da multa varia de 25 a 10.000 UFMH (Unidade Fiscal Municipal de Hortolândia, que neste ano é de R$ 4,0941), de acordo com a lei municipal Nº 873, de 2001 (Código de Posturas). Já o valor da multa para descarte irregular em terreno particular também varia de 25 a 10.000 UFMHs.

A população pode denunciar o descarte irregular de resíduos na cidade por meio do aplicativo Agenda Verde, que pode ser baixado nas plataformas Google Play ou App Store do celular da pessoa. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.

Nossa Cidade

Evento “Café Com Viola” comemora aniversário de Hortolândia com cultura caipira

Publicado

em

Evento da Prefeitura será neste domingo (29/05), às 8h, no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior

Quer um programa de lazer para o fim de semana? A dica é festejar o aniversário de 31 anos de Hortolândia. A comemoração será em clima de cultura caipira com o tradicional evento “Café Com Viola” que a Prefeitura realiza, neste domingo (29/05). O evento será às 8h no Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. O evento volta a ser realizado após mais de dois anos em razão da pandemia.

O “Café Com Viola” é um prato cheio para quem aprecia a cultura caipira. A começar pelo delicioso café da manhã que será oferecido para o público. A programação será aberta com o cortejo da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos, grupo formado nos anos 1980 que mantém viva a tradição da Folia de Reis na cidade.

O público poderá também conferir outra importante manifestação da cultura caipira com o grupo Pioneiros do Catira. Criado em 2006, o grupo faz apresentações de catira, estilo de dança popular cujo ritmo é conduzido pelas batidas dos pés e das mãos dos dançarinos. 

Festa caipira de verdade tem que ter berrante

Para animar o público, outra atração será a apresentação de Val Berranteiro, ilustre morador da cidade que mostrará diferentes toque de berrante. 

Para quem gosta de cantar os modões e os clássicos da música sertaneja, a programação terá ainda as apresentações da dupla Celito & Ivalone e da Orquestra de Viola Caipira de Hortolândia, grupo formado em 2009 e que inicialmente chamava-se Orquestra de Viola Comitiva da Esperança.

Evento ainda terá uma novidade tecnológica

A inauguração de uma câmera de monitoramento dos trens que passam na linha férrea anexa ao Centro de Memória. A instalação e o fornecimento do equipamento é de responsabilidade do canal do YouTube Trains Of Brazil, com apoio da empresa Rumo e da Prefeitura de Hortolândia.

A câmera de 360º será colocada em um poste no terreno do Centro de Memória e possibilitará que o público acompanhe em tempo real as passagens dos trens. Além da camêra, o canal do YouTube disponibilizou wi-fi gratuito para o Centro de Memória, que poderá ser utilizado somente pelos visitantes do local mediante uso de senha.

Exposição em homenagem a Mestre Chiquinho

O público poderá ainda conhecer o Centro de Memória Professor Leovigildo Duarte Junior, que estará aberto para visitação das 8h às 12h. O espaço ocupa o prédio da antiga Estação Ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura e inaugurado em 2014. O centro tem um acervo de objetos, fotos e materiais sobre a história da estação e do município. 

Além disso, o centro está com a exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”, em homenagem a Mestre Chiquinho, ilustre morador da cidade.

Mestre Chiquinho, cujo verdadeiro nome é Francisco Aparecido Borges de Almeida, nasceu em Arealva, na região de Jaú e Bauru. Morador de Hortolândia desde 1976, ele ajudou a criar a Companhia de Santos Reis “Rosa dos Anjos” e os grupos Pioneiros do Catira, Orquestra de Viola de Hortolândia e Rainhas do Catira, todos contam com apoio da Prefeitura.  Desde 2006, Mestre Chiquinho é parceiro da Prefeitura, responsável por coordenar e ministrar aulas de violão e viola caipira, oferecidas pela Administração Municipal.

A exposição, inaugurada em dezembro do ano passado, reúne cerca de 100 objetos, dentre fotos, vestimentas, fantasias e outros itens, que fazem parte dos acervos pessoal de Mestre Chiquinho e do próprio centro. Um dos itens de destaque é uma foto antiga do avô de Mestre Chiquinho, que de acordo com ele, tem mais de 100 anos. “É a foto mais antiga da exposição”, conta o homenageado. 

O visitante ainda poderá conferir na exposição o documentário “Ao Mestre Chiquinho Com Carinho”. Com 30 minutos de duração, o documentário conta a vida de Mestre Chiquinho. O roteiro começa com sua origem em Arealva. Depois, mostra sua chegada a Hortolândia. A partir daí, o documentário foca o trabalho de Mestre Chiquinho para manter vivas as tradições da cultura caipira na cidade. O documentário conta com entrevistas e depoimentos de 15 pessoas, dentre amigos, parentes, familiares e integrantes dos grupos coordenados por ele. 

O documentário ainda apresenta mais de 20 fotos do acervo pessoal de Mestre Chiquinho e do Centro de Memória. O documentário foi realizado pela Secretaria de Cultura em parceria com a produtora Rumo Audiovisual. O município foi selecionado pelo programa “Juntos Pela Cultura”, iniciativa da associação Amigos da Arte em parceria com o governo do Estado, para produzir o documentário. A direção é de Diego Freitas e Julia Rany Campos Uzun.

