Connect with us

TV, Cinema e Teatro

Cemitério Maldito (6,0)

Publicado

em

Desde a primeira vez que vi o trailer deste remake de Cemitério Maldito, baseado no livro do mestre Stephen King me passaram duas coisas pela cabeça. A primeira foi a certeza de que iria conferir no cinema e a segunda era a torcida para que não entregassem as melhores cenas do longa nos trailers… mas infelizmente foi exatamente isso que fizeram e, por isso, consegui antecipar boa parte dos sustos e das sacadas.

Se a obra de 1989 ganhou o status de cult por méritos, mesmo com seus defeitos e exageros oitentistas, ainda ganha pontos positivos pela criação de um universo tenso e com muito gore. Nesta repaginação, os diretores Kevin Kolsch e Dennis Widmyer modificam algumas situações e dão boas camadas dramáticas para Rachel e Jud Crandall (Amy Seimetz e John Ligthgow, respectivamente), além de nos apresentar uma violência gráfica impactante.

Mas nem tudo são flores por aqui… e se o tal cemitério é muito mais escondido e secreto (algo que faz muito mais sentido), a fotografia é escura demais (e quem for ver em 3D vai sofrer um bocado) e o CGi não agrada. Jason Clarke é outra bola fora e pode até parecer implicância minha, mas venho falando que ele tem zero de expressividade desde Planeta dos Macacos: O Confronto e O Exterminador do Futuro: Gênesis.

E mesmo fazendo mais de 100 milhões de dólares pelo mundo afora e deixando o estúdio satisfeito (quem sabe não dão sinal verde para uma continuação), fico me perguntando até quando continuarão inserindo nos roteiros hollywoodianos essa quantidade enorme de jump scares baratos, ou será que é normal alguém escutar um barulho à noite, sair da cama sem acender as luzes e tentar descobrir o que está acontecendo? Eu ficaria debaixo das cobertas, sem sombra de dúvidas.

Dependendo do seu grau de desprendimento, poderá até encontrar aqui um bom passatempo… mas este não foi meu caso!

Por Éder de Oliveira Jornalista e criador do site www.cinemaepipoca.com.br

TV, Cinema e Teatro

10 mais assistidos da Netflix

Publicado

em

Dentre tantas séries e filmes incríveis no catálogo da Netflix, é sempre interessante dar uma olhada nesta lista dos 10 mais assistidos. Pode até ter uma ou outra produção razoável, mas certamente encontrará algo que é de seu agrado. Confira aí o que o pessoal tem assistido no streaming!

Você (3ª Temporada)

Impressionante como a série, que nem é tão boa assim, caiu no gosto do público. A história entre Joe, gerente de uma livraria, que tem tendências de psicopatia e de ser obsessivo e a universitária Beck continua tão estranha e tensa quanto da última vez.

Round 6 (1ª Temporada)

A série se tornou a mais vista de todos os tempos na plataforma. É tensa, cheia de críticas sociais e pega emprestado a linguagem e estética de outros projetos. Prepare-se para muita violência.

Maid (Minissérie)

Minissérie em 10 episódios com Margaret Qualley e Andie MacDowell, fala sobre uma mulher que passou por um relacionamento abusivo, conseguiu emprego de faxineira e, agora, luta para construir um futuro melhor ao lado da filha.

A Batalha Esquecida

Filme holandês sobre a Segunda Guerra Mundial. Mais especificamente sobre a Batalha do Rio Escalda. Acompanhamos três personagens que tem seus destinos cruzados, enquanto passam pelo terror das perdas e da incerteza da sobrevivência.

Venom

Um filme realmente fraco, mas que caiu nas graças do público. O vilão mais conhecido de Homem Aranha, agora é vivido por Tom Hardy, neste longa dirigido pelo competente Ruben Fleischer, de Zumbilândia.

My Name (1ª Temporada)

Drama policial coreano, fala sobre uma mulher querendo vingança e que deposita toda confiança num chefão do crime. Suspense e muita ação ao longo de 8 episódios.

Casamento às Cegas Brasil (1ª Temporada)

Reality Show que mostra participantes em busca de um relacionamento verdadeiro e duradouro. Mas eles têm que escolher seus futuros parceiros, sem conhece-los pessoalmente.

Carinha de Anjo

Com 290 episódios, a novela Carinha de Anjo foi um grande sucesso e que se encontra, agora, no serviço de streaming. Dá para assistir com os filhos e toda a família.

A Vingança de Juana (1ª Temporada)

Com as mesmas marcas de nascença e o mesmo nome, cinco mulheres decidem desvendas a verdade sobre o passado e descobrem uma série de mentiras e uma teia que pode colocar em risco suas vidas. Novela mexicana que, pelo visto, caiu no gosto dos brasileiros.

