SELIC: Copom reduz juros básicos da economia para 12,25% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou, na última quarta-feira(1°), uma redução de 0,5 ponto percentual na taxa Selic, estabelecendo a taxa básica da economia em 12,25% ao ano. A decisão, que era amplamente esperada pelo mercado financeiro, representa a terceira redução consecutiva dos juros, refletindo a preocupação com o comportamento dos preços e o ambiente econômico internacional.

Em comunicado, o Copom destacou que a economia global apresenta desafios, com o aumento das taxas de juros nos Estados Unidos, persistência da inflação em diversos países e tensões geopolíticas. Apesar dessas adversidades, o Copom sinalizou a continuidade dos cortes de 0,5 ponto nas próximas reuniões, embora ressalte a possibilidade de ajustar o ritmo conforme as condições se desenvolvam.

Anuncio


A taxa Selic está no menor patamar desde maio do ano anterior, quando estava em 11,75%. Este movimento de redução contrasta com o ciclo de aperto monetário que ocorreu de março de 2021 a agosto de 2022, quando a taxa foi elevada 12 vezes consecutivas em resposta à alta dos preços de alimentos, energia e combustíveis.

A taxa Selic desempenha um papel crucial no controle da inflação, medida pelo IPCA. As projeções apontam para uma inflação de 5,19% nos últimos 12 meses, ligeiramente acima da meta de 4,75% para o ano. Embora a estimativa oficial do Banco Central seja de 5% para o IPCA em 2023, as previsões do mercado são mais otimistas, apontando para uma inflação de 4,63%.

A redução dos juros básicos visa estimular a economia, tornando o crédito mais acessível e promovendo a produção e o consumo. Isso é evidenciado pela projeção de crescimento do PIB de 2,9% em 2023, de acordo com o Banco Central. O mercado também demonstra otimismo, com analistas prevendo uma expansão de 2,89% do PIB no próximo ano.

Sair da versão mobile