Confira abaixo a programação do “Café Com Viola” deste domingo:

8h: Cortejo da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos

8h30 às 9h30: Café da manhã 

8h40: Show com Celito e Ivalone

9h: Fala das Autoridades

9h40: Despedida da Companhia de Santos Reis Rosa dos Anjos

10h: Apresentação dos Pioneiros do Catira

10h30: Inauguração de câmera de monitoramento de trem

10h50: Apresentação de Val Berranteiro

11h: Show com Orquestra de Viola Caipira de Hortolândia

8h às 12h: Exposição “Chiquinho: trajetória e legado do mestre do mundo”

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Maio Amarelo: Nova etapa do “Café na Passarela” alerta pedestres sobre segurança viária

Publicado

em

Ação tem apoio da Prefeitura de Hortolândia

Na manha desta terça-feira (24/05), a Prefeitura de Hortolândia concluiu mais uma etapa  do Maio Amarelo de conscientização por um trânsito seguro. A terceira edição do “Café na Passarela”, ação realizada em conjunto com equipes da concessionária Rodovias do Tietê e das Polícias Militar e Rodoviária, aconteceu no primeiro pontilhão do Jardim Rosolém, na margem  da Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101). A abordagem, com caráter orientativo aos motoristas, aponta  a necessidade dos cuidados para evitar acidentes fatais. Aos pedestres, é destacada a importância do uso da passarela para travessia evitando, assim, os acostamentos da movimentada rodovia. 

Também nesta terça-feira, uma nova etapa da distribuição de panfletos informativos aos motoristas foi realizada no semáforo do cruzamento entre a rua Nelson Pereira Bueno e a avenida Olívio Franceshini, em frente ao Paço Municipal Palácio das Águas. Além da entrega do material, motoristas se divertiram com uma apresentação que incentiva, através da música,  maior atenção ao dirigir e respeito às leis de trânsito. Nos panfletos, há dados, estatísticas e informações sobre o trabalho realizado pela Administração Municipal, desde 2017, para aumentar a segurança viária na cidade e diminuir o número de acidentes com vítimas fatais. “Todas as ações são importantes para alcançarmos o objetivo de um trânsito com nenhuma vítima fatal em Hortolândia”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

Neste mês, além de três edições do “Café na Passarela”, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana, já realizou três etapas da “Ação Bar”, para conscientização sobre os perigos de beber e dirigir; a “Operação Cavalo de Aço”; a ligação de novos semáforos; distribuição de folhetos informativos para motoristas nas principais vias da cidade; o passeio ciclístico “Vem de Bike”; e, na sexta-feira (27/05), encerra o ciclo de ações do Maio Amarelo com  4º Seminário de Segurança Viária. O seminário acontece na Câmara Municipal, das 8h às 12h. Participantes ganharão brindes e contribuirão na formação de uma nova diretriz para a segurança viária da cidade.

 

 

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia lança 1ª edição da revista Aldir Blanc, nesta quarta-feira (25/05)

Publicado

em

Publicação apresenta projetos culturais contemplados pela lei federal de 2020

Hortolândia socorreu o setor artístico-cultural durante a fase mais aguda da pandemia. Os profissionais dessa área sofreram muito com a suspensão de suas atividades por causa das restrições sanitárias e do isolamento social. Para auxiliá-los, a Prefeitura ofereceu subsídio para que eles realizassem projetos por meio da Lei Federal Nº 14.017 de 2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao compositor fluminense que morreu em decorrência da COVID-19. Para isso, os contemplados tiveram que executar contrapartidas. Para fazer a prestação de contas, a Prefeitura lança a 1ª edição da revista “Lei Aldir Blanc”, nesta quarta-feira (25/05). O evento de lançamento será, às 19h, no Centro de Educação Musical Municipal de Hortolândia (CEMMH) Professor Ronaldo Dias de Almeida, localizado na rua Vicente Palhão s/nº, Jardim Santa Cândida. O evento integra a programação comemorativa do aniversário de 31 anos de emancipação política de Hortolândia.

A publicação apresenta os 161 projetos contemplados pelos incisos II e III da lei nos segmentos de artes cênicas (teatro, dança e circo); artes visuais e audiovisual em fomato digital; patrimônio cultural, material e imaterial; música; literatura e poesia; economia da cultura; e manifestações de rua. Boa parte desses projetos foram disponibilizados no canal do YouTube e nas redes sociais da Secretaria de Cultura. A revista também está disponível no formato digital no site Mapa da Cultura.

De acordo com a Secretaria de Cultura, foram impressos 5.000 exemplares da revista, que serão distribuídos para os contemplados durante o evento e também em âmbito regional. O evento terá ainda a exibição de um vídeo com as fotos dos projetos realizados e apresentação musical do grupo Quinteto Cultura, formado por servidores da Secretaria de Cultura. 

Para o secretário de Cultura, Régis Athanázio Bueno, a execução da lei foi um grande desafio para o município. “A 1ª edição da revista é um produto editorial jornalístico que traz em suas páginas as realizações de uma ação concluída com êxito por meio da Lei Aldir Blanc realizada no município. Executar a lei foi um grande desafio e ao mesmo tempo um afago para os artistas de Hortolândia durante a pandemia que necessitavam de uma ação emergente como foi a lei. A 1ª edição da revista contempla os projetos realizados nos incisos da Lei. É também uma forma de registrar e memorizar esses conteúdos tão preciosos”, destaca Bueno.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Populares