Greys Anatomy (17ª Temporada)

A série, após longos anos, ainda dá sinais de que agrada. Sandra Oh e Katherine Heigl estão no elenco. Para quem curte drama passado em hospital, é um prato cheio.

Continue Lendo

TV, Cinema e Teatro

Cavaleiros do Zodíaco vai ganhar um filme com atores!

Publicado

em

É isso mesmo que você leu, caro amigo. Aquele animê que fazia a alegria das crianças dos anos 90 na TV Manchete, chamado Cavaleiros do Zodíaco, ganhará um filme em live action. E o Pipocast bateu um papo a respeito disso.

O projeto, que terá direção do polonês Tomasz Baginski (de The Witcher: A Lenda do Lobo), já finalizou suas filmagens e sairá nos cinemas em 2023. Será uma parceria entre a Toei Animation (responsável pela animação) e a Sony.

No elenco, haverão nomes de peso como:

  • Mackenyu Arata, que será Seiya (é o vilão de Samurai X – O Filme);
  • Famke Janssen que, provavelmente, será Marin de Águia (foi a Jean Grey de X-Men);
  • Madison Iseman que, provavelmente será a Saori (está em Jumanji: Bem Vindo à Selva);
  • Sean Bean que, provavelmente, será Mitsumasa Kido e terá o nome alterado (fez O Senhor dos Anéis);
  • Diego Tinoco que, provavelmente, será Ikki (fez On My Block);
  • Nick Stahl que, provavelmente, será algum cavaleiro de bronze (fez Exterminador do Futuro: A Rebelião das Máquinas);
  • Marc Dacascos que, provavelmente, será  Saga de Gêmeos (esteve em Jonh Wick 3).

E, no último bloco, demos nossos pitacos a respeito da expectativa para a 4ª temporada de Cobra Kai. Será que valerá a pena? Será que Johnny Lawrence e Daniel Larusso farão as pazes? Como o retorno de Terry Silver afetará o dia a dia de West Valley? Isso e muito mais no sexto episódio do Pipocast!

Continue Lendo

TV, Cinema e Teatro

Round 6 e os jogos do seriado

Publicado

em

O novo fenômeno da Netflix é Round 6. O seriado oriental superou até mesmo La Casa de Papel, mesclando personagens repletos de falhas, com muita violência gráfica, homenagens a outros projetos da cultura pop (Jogos Vorazes, o game Fortnite e o animê e mangá Gantz são alguns deles) e brincadeiras infantis levadas para outro patamar.

Mas quais seriam estes jogos (mais comuns na cultura deles do que na nossa)? Entenda melhor cada um deles agora!

Batatinha Frita 1, 2, 3

O objetivo é que os participantes cruzem a linha de chegada. Porém, quando o jogador, que está de costas e falando a frase ‘Batatinha 1, 2, 3’, se vira, todos devem permanecer imóveis.

Na série, uma robô gigantesca e com sensor de movimento ativa rifles precisos na direção daqueles que se mexerem.

Colmeia de Açúcar

É um biscoito feito com bicarbonato e açúcar derretido e diversos ambulantes vendem, nas ruas coreanas, a preços baixos.

O objetivo, para que ninguém morra em Round 6, é destacar o biscoito, sem que nenhum pedaço seja quebrado.

Cabo de Guerra

Esta é conhecida por aqui também e, certamente, muitos de vocês já brincaram. Mas a prática, por lá, é mantida em festivais populares, utilizando cordas gigantescas.

Como na série, a derrota nunca sai ‘de graça’, os perdedores caem numa plataforma altíssima. Notar toda a estratégia das equipes é interessante e, porque não, angustiante.

Bolas de Gude

Quando um oponente perder todas as suas bolinhas, o jogo termina. Desta forma, os responsáveis por Round 6, usam todos os truques narrativos para aprofundar as relações e, mais uma vez, apostar em estratégias diferentes para cada dupla.

Ponte de Cristal

Este é um dos jogos mais cruéis e é baseado mais no game Fall Guys do que em qualquer outro. A ponte, que é constituída de vidros, precisa ser passada. Porém, haverão estruturas mais fortes e que aguentam pesos excessivos e outras frágeis. Quem tiver o azar de cair, dará adeus ao jogo e à própria vida.

Jogo da Lula

Logo no início da série temos uma prévia do jogo. Que se estabeleceu entre as décadas de 1970 e 1980. São duas equipes, de ataque e defesa, dentro de um campo. Os atacantes se movem, inicialmente, apenas com uma das pernas – tendo a possibilidade de mover-se com as duas pernas, se atravessarem o corpo da lula.

Os defensores devem coibir esta passagem, empurrando-os para fora dos limites do campo.

E aí, já assistiu Round 6? O que achou? Comente com a gente!

Por Éder Pessôa

Redator Freelancer

https://ederopessoa.wixsite.com/redatorfreelancer | http://cinemaepipoca.com.br

Continue Lendo

Populares